Como fazer uma reserva de emergência? Confira o guia!

Entenda o que é uma reserva de emergência, aprenda como construir a sua do zero, onde investir e descubra como conseguir juntar dinheiro

18 de agosto de 2022 Atualizado em 9 de setembro de 2022

Se você perdesse suas fontes de renda hoje, por quanto tempo conseguiria se manter? E caso você tivesse alguma despesa inesperada, teria condições de arcar com os gastos sem se endividar? Para situações como essas é fundamental ter um dinheiro guardado. Este valor é chamado de reserva de emergência

Neste conteúdo, você vai aprender tudo que você precisa saber sobre reserva de emergência: o que é, quanto guardar, como fazer, onde investir e em que não utilizar.

De acordo com uma pesquisa do Banco de Desenvolvimento da América Latina, quase um terço dos brasileiros teriam dinheiro para arcar com as próprias despesas durante no máximo um mês

O estudo, de 2021, ainda revela que pouco mais da metade das pessoas teriam condições financeiras para se manterem por até três meses. 

Isso ocorre principalmente porque apenas um a cada três brasileiros tem o hábito de poupar dinheiro, segundo o levantamento.

Como está a sua situação hoje? Você tem alguma reserva financeira que pode te salvar em algum momento difícil? Se a resposta for não e você quer aprender como fazer uma reserva de emergência, este material é para você! 

O que é uma reserva de emergência?

A reserva de emergência é um dinheiro guardado especificamente para momentos de necessidade, como o pagamento de uma conta inesperada ou de despesas do dia a dia caso você perca o emprego ou renda. 

Fazer uma reserva de emergência é o primeiro passo tanto para quem quer começar a investir quanto para quem deseja organizar a vida financeira. Ou seja, é um engano pensar que essa reserva deve ser feita apenas por quem faz investimentos.

Leia mais: Como investir dinheiro com segurança?

É muito importante ter em mente que o dinheiro da reserva de emergência deve ser usado apenas quando você precisar e não quando quiser. 

Qual a importância de se ter uma reserva de emergência?

Para falar sobre a relevância de se ter uma reserva de emergência, é necessário explicar um pouco sobre o contexto econômico dos brasileiros. 

Uma pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) de agosto deste ano mostrou que só 29% da população brasileira poupa dinheiro. Mas por que isso acontece? 

Por um lado, falta uma educação financeira mais difundida e muitas pessoas realmente não sabem sobre a importância de guardar dinheiro. 

Por outro, os orçamentos das famílias estão cada vez mais curtos, com a inflação em alta.

É o que mostra o mesmo estudo citado acima: um a cada quatro brasileiros não tem dinheiro para pagar todas as contas do mês. O resultado disso? A população nunca esteve tão endividada. 

De acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência, realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), em julho de 2022 o percentual de endividados atingiu o maior patamar da história do levantamento: 78%.

Esse contexto mostra a importância de se ter uma reserva de emergência. Com dinheiro guardado e disponível, você fica protegido de contrair dívidas caso você passe por algum problema e não consiga pagar todas as contas do mês.

Para quem quer começar a investir, a reserva financeira é fundamental para que você tenha segurança para fazer outros investimentos mais arriscados com o restante do seu dinheiro. 

Reserva de emergência: quanto guardar?

Uma das dúvidas mais frequentes sobre esse tema é como calcular o valor da reserva de emergência. Não existe uma resposta padrão, mas, de forma geral, os especialistas recomendam que você guarde um valor que supra seus gastos durante pelo menos seis meses

Então para saber quanto deve ser a reserva de emergência, você precisa primeiro calcular o seu gasto médio mensal. Leve em consideração gastos essenciais, como moradia, transporte, alimentação e saúde. 

Basicamente o cálculo do tamanho da reserva é feito pelo valor do seu gasto médio mensal multiplicado pelo número de meses que você quer garantir financeiramente.

RESERVA FINANCEIRA = SEU GASTO MENSAL X NÚMERO DE MESES GARANTIDOS

Para ficar mais claro, vamos supor que o seu núcleo familiar tem um gasto mensal de R$ 1,5 mil e você pretende fazer uma reserva de pelo menos seis meses. A conta ficaria da seguinte forma: 

RESERVA FINANCEIRA = SEU GASTO MENSAL X NÚMERO DE MESES GARANTIDOS

RESERVA FINANCEIRA = 1.500 X 6

RESERVA FINANCEIRA = R$ 9 mil

Esse número pode parecer muito dinheiro, mas é importante que você comece para conseguir chegar nele um dia. É melhor guardar um pouco do que não guardar nada.

Continue a leitura que vamos te dar dicas de como conseguir fazer essa reserva de emergência mesmo ganhando pouco. 

Em relação ao número de meses que pretende garantir, você tem que analisar a sua realidade. Quem é funcionário público, por exemplo, pode ter uma reserva de  emergência menor, já que o emprego é estável. 

Já quem é contratado, precisa levar em consideração o risco de demissão. Quem é autônomo, a falta de garantia. Quem é empresário, a possibilidade de passar por um mau momento no negócio. 

Esses são apenas alguns exemplos de como o valor da reserva de emergência pode mudar de acordo com cada caso. Por isso é crucial que você considere esses fatores para fazer o cálculo. 

Como fazer uma reserva de emergência?

Agora que já sabe como calcular o valor da reserva de emergência, é hora de iniciar o processo de juntar dinheiro para essa finalidade. 

Para facilitar a sua vida, vamos indicar cinco passos para fazer uma reserva de emergência de forma simples. 

1. Se organize

Provavelmente você não vai conseguir criar uma reserva de emergência da noite para o dia. É preciso ter comprometimento e paciência para alcançar o objetivo de juntar dinheiro. 

Atenção! Caso você tenha dívidas, comece quitando os seus débitos. Isso é importante para que você fique livre dos juros da dívida e consiga se organizar para fazer a reserva financeira. 

Leia mais: Como quitar dívidas ganhando pouco em 5 passos

O primeiro passo é fazer um bom planejamento financeiro pessoal, calculando a sua renda mensal e todos os seus gastos ao longo do mesmo período. Só assim você saberá de quanto precisa e como conseguir esse valor.

Depois de analisar as suas finanças, é momento de traçar estratégias para conseguir juntar o montante necessário. Duas possibilidades são: economizar dinheiro e buscar maneiras de fazer renda extra. Vamos falar mais sobre isso nos próximos passos.

Uma dica de ouro é estipular um valor fixo mensal e colocar essa despesa como obrigatória, junto com outros gastos essenciais, como moradia, por exemplo. 

2. Economize

Não tem sobrado dinheiro suficiente para que você possa guardar no fim do mês? Então é hora é hora de identificar maneiras de cortar gastos e economizar, com o seu planejamento financeiro em mãos.

Para te ajudar, temos um conteúdo próprio com 20 dicas de como economizar dinheiro no seu cotidiano. 

É fundamental que você envolva todas as pessoas da sua casa nesse processo de organização financeira. Até mesmo atitudes simples, como economizar energia elétrica, podem te auxiliar nesse processo.

3. Aproveite receitas excedentes

Todo dinheiro é bem-vindo para fazer uma reserva de emergência. Por isso, uma tática para chegar ao montante estipulado de forma mais rápida é aproveitando receitas como 13º salário e bônus. 

O mesmo vale para quem gerencia o próprio negócio. Você registrou um faturamento acima do esperado para o mês? Guarde esse valor para a sua reserva financeira.

4. Faça uma renda extra

Se você tiver dificuldade para juntar dinheiro mesmo economizando, uma alternativa interessante é buscar maneiras de conseguir uma grana extra.

Quer saber mais sobre isso? Veja nove sugestões de como fazer renda extra pela internet ou até mesmo no mundo offline. 

5. Tenha comprometimento

Além das dicas práticas de como juntar dinheiro para fazer uma reserva de emergência, também cabe aqui um conselho motivacional: não desista, mesmo que a sua situação financeira não esteja tão boa.

Mentalize que é melhor ter um mês de reserva financeira do que nenhum e faça de tudo para não usar esse dinheiro para gastos que não sejam emergenciais. 

Quer exemplos de onde não usar a reserva de emergência? Contas do cotidiano que são recorrentes, gastos com lazer, compra de algum veículo, reforma da casa, viagem e etc. 

6. Escolha a melhor aplicação para deixar o seu dinheiro

O último passo é decidir onde investir reserva de emergência. Como esta etapa é muito essencial, vamos falar com mais detalhes em um tópico próprio, logo abaixo. 

Onde guardar reserva de emergência em 2022?

Para escolher o melhor investimento para reserva de emergência, você precisa procurar por alguma aplicação segura e que permita que você resgate o dinheiro a qualquer momento.

Você já deve ter ouvido o termo liquidez diária, certo? Caso você não esteja habituado, basicamente significa que é possível fazer o resgate do investimento no dia que você precisar.

Então quando você buscar onde deixar a reserva de emergência, priorize opções com liquidez diária. Para garantir a segurança, opte por instituições financeiras confiáveis. 

Leia mais: Como saber se uma instituição financeira é confiável?

No caso desse tipo de reserva, a liquidez é mais importante que a rentabilidade. Mas isso não significa que você não deve se preocupar com isso também. Em vez de deixar o dinheiro na poupança, invista em alguma aplicação com mais retorno. 

Com a alta da Selic, que é a taxa de juros básica da economia brasileira, os investimentos em renda fixa, como Tesouro Direto, CDB e LCI/LCA, são ótimas opções, mesclando segurança e boa rentabilidade.

Qual o melhor CDB para reserva de emergência?

Existem várias opções de investimento em CDB, que são os Certificados de Depósito Bancário. Normalmente, o rendimento desse tipo de aplicação está atrelado ao CDI

No momento de escolher onde investir a sua reserva de emergência, busque algum produto que te dê um retorno de mais de 100% do CDI, mas lembre-se que é crucial que o investimento tenha liquidez diária.

Leia mais: Investimento CDB: conheça os tipos e saiba como investir

Quer uma opção mais simples ainda? Você pode deixar o seu dinheiro no PicPay, onde ele rende 102% do CDI, diariamente, sem a necessidade de contratar algum produto de investimento.

A sua reserva é aplicada em CDBs, que contam com garantia de até R$ 250 mil pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC). 

Então o PicPay é uma boa opção para reserva de emergência? Sim, a carteira do maior aplicativo de pagamentos do país é um combo perfeito entre rentabilidade, liquidez e segurança.

Leia mais: Quanto rende 20 reais no PicPay ou até valores superiores?

O PicPay também pode te ajudar caso você queira entrar no mundo dos investimentos. Além da reserva de emergência na carteira, você pode diversificar as aplicações com o Clube de Empréstimos.

Gostou deste conteúdo sobre reserva de emergência e quer mais dicas para cuidar das suas finanças? Aprenda mais em nossa editoria de planejamento financeiro!

Esse conteúdo foi útil? Deixe aqui sua avaliação

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 5

Compartilhe este Post:

Conteúdos relacionados