Como comprar criptomoedas e o que analisar antes de investir

Entenda como comprar criptomoedas, como vendê-las e armazená-las, além de aprender o que você deve considerar antes de adquirir a sua moeda digital

10 de agosto de 2022

Aprender como comprar criptomoedas é o primeiro passo para entrar no mundo cripto. Comprar, vender e armazenar moedas digitais é uma maneira de investir nesse mercado cada vez mais popular.

Segundo um levantamento do Banco Central, o mercado de criptomoedas movimentou R$ 300 bilhões só em 2021. Mas, para muita gente, esse tema ainda pode parecer complexo e distante da sua realidade.

A verdade é que, cada vez mais, as criptomoedas vão fazer parte do nosso dia a dia. Por isso, hoje você vai entender como comprar Bitcoin, como comprar Ethereum e outras moedas digitais. 

Além disso, vamos falar sobre o que você deve saber antes de tomar essa decisão. Vem conferir!

Como comprar criptomoedas no Brasil?

No conteúdo sobre criptomoedas promissoras, você descobriu que existem três formas de investir em criptomoedas:

  • Investir em um ETF de criptomoedas na bolsa de valores;
  • Comprar diretamente, por meio de exchanges, ou corretoras de cripto;
  • Minerar criptomoedas. 

Se você está em busca de onde investir em criptomoedas, o melhor caminho é por meio de uma exchange, ou seja, uma corretora cripto.

Para isso, basta abrir uma conta em uma corretora que vende criptomoedas e você pode comprar e vender suas moedas digitais. A lógica é bem simples!

O ponto é que, na prática, até pouco tempo esse serviço era complexo e difícil para a maioria das pessoas. Mas cada vez mais ele tem se popularizado, inclusive no nosso país, até mesmo por meio dos investimentos em NFTs.

Hoje em dia, o Brasil já está entre os cinco países do mundo com maior número de investidores em cripto. São mais de 10 milhões de brasileiros envolvidos nesse mercado.

Com isso, os brasileiros estão atrás apenas de Índia, EUA, Rússia e Nigéria. Os dados são do Coinmarketcap, principal monitor global.

Onde comprar criptomoedas com segurança?

O PicPay, maior aplicativo de pagamentos do País, acaba de lançar a sua corretora de criptomoedas, em que você pode comprar, vender e armazenar suas moedas digitais.

Com esse lançamento, o PicPay dá o pontapé inicial no universo cripto e quer desmistificar esse mercado de uma vez por todas.

Na visão do PicPay, é possível trazer as moedas digitais para o dia a dia das pessoas por meio de uma experiência simples, informativa e segura. 

Como comprar Bitcoin, Ethereum e Pax Dollar (USDP) no PicPay?

Se você busca onde comprar criptomoedas, agora pode fazer isso no seu aplicativo PicPay.

A corretora está sendo disponibilizada gradualmente para os usuários do app, que já soma mais de 30 milhões de clientes ativos

As negociações podem ser feitas a partir de R$ 1 e toda a experiência acontece dentro do aplicativo.

Veja como comprar e vender criptomoedas no PicPay:

  • Acesse o app PicPay;
  • Toque em ‘Carteira’;
  • Toque em ‘Cripto no PicPay’;
  • Selecione a moeda que deseja comprar, veja a cotação em tempo real e utilize os cards educacionais, se quiser;
  • Insira o valor desejado e toque em ‘Continuar’;
  • Pronto, é só fazer o pagamento!

Aprenda como comprar criptomoedas no PicPay

O pagamento deve ser feito com o saldo da sua conta digital, beleza?

Leia mais: Quanto rende 20 reais no PicPay ou até valores superiores?

Além disso, o usuário pode conhecer mais sobre o universo cripto durante a sua jornada de compra.

O PicPay oferece informações sobre o mercado no próprio app, com conteúdos educacionais que esclarecem as principais dúvidas.

Entre elas, estão temas como o que são criptomoedas, como funciona a negociação, quais são os riscos envolvidos, entre outros pontos fundamentais para que o cliente possa tomar melhores decisões.

Isso tudo é feito para que as pessoas usuárias conheçam melhor o mercado cripto antes de adquirir uma moeda. Afinal, por mais simples que seja a experiência, qualquer tipo de investimento exige informação!

A exchange do PicPay é operada em parceria com a Paxos, empresa líder em infraestrutura de blockchain regulamentada que atuará como corretora e provedora de custódia. 

Quais criptomoedas o PicPay oferece?

No primeiro momento, será possível comprar três moedas digitais na corretora do PicPay: 

  • Bitcoin (BTC);
  • Ethereum (ETH);
  • Pax Dollar (USDP), stablecoin lastreada em dólar.

Bitcoin e Ethereum são as duas maiores moedas digitais do mundo! Além disso, a opção do PicPay por oferecê-las entre as primeiras criptomoedas disponíveis na corretora se deu porque elas têm casos de usos reais.

A tecnologia blockchain, que está por trás de moedas como Bitcoin e Ethereum, já é utilizada no setor imobiliário, na indústria de seguros e até no mercado de obras de arte, por meio dos tokens não-fungíveis (NFTs).

E, afinal, por que os casos de uso de uma criptomoeda no mundo real são importantes? Isso reforça a segurança dela.

Além de BTC e ETH, no PicPay você também pode comprar e vender Pax Dollar (USDP), uma moeda que tem paridade com o dólar. Ficou confuso? A gente explica.

A USDP é uma stablecoin, que são criptomoedas com lastro em alguma moeda chamada fiduciária, que é o dinheiro ao qual nós estamos acostumados, como o real ou o dólar. São as moedas emitidas por bancos centrais.

A USDP acompanha a cotação do dólar e sempre equivale a um dólar. Você pode fazer a conversão da sua cripto para dólares a qualquer momento. Ela também é segura, porque está sujeita à estrita supervisão regulatória do Departamento de Serviços Financeiros do Estado de Nova York.

Além disso, o valor que você tiver em USDP será sempre mantido seguro, na quantia equivalente ao dólar e disponível para resgate.

Uma criptomoeda como a USDP abre muitas possibilidades de uso no dia a dia, como ser uma forma de comprar dólar e servir como reserva de valor. 

O que analisar ao comprar criptomoedas?

Cerca de metade de todas as pessoas que têm criptomoedas nos Estados Unidos, América Latina e região Ásia-Pacífico compraram moedas digitais pela primeira vez no ano passado, em 2021. Os dados são de uma pesquisa da corretora norte-americana Gemini.

Então, por mais que esse mercado passe por um crescimento acelerado, ele ainda é bem recente para a maioria das pessoas. E, nessa hora, informação e conhecimento são fundamentais.

Se você ainda não faz parte dos milhões de brasileiros que investem em criptomoedas, pode ficar confuso na hora de decidir se vale a pena entrar nesse universo.

Essa confusão é comum, porque o mercado pode parecer complicado! Por isso, reunimos algumas dicas para quem está pensando em comprar sua primeira moeda digital

Como escolher qual criptomoeda comprar? Quais são os riscos envolvidos? Como saber se é uma boa hora? É o que vamos buscar responder.

Pesquise sobre o mercado

Parece clichê, mas é importante reforçar: investir com segurança só é possível quando você entende aquilo em que está colocando o seu dinheiro.

Hoje em dia, existem muitas informações disponíveis tanto sobre a tecnologia blockchain quanto sobre criptomoedas na internet. Já abordamos o funcionamento do mercado de cripto por aqui.

Você também pode (e deve!) aproveitar os conteúdos educacionais sobre cripto no app PicPay e acompanhar as publicações sobre esse assunto no blog.

Entenda a proposta de valor daquela moeda

Se você pesquisou sobre o mercado e já se sente mais confortável com a ideia de comprar uma moeda digital, chegou a hora de decidir a melhor opção para o seu caso.

O primeiro passo é entender o objetivo do projeto que sustenta aquela criptomoeda. Isso porque as moedas digitais têm objetivos para o uso da tecnologia blockchain, e essa finalidade precisa fazer sentido.

Dois exemplos conhecidos são o Solana (SOL), criado para facilitar a criação de aplicativos descentralizados, e o Decentraland (MANA), que tem como objetivo a construção de um mundo virtual compartilhado.

Outro caso conhecido é a dogecoin, que viralizou após ser citada pelo bilionário Elon Musk no Twitter. A moeda foi lançada como uma espécie de brincadeira, sem nenhum propósito, segundo os próprios criadores.

A melhor maneira de entender mais sobre uma criptomoeda é analisar o seu whitepaper, que é um documento público com detalhes sobre o projeto e os seus objetivos. Embora alguns possam ser um pouco técnicos, em geral é possível que um investidor iniciante compreenda as informações.

Quem está por trás?

Além de conhecer o que está por trás da criptomoeda em análise, é importante pesquisar quem está envolvido no projeto. Você pode considerar essa etapa como uma apuração da governança daquela moeda.

Nessa hora, vale prestar atenção a alguns aspectos: os nomes envolvidos são conhecidos? Já trabalharam em projetos bem-sucedidos? São relevantes e qualificados? Há alguma parceria com uma empresa importante?

Em geral, não é difícil encontrar informações sobre os fundadores de uma criptomoeda no seu próprio site oficial. Caso não encontre, pode ser motivo de alerta.

Avalie o preço

Analisar o preço de uma moeda digital antes de decidir comprá-la vai além de saber apenas se está caro ou barato. A ideia é entender se o valor daquele ativo está crescendo na mesma medida que ele cria valor, a partir da sua utilização.

Uma maneira de avaliar o preço é comparar o valor que ela vale atualmente com o maior preço que ela já teve, a chamada máxima histórica.

Outra forma de ter uma base de comparação é analisar esse preço em relação a outros concorrentes desse universo.

Confira qual é a capitalização de mercado

A capitalização de mercado de uma criptomoeda é calculada pelo preço de cada unidade da moeda multiplicado pela quantidade daquela moeda que existe.

É uma lógica similar às ações de uma empresa: é possível saber quanto a empresa vale ao fazer essa conta do preço da ação vezes quantas ações estão disponíveis no mercado.

Mas o que a capitalização indica, afinal? Ela é um sinal de maturidade de uma moeda digital. Ela ajuda a entender se há muitas pessoas transacionando aquele ativo. Se, por outro lado, houver poucas pessoas, pode ser um motivo de cautela.

Outro fator positivo do alto volume de negociações de uma moeda é que será mais fácil vendê-la quando você quiser se desfazer, e isso tende a diminuir a diferença entre o preço que você pagou e o valor que receberá quando fizer a venda.

Conheça os riscos

Assim como em qualquer investimento, investir em criptomoedas oferece riscos. Mesmo depois de analisar as principais métricas, entender o propósito e os objetivos do projeto e quem está por trás dele, ainda é possível que seu ativo não tenha um bom desempenho.

Isso quer dizer que não existe garantia de que uma criptomoeda vá se valorizar ao longo do tempo. Por isso, ao decidir entrar nesse mercado, é importante ter em mente que ele é indicado para alguns perfis de investidores, como os mais arrojados.

Se você quer comprar uma criptomoeda pela primeira vez, uma maneira cautelosa de fazer isso é separar uma pequena parte do seu dinheiro para começar a investir.

Com isso, você experimenta e pode se aprofundar melhor no mercado, para depois decidir se quer aumentar o seu investimento.

PicPay dá primeiro passo no mercado cripto

O lançamento da corretora cripto é a primeira investida do PicPay nesse mercado. O objetivo da empresa, que em breve vai trazer outras novidades sobre o assunto,  é permitir pagar com criptomoedas inclusive no dia a dia.

Ainda neste ano, o usuário poderá pagar e receber utilizando criptomoedas no app PicPay, além de fazer transferências com cripto. Com essa possibilidade, os clientes poderão usar PicPay em pagamentos no mundo todo.

Com a novidade, a empresa dá início à sua jornada com o objetivo de desmistificar as criptomoedas e trazê-las para o dia a dia das pessoas por meio de uma experiência simples, informativa e segura. 

“O PicPay é um dos players mais disruptivos em meios de pagamentos do Brasil e nosso objetivo é liderar a popularização do mercado de cripto, eliminando a complexidade que ainda é associada a ele e ampliando a informação sobre o tema, para que todo mundo possa se apropriar dessa tecnologia.”

Bruno Gregory, executivo responsável pela unidade de negócios de Cripto e Web3 do PicPay.
Executivo do PicPay ensina como comprar criptomoedas pelo app

Além da sua corretora de criptomoedas, o PicPay vai lançar a sua própria stablecoin também em 2022. 

A moeda digital será lastreada em real, com paridade de um para um, e permitirá que o PicPay seja utilizado como forma de pagamento no mundo todo, em qualquer lugar que aceite carteiras de cripto.

Quer ficar por dentro de todas as novidades do PicPay? Acompanhe nosso blog e não perca nenhum lançamento. Também temos uma seção dedicada aos conteúdos sobre educação financeira com mais dicas de investimento.

Esse conteúdo foi útil? Deixe aqui sua avaliação

Média da classificação 4.7 / 5. Número de votos: 15

Compartilhe este Post:

Conteúdos relacionados