O que é IOF, como funciona e quando é cobrado?

Entenda tudo sobre o que é IOF adicional, de financiamento, rotativo e outros e descubra quanto você vai pagar em cada situação com um cálculo simples

2 de dezembro de 2022

Talvez você já tenha ouvido a sigla por aí, mas não sabe muito bem o que é IOF. O Imposto Sobre Operações Financeiras é cobrado em algumas transações do nosso dia a dia, e por isso é tão importante entender melhor como funciona. 

Além de conhecer mais sobre um imposto que está muito presente no cotidiano, saber quais são as alíquotas de IOF e quando são cobradas pode ajudar a fazer escolhas melhores e, com isso, economizar dinheiro.

O que é IOF?

A sigla IOF se refere ao Imposto Sobre Operações Financeiras que, como o nome já diz, incide sobre algumas transações.

Mas, na prática, o que é imposto IOF? O IOF é cobrado de pessoas físicas e as pessoas jurídicas em operações de crédito, câmbio e seguro ou relacionadas a títulos ou valores mobiliários.

Pode parecer complicado, né? Mas provavelmente você já se deparou com o IOF por aí, seja na fatura do cartão de crédito ou ao escolher um investimento.

Existem várias situações do dia a dia que podem levar à cobrança de IOF. Alguns exemplos são:

  • Fazer compras com o cartão de crédito em lojas fora do país (na hora de viajar ou até online);
  • Fazer um empréstimo ou um financiamento;
  • Comprar ou vender moedas estrangeiras;
  • Usar o cheque especial;
  • Usar o crédito rotativo;
  • Fazer o resgate de um investimento;
  • Contratar um seguro.

Como funciona a cobrança de IOF sobre operações financeiras?

O valor do IOF que você vai pagar depende de qual é a operação realizada. O imposto varia por tipo de transação, de acordo com o valor transacionado e também com o período.

Confira na tabela abaixo o IOF cobrado em cada situação. Em seguida, vamos detalhar os principais.

OperaçãoCobrança de IOF
Compras internacionais no cartão de crédito6,38%
Rotativo do cartão de crédito0,38% + 0,0082% ao dia
Cheque especial0,38% + 0,0082% ao dia
Empréstimo pessoal0,38% + 0,0082% ao dia
Empréstimo consignado0,38% + 0,0082% ao dia
Financiamentos0,38% + 0,0082% ao dia (pessoas físicas) ou 0,0041% ao dia (pessoas jurídicas)
Seguro de vida e acidentes pessoais0,38%
Seguro de bens7,38%
Envio de recursos do exterior para o Brasil0,38%
Envio de recursos do Brasil para o exterior1,1% (mesma titularidade) ou 0,38% (titularidades diferentes)
Compra de moeda estrangeira1,1%

Vale dizer que a alíquota diária do IOF, que você vê em financiamentos e empréstimos na tabela acima, foi reduzida em janeiro de 2022, depois de ter passado por um aumento de 36% no ano anterior.

O que é IOF adicional?

Na tabela acima, você deve ter reparado que a taxa “0,38%” se repete várias vezes, certo?

É o IOF adicional, uma taxa fixa cobrada apenas uma vez sobre o valor liberado em empréstimos ou financiamentos.

O que é IOF no cartão de crédito?

O IOF é um imposto cobrado na sua fatura do cartão de crédito quando você faz compras no exterior, seja usando um site estrangeiro ou estando pessoalmente no país.

Esse imposto também incide sobre as compras internacionais feitas com o cartão pré-pago, daqueles que você carrega com um valor determinado antes de fazer uma viagem.

O IOF para compras internacionais é de 6,38% sobre o valor pago pelo produto ou serviço.

Se você vai viajar para fora do país, ative antes o Aviso viagem do PicPay Card!

Uma forma de economizar no pagamento de IOF em viagens é levar dinheiro em espécie, porque o imposto nesses casos é bem menor, de 1,1%.

Leia mais: Como comprar dólar online ou outras moedas no app PicPay

Vale lembrar que não é preciso pagar IOF se você fez uma compra no Brasil, à vista ou parcelada. Isso só vai acontecer caso você caia no rotativo do cartão de crédito.

Mas o que é IOF rotativo, afinal? De um jeito simples, ele acontece quando você não paga o valor total da fatura do cartão, apenas o valor mínimo. Automaticamente, você cai no rotativo.

Já detalhamos o crédito rotativo em um conteúdo dedicado só para ele, caso você queira saber mais.

Um exemplo: sua fatura foi de R$ 1 mil, e você fez o pagamento do valor mínimo, de R$ 200. Nesse caso, os R$ 800 que restaram vão sofrer a cobrança de IOF.

No caso do rotativo, o imposto cobrado é 0,38% do valor mais uma taxa diária de 0,0082% até que o montante seja quitado.

O que é IOF de financiamento?

O IOF é cobrado no primeiro ano de um financiamento. Além do IOF adicional (0,38%), também incide sobre a operação uma taxa diária, que é de 0,0041% ao dia para pessoas jurídicas e de 0,0082% ao dia para pessoas físicas.

Importante: a compra de imóveis residenciais é isenta de IOF, mas a aquisição de imóveis não residenciais sofre a cobrança.

O que é IOF de empréstimos?

O IOF para empréstimo pessoal, empréstimo consignado, cheque especial assim como em financiamentos, é de uma taxa fixa de 0,38% e mais 0,0082% por dia, até o momento em que o valor seja pago totalmente.

Como calcular o IOF de financiamentos, empréstimos e rotativo do cartão?

Nessas três operações, o IOF funciona de um jeito bem parecido: há a cobrança de uma taxa fixa, de 0,38%, mais um adicional de 0,0082% por dia, até que o valor seja todo pago. Por isso, você pode usar o mesmo cálculo.

Vamos dar um exemplo simples para calcular o IOF de financiamento ou empréstimo. Digamos que você, como pessoa física, financiou R$ 30 mil em 400 dias. Para calcular o imposto, siga os passos:

  • IOF adicional (cobrado na liberação do financiamento): R$ 30 mil x 0,38% = R$ 114
  • IOF básico (soma dos valores da alíquota diária): R$ 30 mil x 400 x 0,0082% = R$ 984
  • IOF total do financiamento: R$ 114 + 984 = R$ 1.098

Ah! Não esqueça: para pessoas jurídicas, a alíquota diária do IOF é de 0,0041%. É só substituir o valor no cálculo acima.

IOF para compra de moeda estrangeira ou envio e recebimento de recursos do exterior

Em operações de câmbio, ou seja, na compra ou venda de moedas estrangeiras em espécie, você vai pagar 1,1% de IOF.

Em transferências internacionais, o valor do IOF é de 0,38% para terceiros e 1,1% para contas de mesma titularidade.

Já o IOF para transferências internacionais é de 0,38% para terceiros e 1,1% para contas de mesma titularidade.

Leia mais: Como enviar dinheiro para o exterior ou receber no PicPay?

O que é IOF de seguros?

Comprar um seguro também tem cobrança do Imposto Sobre Operações Financeiras. O valor pode variar entre 0,38% e 25%, que é o máximo permitido para esse tipo de transação.

No caso dos seguros, a cobrança também pode ser feita sobre o prêmio ou sobre o valor pago à seguradora.

O IOF sobre o seguro de vida ou contra acidentes pessoais é de 0,38%, enquanto o de bens, como o carro, por exemplo, é de 7,38%.

Leia mais: Tudo sobre o seguro para proteção de conta digital do PicPay

Existe isenção de IOF nos casos de resseguros e seguros relacionados a financiamentos imobiliários habitacionais.

IOF para investimentos

No caso dos investimentos, a cobrança do IOF está relacionada ao tempo que dura aquela aplicação. Isso significa que, quanto mais tempo o dinheiro ficar investido, menos IOF será cobrado.

O IOF nos investimentos é cobrado principalmente quando há o resgate de alguns títulos de renda fixa antes de 30 dias, como o investimento em CDBs e títulos do Tesouro Direto.

Isso acontece porque esse imposto segue uma tabela regressiva. À medida que o dinheiro fica rendendo por mais tempo, a alíquota cobrada diminui, e chega a zero depois de 30 dias. Se o resgate do investimento for feito após mais de 30 dias, não há cobrança de IOF.

Existem alguns tipos de investimentos sujeitos à cobrança de IOF. São eles:

  • Tesouro Direto;
  • CDB;
  • LC;
  • Fundos DI;
  • Fundos de investimento de curto prazo.

Vale lembrar que investimentos em LCI e LCA e deixar o dinheiro na poupança são isentos de IOF.

Confira a incidência de IOF de acordo com o dia de resgate do investimento na tabela abaixo:

Período de aplicaçãoIncidência de IOF
1 dia96%
2 dias93%
3 dias90%
4 dias86%
5 dias83%
6 dias80%
7 dias76%
8 dias73%
9 dias70%
10 dias66%
11 dias63%
12 dias60%
13 dias56%
14 dias53%
15 dias50%
16 dias46%
17 dias43%
18 dias40%
19 dias36%
20 dias33%
21 dias30%
22 dias26%
23 dias23%
24 dias20%
25 dias16%
26 dias13%
27 dias10%
28 dias6%
29 dias3%
30 dias0%

Por que o IOF é cobrado?

Agora que você já sabe o que significa IOF, pode estar se perguntando porque existe esse imposto.

Como outros tributos federais, o IOF é uma maneira de gerar arrecadação para o governo. 

Por ser um imposto cobrado em operações financeiras, ele também ajuda a “medir a temperatura” da economia, ou seja, se ela está aquecida ou não.

Isso é avaliado, entre outros fatores, a partir de quanto crédito as instituições financeiras têm oferecido às pessoas físicas e empresas, oferta que costuma aumentar em momentos econômicos com a taxa de juros menor e mais crescimento do PIB.

Existe como evitar a cobrança de IOF?

Não existe como não pagar IOF, já que é um tributo sobre operações financeiras. Mesmo assim, é possível fazer escolhas estratégicas para evitar pagar as maiores taxas. Por exemplo:

  • Em viagens internacionais, escolha fazer compras em dinheiro em espécie, já que a alíquota de IOF é menor do que a paga no cartão de crédito;
  • Faça um controle financeiro pessoal para evitar o cheque especial ou o crédito rotativo, que têm juros muito altos e ainda sofrem a cobrança de IOF;
  • Na hora de investir, evite resgatar títulos antes de 30 dias para fugir do imposto. 

E aí, gostou das dicas? Então vem conferir outros conteúdos de educação financeira que preparamos para você!

Esse conteúdo foi útil? Deixe aqui sua avaliação

Média da classificação 3.9 / 5. Número de votos: 7

Compartilhe este Post:

Conteúdos relacionados