O que é conta laranja e por que não emprestar seus dados

Entenda o que é conta laranja, como elas são identificadas, se é crime e quais são as responsabilidades com a sua conta digital do PicPay

29 de março de 2022

Você pode ter passado por alguma situação assim. Alguém diz que precisa de uma ajuda para fazer um pagamento, pede para depositar o dinheiro na sua conta e, depois, que você envie a quantia a um terceiro. Cuidado: pode ser um caso de conta laranja.

Muita gente não sabe, mas permitir que outras pessoas movimentem a sua conta digital, mesmo que sejam amigos e familiares, é crime. O chamado “aluguel de conta” pode criar diversos problemas.

Com alguns cuidados, você pode evitar que isso aconteça e ainda alertar pessoas próximas. Ter uma conta em uma instituição financeira séria envolve várias responsabilidades, e você vai entender melhor sobre elas.

Por isso, neste conteúdo você vai descobrir:

  • O que é laranja;
  • Como e por quê as contas laranjas são utilizadas;
  • Responsabilidades e cuidados com a sua conta PicPay.

O que é conta laranja?

Primeiro, vale entender o que é um laranja. São indivíduos que emprestam seus dados, como CPF e até as suas contas em bancos e outras instituições financeiras, para que outras pessoas registrem bens ou dinheiro sem serem identificadas.

É como se a pessoa fingisse que o patrimônio é de outro, enquanto na verdade é seu. 

Ou seja, um laranja atua como um meio para uma prática ilícita, porque ocultar bens é um crime. Os casos mais conhecidos de laranjas acabam relacionados a delitos de corrupção ou até lavagem de dinheiro.

Isso acontece, muitas vezes, quando a origem daquele bem ou dinheiro é ilícita. Aí é que entra a conta laranja, que nada mais é do que uma conta utilizada para que a origem verdadeira do dinheiro não seja facilmente identificável

Assim, o criminoso dissimula suas movimentações por meio de contas laranjas, tornando mais difícil sua identificação e, portanto, responsabilização. Alguns exemplos de usos de laranja são:

  • Para sonegar impostos;
  • Para praticar lavagem de dinheiro;
  • Para ocultar enriquecimento ilícito.

E a situação pode ser feita com conhecimento do laranja sobre sua ilegalidade, ou sem que ele entenda o problema em que está sendo envolvido.

Ser laranja é crime? 

A resposta é sim. Um laranja pode ser acusado do crime de falsidade ideológica, de ser cúmplice ou até coautor de crimes relacionados a estelionato, sonegação fiscal, lavagem de dinheiro e atos de corrupção contra a administração pública.

E se o laranja não souber? Isso pode acontecer. Se você se identificou ou se lembrou de alguém que passou pelo exemplo do início do texto, saiba que é aí que entram os golpes.

O criminoso pode tentar induzir uma pessoa sem que ela tenha consciência do problema. Confira algumas estratégias que criminosos podem utilizar e fique atento para se proteger:

  • Pedir a conta bancária ou de outra instituição para depositar um dinheiro e fazer um pagamento a um terceiro;
  • Oferecer alguma bonificação em troca do uso da sua conta, como um valor em dinheiro;
  • Levar a pessoa a compartilhar seus dados, assinar documentos ou se responsabilizar por algum bem ou movimentações que não são suas.

A pessoa que busca um laranja pode ser tanto um conhecido quanto um anônimo. 

Em muitos casos, indivíduos são abordados nas redes sociais com uma história bem contada e um pedido para usar a sua conta. Portanto, fique atento: emprestar conta para depósito é crime!

Como saber se meu nome está sendo usado como laranja?

Você deve acessar o site Registrato, do Banco Central. Nele, você pode monitorar o uso do seu CPF e descobrir as seguintes informações:

  • Empréstimos e financiamentos em seu nome;
  • Lista dos bancos e financeiras onde você possui conta ou outro tipo de relacionamento, como investimentos;
  • Relação dos seus cheques que foram devolvidos;
  • Consulta a suas dívidas com órgãos públicos inscritas no Cadin Federal;
  • Suas chaves Pix cadastradas em instituições;
  • Dados sobre operações de câmbio e transferências internacionais realizadas por você.

Não existe cobrança para isso. Vale a pena lembrar também que, se sua preocupação for financeira, você pode consultar seu CPF na Serasa e descobrir se há restrições em seu nome, protestos em cartório, ações judiciais ou problemas na situação cadastral.

Como uma conta laranja é identificada?

Como você já sabe, muitas vezes o laranja é utilizado para que o real proprietário de um bem não assuma a responsabilidade por ele.

Nesses casos, a Receita Federal é responsável por investigar suspeitas de sonegação fiscal. Para isso, o órgão cruza informações de diferentes bases de dados e pode utilizar até as redes sociais.

Nas redes, casos que levantam suspeitas podem ser os de pessoas que se declararam proprietárias de uma empresa, por exemplo, mas não possuem bens que podem ser penhoráveis no caso de uma dívida fiscal.

Realizar o cruzamento de dados dos bancos da Receita Federal e das redes sociais pode ajudar a descobrir se esse contribuinte é um laranja.

Posso emprestar minha conta para pessoas de confiança?

É muito importante que você saiba que todas as movimentações realizadas na sua conta PicPay são, também, responsabilidade sua. E isso inclui ações de outras pessoas feitas por meio dela. 

Por isso, caso você permita que alguém utilize a sua conta, está assumindo um risco. Mesmo que seja alguém em quem você confia, se acontecer algum problema na sua conta, você será responsabilizado. É um perigo muito sério!

Isso vale não só para a sua conta do banco ou de outra instituição, mas também para outras informações pessoais, como o CPF. 

Segundo um levantamento da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), 36% dos consumidores brasileiros fizeram compras utilizando o nome de terceiros.

Os dados mostram ainda que o hábito de pedir o nome emprestado é ainda maior entre as pessoas de mais baixa renda (38%) e entre os jovens (46%). Imagina se alguém faz uma dívida com seus dados e depois você precisa arcar com a cobrança? 

É fundamental conhecer as responsabilidades e os riscos envolvidos.

Responsabilidades com a sua conta digital

Você tem sua conta digital em uma instituição e, para acessá-la, utiliza uma senha. Em muitos casos, você já pode ter sido avisado de que essa senha é pessoal e intransferível.

Mas, na prática, o que isso significa? Quer dizer que, por questões de segurança, a responsabilidade por não compartilhar a senha e protegê-la é do seu dono.

Essa é a primeira e uma das maiores responsabilidades com a sua conta PicPay e qualquer outra que você mantenha. 

Confira o que mais você deve fazer para garantir a sua segurança:

  • Não dê acesso ou empreste sua conta para terceiros. Todas as ações realizadas na sua conta PicPay são de sua completa responsabilidade;
  • Fuja de ofertas em redes sociais para emprestar sua conta em troca de vantagens financeiras. É fraude e você pode ser responsabilizado!
  • Emprestar sua conta para receber qualquer valor que você não sabe de onde vem pode não ser uma boa ideia, porque, se algo der errado, você também é responsável por isso.

Para saber mais, confira este conteúdo com informações sobre a segurança do app PicPay.

E se eu cadastrar o cartão de crédito de outra pessoa na conta PicPay?

Quem é cliente PicPay sabe da facilidade que é poder cadastrar seus cartões de crédito na sua conta e pagar tudo e todos sem perrengue.

Mas e se o cartão for de outra pessoa? Você pode cadastrar cartões de crédito de outras pessoas no app PicPay, mas é fundamental se atentar às recomendações de segurança para não ter problemas. 

Ao realizar o pagamento utilizando o cartão de outra pessoa, nossa equipe responsável pela segurança vai precisar confirmar que o dono do cartão autorizou a transação, viu?

Leia mais: Pix é seguro? Como evitar golpes de transferência de dinheiro

Além disso, é super importante cadastrar o número de celular do titular corretamente no momento em que adicionar o cartão de crédito. Assim, o processo de validação fica mais ágil.

Esse passo é fundamental para garantir não só a sua segurança, mas também a das pessoas próximas responsáveis por aquele meio de pagamento. Confira mais dicas para fazer pagamentos seguros e deixar sua conta PicPay mais protegida.

Vamos relembrar as orientações de segurança ao cadastrar o cartão de outras pessoas na conta PicPay?

  • Você só pode utilizar o cartão de outra pessoa com a autorização dela. Usar o cartão de alguém sem permissão é como pegar dinheiro da carteira dela: também é crime, e quem pegou é o responsável; 
  • Utilizar na sua conta um cartão de crédito do qual você não sabe a origem pode ser uma má ideia;
  • Não deixe que terceiros insiram cartões de crédito em sua conta em troca de dinheiro. É fraude e você pode ser responsabilizado!

Emprestei minha conta. O que fazer?

Se você não sabia dos riscos envolvidos e optou por emprestar sua conta para depósito ou outra transação, saiba que será preciso incluir essa movimentação na declaração do Imposto de Renda 2022.

Se você emprestou a sua conta corrente, deve declarar à Receita Federal o valor da conta normalmente, sem descontar o que não é seu. Aqui, é fundamental que você pague todos os impostos envolvidos, afinal aquela movimentação se tornou sua responsabilidade.

Caso contrário, você pode estar sujeito a uma multa por sonegação fiscal. Veja como declarar o IRPF em 2022.

As nossas dicas foram úteis para você? Então, confira mais recomendações para garantir a sua segurança digital.

Esse conteúdo foi útil? Deixe aqui sua avaliação

Média da classificação 3.1 / 5. Número de votos: 21

Compartilhe este Post:

Conteúdos relacionados