Como saber se uma conta digital é segura?

Aprenda como identificar se uma conta digital é segura ou não e confira dicas para aumentar a sua proteção

23 de janeiro de 2023

Os bancos digitais estão cada vez mais populares no Brasil. Ainda assim, algumas pessoas têm dúvidas sobre a segurança deles. Afinal, como saber se uma conta digital é segura? Confira o conteúdo que preparamos para você!

As contas digitais funcionam de forma semelhante às contas bancárias que você já conhece, mas com uma grande diferença: é possível resolver tudo no ambiente digital.

De forma geral, os bancos digitais não têm agência bancária, oferecem melhores taxas e permitem que você faça tudo pelo celular ou computador, sem precisar sair de casa, com menos burocracia e mais praticidade.

De acordo com uma pesquisa realizada pelas empresas idwall e Cantarino Brasileiro, atualmente existem mais de 250 milhões de contas digitais abertas no país. O número é maior que a quantidade de habitantes! 

Um estudo feito pela Akamai Technologies, em parceria com a Cantarino Brasileiro, mostrou que 70% da população adulta possui conta tanto em algum banco tradicional quanto digital

Para você ter ideia do crescimento, em 2020 essa porcentagem era de apenas 37%. Outro dado da pesquisa indica que o número de pessoas com conta só em algum banco tradicional caiu de 57% para 21% no mesmo período.

E o Brasil está entre os três maiores países na adesão a bancos digitais, atrás apenas dos Emirados Árabes Unidos e da Arábia Saudita, segundo uma pesquisa da Accenture, realizada em 28 nações.

O mesmo estudo apontou que as contas digitais têm um público potencial de 1,4 bilhão de pessoas nesses países e mapeou as preocupações dos entrevistados a respeito de bancos digitais.

A falta de familiaridade e confiança foram os principais receios. Isso explica o motivo de tantas pessoas buscarem saber como identificar se uma conta digital é segura ou não. 

Bancos digitais são seguros?

Sim! Os bancos digitais são tão seguros quanto os bancos tradicionais. O motivo? Todas instituições financeiras são reguladas pelo Banco Central e precisam seguir uma série de exigências para funcionarem. 

Para fazer parte do Sistema Financeiro Nacional (SFN), as fintechs — empresas de tecnologia com soluções financeiras — têm que adotar medidas de proteção digital e de segurança de dados.

As normas são definidas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), que é um órgão que estabelece as regras para o funcionamento das instituições financeiras. 

No caso das contas digitais, as normas estão previstas pela resolução 4658, de 2018.

A resolução exige que as instituições tenham uma política de segurança cibernética que assegure a confidencialidade, a integridade e a disponibilidade dos dados e dos sistemas de informação utilizados.

Além do mais, a norma define requisitos para contratação de serviços de processamento e armazenamento de dados e de computação em nuvem. 

Já o Banco Central é o responsável por fiscalizar as instituições e garantir que as normas sejam seguidas corretamente.

As instituições reguladas contam com a proteção Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que assegura até R$ 250 mil por CPF caso o banco não consiga honrar seus compromissos com seus clientes, como no caso de falência.

Ainda que os bancos digitais sejam seguros, é preciso tomar cuidado para não cair em golpes financeiros de falsas empresas que se passam por instituições financeiras.

Leia mais: Como saber se uma instituição financeira é confiável?

Como saber se uma conta digital é segura?

Para que você saiba se uma conta digital é segura, vamos listar alguns pontos que têm que ser observados antes de fazer o seu cadastro em alguma instituição.

1. Confira a lista de bancos digitais confiáveis

Como já falamos acima, todas instituições financeiras são reguladas e fiscalizadas pelo Banco Central. 

Para facilitar a sua vida, o BC conta com site em que você pode pode conferir a lista com as instituições autorizadas do país

Outra possibilidade é verificar a situação da empresa, pelo CNPJ, no site da Receita Federal

2. Pesquise mais sobre a instituição

Além de saber se a instituição é regulada, você pode pesquisar sobre a reputação dela com os clientes. 

Procure pelo nome da empresa no Google e confira reclamações no Procon e no Reclame Aqui

Você ainda pode conversar com conhecidos para saber sobre a experiência deles com alguma instituição financeira.

3. Desconfie de ofertas boas demais para serem verdade

Por fim, para evitar qualquer problema, preste atenção em atitudes suspeitas que podem ser indícios de golpe envolvendo conta virtual, como: 

  • Promessas extraordinárias e difíceis de acreditar;
  • Contatos estranhos e incomuns, principalmente nas redes sociais;
  • Pedidos de depósitos antecipados;
  • Solicitação de assinatura em documento em branco.

Se você quiser se aprofundar mais no assunto, temos um conteúdo especial sobre como fazer pagamentos mais seguros.

Agora que você já sabe identificar se uma conta digital é segura, pode estar se perguntando sobre qual o banco digital mais seguro, não é mesmo? Temos uma dica: o PicPay é seguro e mais que um banco!

A conta PicPay é segura?

A conta digital do PicPay é segura e ainda tem o melhor rendimento do Brasil, sabia? Deixando o seu dinheiro no app, ele rende 102% do CDI todos os dias úteis

Leia mais: Quanto rende 20 reais no PicPay ou outros valores?

O dinheiro guardado no PicPay é aplicado em CDBs. Dessa forma, ele fica protegido pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) para valores até R$ 250 mil. 

Além disso, a conta digital do app conta com várias funcionalidades e serviços para simplificar a maneira com que você lida com o dinheiro, como: 

Por que a conta digital do PicPay é segura?

O PicPay é regulado pelo Banco Central e segue todas as normas do Conselho Monetário Nacional, adotando os melhores procedimentos de segurança do mundo

Além de cumprir as regras impostas pelos órgãos reguladores, o PicPay utiliza criptografia para proteger ainda mais os dados dos clientes.

Dessa forma, as informações são transformadas em um código e protegidas de ponta a ponta.

Outro ponto importante é que os dados recebidos e transmitidos pelo PicPay são armazenados em servidores seguros.

Quem garante essa segurança são certificações emitidas por empresas terceirizadas e especializadas na área. 

O PicPay possui o certificado Payment Card Industry – Data Security Standard (PCI DSS), que garante que a empresa armazena os dados dos usuários em segurança.

Outra garantia é a participação do PicPay no PCI Security Standards Council, ou Conselho de Normas de Segurança da Indústria de Meios de Pagamento, em português. 

Para melhorar, o PicPay está na On the List!, que é uma lista global dos provedores de serviço que protegem dados referentes ao cartão de crédito

Se você quiser saber mais sobre as medidas de segurança da empresa, veja a política de privacidade do PicPay

O aplicativo ainda conta com várias funcionalidades para aumentar a sua segurança, como a de Proteção de conta.

Ativando essa função, o app pede a sua senha toda vez que você abrir o aplicativo e antes de realizar qualquer transação. Para isso, basta seguir os passos abaixo:

  • Abra o aplicativo do PicPay;
  • Toque na sua foto de perfil;
  • Vá até a seção de Segurança;
  • Toque em Proteção de conta e ative a funcionalidade;
  • Pronto!

Assim, a senha que estiver configurada no seu telefone será solicitada ao abrir o app e antes de qualquer atividade. Pode ser a senha numérica, desenho ou biometria (digital ou reconhecimento facial).

Confira abaixo algumas orientações para proteger ainda mais a sua conta no PicPay:

Veja como proteger a sua conta PicPay.

Além de se preocupar se a conta digital é segura ou não, é importante tomar cuidado com golpes virtuais que estão cada vez mais comuns, como o golpe do Pix

Leia mais: Como evitar e denunciar golpes virtuais pelo celular

9 dicas para se proteger de golpes e fraudes com conta digital

1. Defina uma boa senha 

Pense em uma forte, com combinação de letras (maiúsculas e minúsculas) números e símbolos. Além disso, jamais utilize sequências como “1, 2, 3”, números de telefone, placas de carro ou datas de aniversário. 

Outro ponto importante é que você não deve utilizar a mesma senha para redes sociais, e-mail e aplicativos de banco. 

Não compartilhe a sua senha com outras pessoas e não deixe ela anotada no celular ou computador.

2. Cadastre um e-mail diferente do seu principal

Diversos golpes utilizam a função de recuperar senha por e-mail para invadir a conta das vítimas. 

Por isso, para garantir que nenhum golpista troque a sua senha caso você tenha o celular roubado, use um e-mail diferente do seu principal como meio de recuperação de senha. 

3. Só confie em contatos pelos canais oficiais

Um dos golpes cibernéticos mais comuns é o phishing, em que os criminosos se passam por empresas conhecidas para roubar os dados das vítimas.

O contato pode ser por e-mail, telefone ou pelas redes sociais. Então antes de divulgar qualquer informação, confira se é um canal oficial da suposta empresa ou não.

4. Não clique em links desconhecidos:

Seguindo na mesma linha, caso você receba uma mensagem suspeita, não clique em links desconhecidos ou baixe arquivos no seu computador e celular. 

O mesmo vale para links em redes sociais. Viu algum anúncio chamativo demais? Alerta de que você ganhou algum prêmio? Não entre no link. 

5. Confira se o site é seguro

Também existem sites falsos que se passam pelo internet banking de algumas instituições ou que instalam vírus para roubar os dados bancários das vítimas.

Quer saber como se proteger? Veja nosso conteúdo completo sobre como saber se um site é falso

6. Não divulgue os seus dados pessoais online

Número de telefone, CPF, e-mail, endereço. Existem várias informações pessoais que podem ser utilizadas para golpes. 

Por isso, não divulgue seus dados pelas redes sociais e confira também se há informações suas em sites pelo Google.

Leia mais: Como tirar meus dados do Google e evitar golpes financeiros

7. Adote medidas extras de segurança

Diversos bancos digitais oferecem camadas extras de seguranças para os usuários, como o PicPay.

Veja quais são as medidas disponíveis e adote todas possíveis. Além do mais, utilize sempre a versão mais atualizada do aplicativo da sua conta virtual.

8. Contrate um seguro

Você também pode contratar algum seguro que proteja a sua conta digital contra golpes e fraudes financeiras.

Por exemplo, o PicPay oferece o Seguro Carteira Digital, que protege a sua carteira, pagamentos, Pix e etc.

9. Aprenda mais sobre segurança

Para finalizar, quanto mais você entender sobre segurança digital, mais protegido você e o seu dinheiro ficam. 

Pensando nisso, o PicPay lançou no ano passado a Central de Segurança, que reúne conteúdos sobre o assunto, orientações rápidas para quem busca ajuda imediata e informações sobre os canais de atendimento do PicPay. 

O que você achou do conteúdo? Ficou interessado em saber mais sobre o assunto? Além da Central, você pode conferir os conteúdos da nossa editoria de segurança digital!

Esse conteúdo foi útil? Deixe aqui sua avaliação

Média da classificação 1 / 5. Número de votos: 2

Compartilhe este Post:

Conteúdos relacionados