Investir em criptomoedas é seguro? Veja riscos e oportunidades

Investir em criptomoedas é seguro, mas exige atenção. Saiba como diminuir os riscos envolvidos

27 de setembro de 2022 Atualizado em 28 de novembro de 2022

As criptomoedas se consolidaram nos últimos anos, principalmente como meio de investimento. Por isso uma dúvida bem comum é: investir em criptomoedas é seguro? Descubra de uma vez por todas neste conteúdo. 

Para responder a essa pergunta, é importante ressaltar que existem diferentes questões sobre a segurança das criptomoedas:

  • A tecnologia por trás das criptomoedas;
  • O mercado cripto e seu funcionamento;
  • Os riscos envolvidos em qualquer investimento.

Vamos falar sobre cada uma delas, mas para isso vale retomar primeiro o que são e como funcionam as criptomoedas.

As criptomoedas são moedas 100% digitais que não são emitidas ou controladas por alguma instituição e que funcionam por meio de um sistema criptografado.

Na prática, se você comparar com o real, as grandes diferenças são que você não consegue tocar nas criptomoedas, como em uma nota, e que a emissão e circulação não são controladas pelo Banco Central ou órgão do tipo.

Geralmente, as criptomoedas são transacionadas dentro de uma rede de blockchain

Para ficar mais claro, o blockchain é uma infraestrutura que funciona como um livro onde todas as transações são registradas. 

As movimentações dependem de uma rede de computadores, conectados na internet, que fazem a validação de cada transação, com os dados criptografados. 

Em alguns casos, como no do Bitcoin, criptomoeda mais conhecida no mundo, cada transação passa pela validação de sete máquinas diferentes. 

Leia mais: O que é criptomoeda: guia completo sobre o investimento

Criptomoedas são seguras? 

Do ponto de vista tecnológico, a segurança é uma das bases até mesmo do conceito das criptomoedas.

Para explicar esse contexto, conversamos com Bruno Gregory, executivo responsável pela unidade de negócios de Cripto e Web3 do PicPay. 

“O termo criptomoeda vem exatamente da palavra criptografia. Desde as primeiras ideias, a questão da segurança é um dos pilares. Por exemplo, não tem como hackear ou roubar um Bitcoin de outra pessoa. Elas são 100% seguras.”

Além da criptografia, o próprio sistema blockchain, que descrevemos acima, garante a segurança das moedas virtuais.

“O blockchain é, na verdade, uma combinação de máquinas ligadas na rede, em que cada ponto tem que resolver uma equação matemática para validar a transação. No caso do Bitcoin, sete computadores fazem a validação. Se alguém tentar hackear, é pego nesse processo.”

O sistema é tão seguro que passou a ser utilizado também em situações fora do universo financeiro, como no caso dos NFTs.

Como a tecnologia é segura, o elo fraco para possíveis golpes é o humano. Mas como assim? Se você informar a sua senha de acesso para outra pessoa, ela pode transferir seus ativos para outra carteira. 

Seguindo com o exemplo do Bitcoin, a senha para acessar a carteira é uma chave privada, ou private key em inglês, com letras e números gerados automaticamente. 

Para fazer as transações, você precisa informar a chave, que pode ter até 14 palavras. Como é quase impossível decorar, é necessário anotar em algum lugar. 

Atualmente, várias exchanges, ou corretoras cripto, cuidam dessa chave de acesso para você. Com isso, ao invés de usar a chave privada para comprar e vender criptomoedas, você deve informar a sua senha na corretora, como em um banco. 

A única maneira de ter criptomoedas roubadas é perdendo a chave de acesso por meio de alguma fraude ou golpe, como ataques phishing, por exemplo.  

Leia mais: Dicas de segurança digital para se proteger de fraudes e golpes

“No caso das criptomoedas, podemos dizer que só existe a brecha humana. Quando a pessoa que tem a senha para a carteira é manipulada para informar a private key que dá acesso à wallet ou corretora que cuida da chave.”

O mercado de criptomoedas é seguro? 

O próximo ponto para responder se é seguro investir em criptomoeda é a perspectiva de como funciona o mercado de compra e venda desse tipo de ativo.

Como já abordamos antes, ao contrário das moedas físicas que conhecemos, como real e dólar, as criptomoedas não são reguladas por nenhuma instituição.

O que isso implica para você na prática? Duas coisas principais. A primeira é que, caso você sofra algum golpe, não há a quem recorrer. 

“O fato das criptomoedas não serem reguladas por alguma instituição central reforça ainda mais a importância das pessoas tomarem cuidado com golpes e fraudes.”

A segunda é que o valor das criptomoedas pode crescer ou diminuir muito de uma hora para a outra, sem qualquer mecanismo de proteção. 

Por comparação, no mercado de ações, existe o circuit breaker, que é um mecanismo de paralisação dos negócios quando há algum movimento muito brusco de queda da bolsa, acima de 10%. 

No caso das criptomoedas, isso não existe. Então o valor pode despencar em um dia, fazendo você perder dinheiro. 

Nesse cenário, o mercado de criptomoedas é seguro? A melhor resposta é que o mercado é volátil e funciona com base na lei de oferta e demanda. 

Quando a procura pelo ativo é maior que a quantidade disponível, a tendência é de que o preço suba. Quando o volume disponível para venda é maior do que o número de interessados em comprar, o preço cai.

O que pode ser dito é que ele tem crescido e se consolidado nos últimos anos. Em 2021, o mercado de criptomoedas movimentou mais de 300 bilhões de reais, segundo dados do Banco Central. 

Ainda do ponto de vista da segurança do mercado, é necessário prestar atenção, pois hoje existem muitas opções de criptomoedas.

A primeira a ser lançada foi o Bitcoin, em 2010, que segue sendo a principal criptomoeda do mundo, representando cerca de 40% do mercado.

Cerca de 12 anos depois, o site CoinMarketCap contabiliza mais de 21 mil criptomoedas em setembro de 2022

Investir em criptomoedas é seguro?

Agora que você já entendeu tudo sobre a segurança da tecnologia das criptomoedas e a respeito de como funciona o mercado cripto, é hora de explicar se investir em criptomoedas é seguro. 

Para começar, é fundamental destacar que existem diferentes maneiras de investir em criptomoedas:

  • Negociando diretamente com outras pessoas;
  • Comprando e vendendo por meio de uma corretora;
  • Adquirindo fundos de índice atrelados a criptomoedas na bolsa de valores.

Independentemente de como a aplicação é feita, os investimentos em criptomoedas são considerados de maior risco por conta da volatilidade, que citamos anteriormente.

Provavelmente você já ouviu a história de alguém que investiu em Bitcoin no início e ficou milionário depois, não é mesmo? Ao mesmo tempo, diversas pessoas já perderam muito dinheiro com esse tipo de investimento.

Essa oscilação fica clara quando analisamos o valor do Bitcoin e Ethereum, segunda criptomoeda mais consolidada, nos últimos tempos.

Ao longo de 2021, o Bitcoin valorizou 62%, saindo de U$ 32 mil no início do ano para mais de U$ 47 mil no fim. Durante o ano, o Bitcoin chegou a custar quase U$ 66 mil. 

Neste ano, o valor do Bitcoin, e de quase todas as criptomoedas, despencou. Atualmente, um Bitcoin vale pouco menos de U$ 19 mil. 

No caso da Ethereum, o valor no começo de 2021 era de U$ 750, chegou a bater U$ 4,8 mil e fechou o ano em U$ 3,7 mil, aumento de quase 400%. Hoje o valor da Ethereum está abaixo de U$ 1,3 mil.

Deu para perceber como o mercado de criptomoedas é volátil, certo? Por isso, você precisa conhecer o seu perfil de investidor. 

O perfil é definido com base em um questionário com perguntas sobre a sua situação financeira, renda, verba disponível para investimentos, apetite ao risco, conhecimento a respeito do mercado, finalidade, prazo e etc.

Existem três perfis de investidor: conservador, moderado e arrojado. Veja um pouco mais sobre cada um deles e procure saber em qual tipo você se enquadra.

1. Investidor conservador

A segurança é o pilar desse tipo de investidor, que prefere preservar o patrimônio do que arriscar em investimentos mais ousados. 

De forma geral, o conservador tende a escolher investimentos de renda fixa, como CDBs e Tesouro Direto, em que o risco e o rendimento são menores.

Leia mais: Como investir dinheiro com segurança?

2. Investidor moderado

O investidor moderado está disposto a se arriscar um pouco mais, mas ainda com a preocupação de preservar o que já tem. 

Por isso, os investimentos são diversificados, com apenas uma parte em aplicações de renda variável, em que há mais chance de retorno, mas com risco até de prejuízo. 

3. Investidor arrojado 

Já o investidor arrojado é aquele que mais tem apetite ao risco. Geralmente, são investidores mais experientes e que colocam mais de 40% do patrimônio em aplicações de renda variável, visando retornos maiores.

Por que saber o seu perfil de investidor é importante? 

Entender qual é o seu perfil é determinante para chegar à conclusão se investir em criptomoedas é seguro ou não. 

O ambiente tecnológico das criptomoedas é seguro. O mercado é volátil. Então saiba que se você comprar alguma criptomoeda de confiança, não vai perdê-la. 

Mas, ao mesmo tempo, o valor da moeda virtual pode despencar ou crescer rapidamente, assim como outros investimentos de renda variável. 

Por isso, investimentos em criptomoedas são considerados mais arriscados e recomendados para investidores com perfil arrojado.

O ideal é que esse tipo de aplicação sirva para diversificar os investimentos. Ou seja, não é recomendado que você coloque todo o seu patrimônio em cripto, e sim mescle com outras opções de renda fixa e variável. 

É claro que investidores conservadores e moderados também podem investir em criptomoedas, mas com valores menores.

É seguro investir em criptomoedas novas? 

Nos tópicos anteriores, levantamos pontos sobre a segurança e os riscos envolvidos nos investimentos em criptomoedas. 

A tendência é de que os riscos sejam maiores com criptomoedas mais novas e menos estabelecidas, ao mesmo tempo que a chance de retorno também aumenta.

Em nosso conteúdo sobre como comprar criptomoedas, também te ensinamos o passo a passo como escolher um ativo seguro e que tenha fundamento. 

Para você ter ideia, o Bitcoin chegou a custar cerca de 30 centavos de dólar durante os dois primeiros anos. Só depois ocorreu a valorização que já trouxemos aqui. 

Significa que qualquer criptomoeda vai se valorizar? Não! É essencial tomar muito cuidado para não colocar o seu dinheiro em ativos sem potencial ou até mesmo fraudulentos. 

Investir diretamente em mineração de criptomoedas é seguro?

O tema mineração de criptomoedas é ainda mais complexo, mas vamos tentar abordar da maneira mais simples possível.

Primeiro, a mineração é o processo de ganhar criptomoedas fazendo parte da rede blockchain. Só que não é tão simples quanto parece.

As máquinas precisam resolver equações super complexas, em pouco tempo, para validar a transação da criptomoeda. 

Quando um computador consegue solucionar o problema matemático envolvido, dando andamento no processo, ele ganha unidades da criptomoeda como recompensa. 

O ponto é que o processamento é extremamente complexo. Apenas supercomputadores são capazes de fazer.

Por conta disso, hoje em dia a mineração está centralizada em empresas ou consórcios especializados nisso.

Compre criptomoedas com segurança no PicPay

Não é só com a segurança da criptomoeda que você deve se preocupar. É crucial encontrar um aplicativo ou site seguro para comprar criptomoedas.

O PicPay é seguro e ainda permite que você compre e venda criptomoedas de forma fácil e prática, pelo seu celular. 

Por enquanto, a corretora do PicPay conta com nove opções de criptomoedas, que passaram por uma curadoria. Elas são seguras e possuem casos de usos reais. Em breve, mais tokens serão adicionados.

  • Bitcoin (BTC), que é a principal criptomoeda do mundo;
  • Ethereum (ETH), segunda moeda digital mais importante;
  • Pax Dollar (USDP), que é uma stablecoin lastreada em dólar e possui o mesmo valor da moeda estadunidense;
  • Litecoin (LTC);
  • Polygon (MATIC);
  • Uniswap (UNI);
  • Chainlink (LINK);
  • Bitcoin Cash (BCH);
  • Aave (AAVE).

Você se lembra que para acessar a sua carteira de Bitcoin, por exemplo, é necessário usar uma chave de acesso privada? 

Comprando criptomoedas pelo PicPay, essa chave fica segura e você consegue fazer as transações apenas com a senha do aplicativo.

Cuidado com os golpes envolvendo criptomoedas

Além de descobrir se investir em criptomoedas é seguro, temos um alerta para você: cuidado com os golpes virtuais.

Existe mais de um golpe da criptomoeda, sendo que praticamente todos exploram o lado humano para as fraudes.

Ataques phishing

O phishing é um tipo de golpe que tenta enganar a vítima para que ela informe dados pessoais e de acesso a instituições financeiras. 

No universo cripto, esse tipo de ataque também é realizado por criminosos que buscam conseguir as chaves de acesso e senhas de usuários.

Tome muito cuidado com comunicações por e-mail, SMS, ligação telefônica e até WhatsApp que solicitem informações desse tipo.

Golpes de pirâmide financeira envolvendo criptomoedas

Outro tipo de golpe que também tem se aproveitado da popularidade das criptomoedas é o da pirâmide financeira.

Em resumo, a empresa falsa induz a vítima a fazer algum investimento e também a atrair novos clientes para o esquema, em troca de recompensas.

Por isso preste atenção e tenha um pé atrás com corretoras que não são conhecidas e que oferecem retornos irreais, principalmente se elas tiverem esse discurso de que você pode ganhar mais se trouxer mais clientes. 

Leia mais: Como saber se uma instituição financeira é confiável?

Puxada de tapete

Outro tipo de golpe é chamado de rug pull, ou puxada de tapete em português. Segundo a Chainalysis, 40% das fraudes com criptomoedas em 2021 foram com essa metodologia.

Basicamente, os criadores da criptomoeda compram o ativo em massa, para o preço subir, e depois também fazem a venda de uma só vez, fazendo o valor despencar. 

É por conta disso que você precisa sempre se atentar à reputação da criptomoeda, ainda mais se ela tiver sido lançada a pouco tempo. 

Respondemos à sua pergunta se investir em criptomoedas é seguro? Saiba que temos mais conteúdos para proteger o seu dinheiro de golpes e fraudes, em nossa editoria de segurança digital!

Esse conteúdo foi útil? Deixe aqui sua avaliação

Média da classificação 3.9 / 5. Número de votos: 7

Compartilhe este Post:

Conteúdos relacionados