Como investir em criptomoedas? Passo a passo simples

Confira 9 dicas de como investir em criptomoedas de forma segura e descomplicada, inclusive para iniciantes, e conheça riscos e vantagens dos criptoativos

13 de janeiro de 2023

O mercado cripto tem atraído cada vez mais interessados no Brasil e no mundo, mas muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre como investir em criptomoedas. É o seu caso? Então este conteúdo é para você!

Agora, se você ainda não está por dentro desse universo e quer entender melhor as moedas digitais, vale a pena conferir nosso conteúdo completo sobre o que é criptomoeda e como elas funcionam. 

Por aqui, nosso foco será ensinar a investir em cripto. Além de mostrar como funciona o investimento, vamos dar dicas de como ganhar dinheiro com criptomoedas, principalmente se você está iniciando nesse ambiente, beleza?

De acordo com uma pesquisa da Sherlock Communications, 36 milhões de brasileiros têm interesse em investir em moedas digitais. Com isso, a previsão é que o Brasil se torne líder nesse mercado na América Latina.

Em 2021, cerca de 10 milhões de brasileiros fizeram investimentos em criptomoedas, de acordo com uma pesquisa da Binance e TripleA. Você quer fazer parte desse número? Vamos te explicar como!

Como investir em criptomoedas?

Basicamente, existem duas maneiras de investir em criptomoedas:

  • Indiretamente, por meio de EFTs na bolsa de valores;
  • Diretamente, comprando e vendendo moedas por conta própria ou com o auxílio de uma corretora.

É importante destacar que tanto investindo de forma indireta quanto direta, os rendimentos são tributáveis e devem ser declarados no Imposto de Renda, ok?

Para ficar mais claro para você, vamos detalhar como funciona investir em criptomoedas indiretamente pela bolsa e como comprar e vender criptomoedas diretamente. 

Como investir em criptomoedas pela bolsa?

Em 2018, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) passou a autorizar investimentos indiretos em criptomoedas no exterior, por parte de fundos brasileiros.

Na B3, a Bolsa de Valores Brasileira, é possível investir em criptomoedas, indiretamente, por meio de EFTs (Exchange Traded Funds ou Fundo de Índice), que são ações que oscilam segundo algum índice determinado.

Sendo assim, o investidor adquire cotas de um Fundo de Investimento, que é relacionado ao preço de algum índice sobre criptomoedas, podendo lucrar ou ter prejuízo com essa oscilação. 

Um levantamento da gestora Hashdex mostrou que o número de investidores em fundos de criptomoedas cresceu 1.266% no Brasil em 2021, chegando a mais de 400 mil.

Hoje, a bolsa brasileira possui cinco opções de investimento indireto em criptomoedas por ETFs: 

  • HASH11: principal fundo da Hashdex, que replica o Nasdaq Crypto Index (NCI), índice que busca refletir globalmente o movimento do mercado de criptoativos; 
  • QBTC11, fundo da QR Capital movido 100% pelo Bitcoin, por meio do índice CME CF Bitcoin Reference Rate;
  • BITH11: outra opção da Hashdex, dessa vez refletindo o Bitcoin, pelo índice Nasdaq Bitcoin Reference Price (NQBTC);
  • QETH11: alternativa da QR Capital para ter a Ethereum na carteira, replicando o índice CME CF Ether-Dollar Reference Rate;
  • ETHE11: mais uma opção da Hashdex, dessa vez tendo como ativo a Ethereum e tendo como índice a ETHER HASH CI. 

Como investir por meio da compra e venda de criptomoedas?

Há duas formas de comprar e vender criptomoedas: negociando diretamente com outra pessoa ou utilizando uma corretora. 

No primeiro caso, você pode negociar com conhecidos ou encontrar interessados por meio de sites e aplicativos especializados em conectar compradores e vendedores.

Mas se você quer saber como investir em criptomoedas de forma simples e segura, a melhor opção é por meio de alguma exchange, isto é, uma corretora cripto. 

Utilizando uma corretora, você pode ter uma carteira de criptomoedas em um só lugar, para comprar e vender as moedas sem complicação.

Se quiser se aprofundar no assunto, já ensinamos passo a passo como comprar criptomoedas, como escolher a sua moeda digital e o que analisar antes de investir.

Como funciona a compra e venda de criptomoedas

Quando você compra uma criptomoeda, o seu lucro ou prejuízo dependem diretamente da valorização ou desvalorização do ativo. A lógica é a mesma de qualquer outro bem.

Mas o que determina a variação do valor de uma moeda digital? Como elas são descentralizadas, ou seja, não são reguladas por algum órgão como o Banco Central, o preço varia de acordo com a chamada lei de oferta e demanda

Se muitas pessoas estão comprando e poucas estão vendendo, o preço sobe. Por outro lado, se o interesse por vendas for maior do que o por compras, o valor cai.

É claro que essa curva também é influenciada por fatores externos, como o mercado como um todo, a aceitação de criptomoedas pelo mundo e a regulação desses ativos. 

Onde investir em criptomoedas?

Agora que você já sabe como investir, é hora de aprender onde comprar criptomoedas com segurança. 

Você sabia que tem como comprar criptomoedas no Brasil pelo PicPay? Então agora você sabe! 

O aplicativo, que conta com mais de 30 milhões de usuários ativos, possui uma corretora dentro do app. Por lá, você pode comprar, vender e armazenar criptomoedas sem complicações.

Leia mais: PicPay quer permitir pagar com criptomoedas até no dia a dia

Atualmente, você pode comprar nove moedas digitais na corretora do PicPay: 

  • Bitcoin (BTC);
  • Ethereum (ETH);
  • Pax Dollar (USDP), stablecoin lastreada em dólar;
  • Litecoin (LTC);
  • Polygon (MATIC);
  • Uniswap (UNI);
  • Chainlink (LINK);
  • Bitcoin Cash (BCH);
  • Aave (AAVE).

Uma das principais vantagens de comprar criptomoedas pelo PicPay é que tem como investir a partir de R$ 1. 

Ficou interessado? Veja como o passo a passo é super tranquilo:

  • Abra o aplicativo do PicPay e entre na sua Carteira;
  • Toque em Cripto no PicPay;
  • Escolha a moeda e o valor que você deseja investir;
  • Selecione o método de pagamento e confirme a compra;
  • Pronto! 

Vale a pena investir em criptomoedas?

A essa altura do texto, você pode estar se questionando: “Afinal, vale a pena ou não investir em criptomoedas?”. Nós vamos tentar responder a essa pergunta agora, ainda que não seja possível cravar que sim ou que não.

Riscos de investir em criptomoedas

Existem alguns riscos em relação a esse mercado. Como os investimentos em criptomoedas ainda são recentes, há uma insegurança em relação ao futuro, principalmente pensando na usabilidade delas e na regulação. 

Além disso, você precisa tomar muito cuidado para não cair em golpes utilizando moedas digitais. 

Leia mais: Conheça os principais golpes financeiros do Brasil e saiba como se proteger

Outro risco em torno das criptomoedas é a volatilidade, já que você pode perder uma grande quantidade de dinheiro em pouco tempo.

Oportunidades de investir em criptomoedas

A volatilidade, por outro lado, também é uma vantagem em relação a outros investimentos. Ao mesmo passo que você está sujeito a perder muito dinheiro, você tem a chance de ganhar.

Também é nesse sentido que surge uma outra vantagem: a possibilidade de diversificação de investimentos. Pode ser interessante ter uma carteira de criptomoedas como opção de renda variável.

Outras duas vantagens são as baixas taxas para a operação de moedas digitais e a segurança da rede blockchain. 

9 dicas de como começar a investir em criptomoedas

1. Estude sobre o mercado

Se você ainda é iniciante, o primeiro passo para começar a investir é buscar mais conhecimento sobre a área. 

De acordo com uma pesquisa da Toluna, 48% dos brasileiros não investem em criptomoedas por conta da falta de informação

Para se familiarizar, procure por livros, revistas, cursos online e presenciais, workshops e blogs que falem sobre criptomoedas. 

Mesmo se você já tem uma base, é fundamental se manter atualizado sobre o mercado e novas tecnologias. 

2. Identifique o seu perfil de investidor

Depois, é importante que você saiba qual é o seu perfil de investidor, como já ensinamos em nosso conteúdo sobre como investir dinheiro com segurança

De forma resumida, existem três perfis: conservador, moderado e arrojado. O primeiro, é menos suscetível a riscos e prefere investimentos de renda fixa, como os CDBs

Leia mais: CDB PicPay: como funciona a conta rendeira do app

Já o investidor moderado mescla a segurança do perfil moderado com o maior apetite ao risco do perfil arrojado.

O arrojado, como o próprio nome já indica, tem disposição para correr mais riscos, em busca de ganhos maiores em menos tempo. 

Aplicações em criptomoedas são mais indicadas para investidores mais arrojados, por conta da volatilidade, mas conservadores e moderados também podem aproveitar essa opção para diversificação. 

Um dado interessante é que a geração Z, de jovens entre 16 e 25 anos, é a que mais investe em criptomoedas no Brasil, segundo dados da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).

3. Destine apenas parte dos seus investimentos

Independentemente do seu perfil, é preciso ter em mente que os investimentos em criptomoedas são considerados de risco.

Por conta disso, você não deve destinar todo o seu orçamento para esse tipo de aplicação, tudo bem?

O ideal é que você tenha uma carteira de investimentos variada e separe apenas uma fatia para compra e venda de criptomoedas. 

Um ponto importante é que antes de começar qualquer investimento, você deve se preocupar em fazer uma reserva de emergência

Além do mais, apesar da volatilidade das criptomoedas, o recomendado é que você considere essa modalidade como um investimento de longo prazo. 

4. Faça uma análise do momento do mercado

Como já falamos acima, o mercado de criptomoedas oscila bastante. Por exemplo, em 2021 o preço do Bitcoin aumentou 62%, fechando o ano em US$ 47 mil. 

Em dezembro de 2022, o valor da principal criptomoeda do mundo está abaixo de US$ 17 mil, o que significa uma queda superior a 60% ao longo do ano. 

Para que você faça bons investimentos, é necessário acompanhar continuamente o mercado de criptomoedas, com o intuito de comprar e vender os ativos nos momentos certos. 

5. Tome cuidado com golpes

Investir em criptomoedas é seguro! Isso porque a segurança é um dos pilares do funcionamento das criptomoedas. 

Em resumo, as moedas digitais são protegidas por criptografia e funcionam dentro de uma rede blockchain, que conta com várias camadas de segurança.

Ainda assim, você precisa prestar atenção para não cair em golpes financeiros relacionados à criptomoedas.

Leia mais: Os 17 golpes financeiros mais comuns do Brasil

De acordo com um relatório da Chainalysis, golpes e fraudes envolvendo criptoativos provocaram um prejuízo de cerca de US$ 7,7 bilhões em todo o mundo em 2021. 

Desconfie de ofertas que pareçam ser boas demais para serem verdade e dê preferência por investimentos em corretoras conhecidas. 

6. Escolha alguma corretora de confiança

Você já sabe que o PicPay é seguro, não é mesmo? Por isso, o aplicativo, que tem como missão facilitar a sua vida, também possibilita que você invista em criptomoedas de forma simples e segura.

A exchange funciona dentro do próprio app, permitindo que você compre e venda criptomoedas pelo seu celular.

A corretora foi um dos lançamentos do PicPay ao longo de 2022. Confira outras novidades em nossa retrospectiva do ano

7. Inicie pelas criptomoedas mais consolidadas

Atualmente, existem mais de 22 mil criptomoedas no mercado, segundo dados do site CoinMarketCap.

Então como identificar as melhores criptomoedas para investir? Se você ainda é iniciante, o ideal é começar pelas criptomoedas mais consolidadas.

Caso você queira se arriscar em alguma criptomoeda menos conhecida, busque antes mais informações sobre ela. 

Confira dados sobre quem criou, veja qual é a capitalização e o valor de mercado, e entenda qual é a proposta de valor da moeda.  

Quer saber mais sobre esse assunto? Acesse o nosso conteúdo completo sobre criptomoedas promissoras.

8. Comece aos poucos

Outra dica para você que está ingressando no universo das criptomoedas é começar as aplicações aos poucos.

Dessa maneira, você consegue se habituar aos investimentos em cripto, que tem características particulares, como já falamos.

Com o PicPay, é possível comprar criptomoedas com um investimento mínimo de apenas R$ 1

Então, se você tem dúvidas sobre como investir em criptomoedas com pouco dinheiro, o PicPay é a melhor opção!

9. Acompanhe a evolução do seu investimento

Por fim, como o valor das criptomoedas oscila muito, é recomendado que você veja acompanhe o progresso das suas aplicações.

A corretora do PicPay permite que você veja a variação do valor das moedas e o andamento dos seus investimentos, tudo pelo celular.  

Viu como é simples investir em criptomoedas? Se você quiser saber mais sobre cripto ou outros assuntos que afetam o seu bolso, confira mais conteúdos em nossa editoria de planejamento financeiro!

Esse conteúdo foi útil? Deixe aqui sua avaliação

Média da classificação 1.6 / 5. Número de votos: 5

Compartilhe este Post:

Conteúdos relacionados