O que é e como investir em NFT? Saiba tudo sobre o mercado

Confira os segredos para quem quer aprender como investir em NFTs, as vantagens e riscos e como eles se tornaram tão populares

26 de maio de 2022

Você já pensou em comprar um meme, esses vídeos e fotos que viralizam nas redes sociais? Hoje em dia, isso é possível graças ao NFT. Tanto é que ele se tornou uma forma de aplicar dinheiro, e muitas pessoas querem aprender como investir em NFT.

Um exemplo ficou super famoso em 2021. O Nyan Cat, um meme que mostrava um gato flutuando pelo espaço e seguido por um arco-íris, viralizou em 2011 e foi vendido, no ano passado, por US$ 590 mil (isso mesmo, dólares) em um leilão que durou mais de 24 horas.

É claro que ainda é possível encontrar o meme do Nyan Cat ao fazer uma pesquisa simples no Google. Mas a versão original do meme foi arrematada. É isso que os NFTs permitem fazer.

Se tudo ainda parece muito distante da sua realidade, não precisa se preocupar. Vamos explicar melhor o que é e como funciona o mercado de NFTs, além de falar sobre como é possível fazer investimento nesses ativos.

O que é NFT?

NFT, abreviação da sigla Non-fungible Token, que em português significa token não fungível, é um certificado digital que representa objetos reais. Pode ser qualquer coisa negociada na internet, como uma obra de arte, o item de algum jogo virtual, um post ou uma música.

Comprar um NFT significa que você tem a exclusividade e originalidade daquele bem. Por mais que possam existir cópias dele por aí na internet, como no caso do Nyan Cat, quem tem o NFT é detentor da versão original de um determinado objeto.

A partir do momento em que se torna possível comprar um NFT, você pode imaginar que mais pessoas podem ser atraídas por essa possibilidade. Com isso, surgiu todo um mercado em torno desses ativos digitais.

Mas por que um nome tão difícil, afinal? O que significa ser um “token não fungível”? Um NFT é um código de computador, registrado por meio da tecnologia blockchain. O token representa a posse sobre algo ou parte daquela coisa.

Já o fato de ser não fungível significa que não pode ser trocado por outro, é único. Um exemplo do contrário, que seria um item fungível (portanto, que pode ser trocado), é uma nota de R$ 100, que pode ser alterada para duas notas de R$ 50.

O fato de ter registro por meio de blockchain faz com que os NFTs sejam rastreáveis e também seja possível identificar sua origem. 

Como o ativo é criptografado com blockchain, é possível verificar publicamente o histórico de transações. Com isso, é simples comprovar a propriedade sobre um NFT e é quase impossível manipular as informações para “furtar” um deles.

Dessa forma, os NFTs permitem criar a “escassez” de um item digital, ou seja, apenas uma pessoa pode ser dona da versão original, como no caso do Nyan Cat.

E isso tem tudo a ver com a origem do NFT. O primeiro foi criado em 2014 como uma forma de permitir novas fontes de rendas a artistas, assim como garantir a eles um maior controle sobre o seu trabalho.

Os criadores do NFT foram o artista Kevin McCoy e o empreendedor Anil Dash. O primeiro token não fungível foi chamado Namecoin e registrava um videoclipe que a esposa de Anil Dash havia feito.

Qual a relação entre criptomoedas e NFT?

O exemplo da nota de R$ 100, que pode ser trocada por duas de R$ 50 e ainda manter seu valor, ajuda a entender a relação entre NFT e criptomoedas. A principal diferença é que os NFTs não são fungíveis, enquanto moedas digitais são.

Leia mais: O que é criptomoeda: guia completo sobre o investimento

Isso porque um NFT é único, não pode ser trocado ou alterado. Já as criptomoedas funcionam de forma similar ao dinheiro físico.

Muitas pessoas relacionam NFT e criptomoedas justamente porque o pagamento de um NFT costuma ser feito por meio de cripto. Além disso, a tecnologia que permite a existência de NFT e criptomoedas é a mesma: o blockchain.

É possível pensar no blockchain como uma espécie de cartório virtual, dentro do qual existem muitas certidões que representam alguma coisa. E os donos dos NFTs têm direitos sobre aquelas coisas.

Por que NFT se tornou tão popular?

Talvez você já tenha escutado falar sobre NFTs por aí. O termo ficou tão popular que, em 2021, NFT foi escolhida como a palavra do ano pelo dicionário britânico Collings, apesar de eles existirem desde 2014.

Essa popularidade também foi ajudada porque diversas celebridades resolveram investir nesse mercado. O NFT do Neymar, jogador de futebol, é um exemplo.

Neymar comprou duas peças da coleção do Bored Ape Yacht Club (BAYC) em 2022, por 349,68 ETH (ethereum, um tipo de criptomoeda), ou o equivalente a US$ 3,3 milhões em maio deste ano.

O BAYC funciona como um clube exclusivo e detém uma das coleções mais valiosas de NFTs do mercado. 

Eles são os responsáveis pelos famosos “NFT macaco”, que mostram avatares de macacos entediados que se tornaram uma referência dos tokens não fungíveis (inclusive, o nome do clube traduzido em português quer dizer algo como “Iate Clube do Macaco Entediado”).

O clube tem ainda outras celebridades como integrantes, como o apresentador Jimmy Fallon, o cantor Justin Bieber e o rapper Eminem.

A compra do NFT do macaco não significa que não é possível reproduzir a imagem do animal na internet ou até utilizá-la em uma camiseta, por exemplo. Mas indica que a pessoa que tem aquele NFT é a única que detém os direitos originais sobre aquela obra.

Se você pensar em obras de artes famosas, fica mais fácil entender. Por exemplo, muitos produtos hoje em dia utilizam a figura da Mona Lisa, pintura feita por Leonardo Da Vinci. Mas existe apenas uma original, que está no Museu do Louvre, na França.

O fato do NFT ser o certificado de que a obra é original e permitir que sua origem seja rastreada tornou esse ativo digital um forte símbolo de status, quase como se fossem itens de uma coleção de obras de arte.

Como funciona o mercado de NFT?

Se você quer aprender como investir em NFT, precisa antes entender como funciona esse mercado. Ele foi o que mais cresceu no universo das criptomoedas e blockchain nos últimos anos.

Leia mais: Quer investir no PicPay? Entenda como

O mercado de NFT funciona a partir da compra e venda desses ativos, por meio de plataformas especializadas. Entre as mais conhecidas, estão a OpenSea e a LooksRare. Também é possível fazer a negociação diretamente entre o vendedor e o comprador.

Segundo um relatório do Nonfungible.com, base de dados sobre o mercado de NFT, as vendas bateram recorde em 2021. O crescimento, de acordo com a empresa, foi de 21.000% entre 2020 e o ano passado.

Se 2021 foi o ano em que os NFTs estouraram, 2022 pode ser ainda melhor, segundo um estudo da empresa de análises em blockchain Chainalysis.

A companhia indica que, apenas no primeiro trimestre de 2022, um milhão de carteiras compraram ou venderam um NFT, enquanto no último trimestre de 2021 esse número foi de 600 mil. Com isso, a Chainalysis aponta que 2022 promete um crescimento expressivo. 

No entanto, esse mercado é muito volátil, ou seja, inconstante e com diversas oscilações entre momentos de forte alta e de grande queda.

Por isso é tão importante se aprofundar no tema antes de investir em NFTs, que são considerados um ativo de risco.

No início de maio de 2022, as compras e vendas dos tokens não fungíveis registraram uma queda de mais de 90% em relação a setembro de 2021, segundo o próprio Nonfungible.com.

Alguns fatores impactam esse mercado, sejam eles da economia em geral ou especificamente ligados à lógica dos NFTs. Por exemplo, o cenário atual de alta de juros em todo o mundo tende a prejudicar ativos de risco, como é o caso dos tokens.

Assim como em todos os mercados, a relação entre a oferta e a demanda de um produto, ativo ou serviço também é fundamental para determinar o seu preço.

Segundo a empresa Chainalysis, dados de abril de 2022 mostram que há cerca de cinco NFTs para cada comprador. Ou seja, existe mais oferta de NFTs do que pessoas que querem comprar. Com isso, a tendência é que o preço médio caia.

Esse cenário pode ser uma oportunidade para quem busca comprar NFT, já que se torna mais barato. No entanto, vale lembrar que não existe garantia de valorização no futuro.

Leia mais: O que é CDI e como fazer o dinheiro render no PicPay?

Mas o que causa, por exemplo, a valorização de um NFT? No começo deste conteúdo, comparamos o mercado de tokens não fungíveis com o de obras de arte. E a lógica por aqui também é similar.

Uma pintura como a da Mona Lisa vê seu valor em dinheiro crescer ao longo dos anos, porque se torna mais importante culturalmente e até para a história. Os NFTs têm um status parecido com obras de arte nesse sentido, especialmente em um mundo cada vez mais digital.

Ou seja, se o NFT em questão for visto pelas pessoas como algo de valor, como uma obra de arte ou um item muito exclusivo, ele pode se valorizar. 

É possível que muitos colecionadores se aproximem desse mercado, à medida que acreditam que podem encontrar nele os próximos grandes artistas do nosso tempo, como foi da Vinci.

Hoje em dia, o preço de um NFT e de uma obra de arte importante já não estão mais tão distantes.

Um exemplo: o quadro “Mulher sentada junto a uma janela”, do artista espanhol Pablo Picasso, foi vendido em um leilão por US$ 103,4 milhões. Já a NFTs mais cara do mundo até o momento foi arrematada por US$ 91,8 milhões, e na verdade se trata de uma série de NFTs: é o The Merge, do artista digital Pak.

No caso do The Merge, quase 29 mil pessoas compraram 312 mil cotas. Com isso, o autor, Pak, se tornou o artista vivo com a obra mais valiosa da história.

Confira outros NFTs que figuram entre as mais caras do mundo até agora:

  1. The Merge (Pak) – US$ 91,8 milhões
  2. Everydays: The First 5000 Days (Beeple) – US$ 69,3 milhões
  3. Human One (Beeple) – US$ 28,98 milhões
  4. CryptoPunk #7523 – US$ 11,75 milhões
  5. CryptoPunk #3100 – US$ 7,67 milhões
  6. CryptoPunk #7804 – US$ 7,6 milhões
  7. Crossroad (Beeple) – US$ 6,6 milhões
  8. A Coin for the Ferryman (XCopy) – US$ 6,03 milhões
  9. Ocean Front (Beeple) – US$ 6 milhões
  10. CryptoPunk #5217 — US$ 5,59 milhões

Mas existem diversos outros exemplos fora do mundo da arte, que já chegaram inclusive ao futebol. No Brasil, o clube Vasco da Gama lançou um portal de tokens digitais e vendeu um NFT por R$ 6,5 mil. Outros casos são os times São Paulo, Palmeiras, Corinthians e Santos.

Jogos NFT: como funcionam?

Os jogos NFT são um caso de uso também muito popular. O uso desses games, que cresceram muito em 2021, é baseado no que se chama de “play-to-earn” (jogue para ganhar, na tradução em português). Assim, muitas pessoas buscam jogos NFT para ganhar dinheiro.

Um jogo NFT permite que o jogador compre um item dentro do blockchain e depois possa revendê-lo. Toda essa negociação acontece independentemente do próprio game.

Para entender melhor, vamos a um exemplo: no League of Legends (LoL), os gamers podem adquirir roupas para os personagens (chamadas de “skins”), que podem até garantir novas habilidades a ele no jogo.

Leia mais: Como fazer recarga de jogo pelo aplicativo PicPay

Só que, depois que a compra dessa “skin” é feita, o jogador não consegue recuperar o dinheiro investido. É como se você comprasse um tênis ou uma bolsa: você paga pelo item, e deixa de ter aquele dinheiro.

Por outro lado, um jogo NFT permite ganhar dinheiro, porque se o jogador comprar um item, pode revendê-lo para outro gamer (é o chamado mercado secundário, em que a negociação acontece diretamente entre comprador e vendedor). Um caso bem popular é o game Axie Infinity.

Além dele, outros jogos NFT famosos para quem busca ganhar dinheiro são Lucky Block (LCK), Pegaxy, Bomb Crypto, Light Nite e Zero NFT.

Uma curiosidade é que, mesmo que o game saia do ar, os NFTs continuam disponíveis para compra e venda.

Além da compra e venda de NFTs, esses jogos permitem ganhar dinheiro também à medida que o jogador avança nos níveis ou melhora sua posição no ranking e conquista novos tokens. Isso também pode ser vendido!

E como essa transação digital se transforma em dinheiro? Porque as moedas emitidas no jogo podem ser trocadas por criptomoedas, como bitcoin ou ethereum. Depois, é possível converter o valor para dólar ou real.

Como investir em NFT?

Como falamos ali em cima, o primeiro passo para investir em NFT é comprar criptomoedas em uma corretora, porque é por meio delas que você faz o pagamento.

Existem diversas criptomoedas famosas, e você pode optar por aquela que preferir. Qualquer pessoa pode fazer a compra. Para armazenar suas criptomoedas, será necessário ter uma carteira digital. 

E onde comprar NFT, então? Existem dois caminhos: por meio de plataformas especializadas, ou com a negociação diretamente entre o vendedor e o comprador.

Em seguida, depois de definir a forma como quer arrematar seu NFT, é só escolher a coleção que deseja e a NFT que quer comprar. E, então, é possível fazer uma oferta de valor.

Esses são os mesmos passos de como vender NFT: tanto a compra quanto a venda ocorrem por meio da relação entre investidores, seja por meio das plataformas ou da negociação direta entre eles.

É importante lembrar que cada investidor deve checar as taxas envolvidas na negociação, que podem variar de acordo com a empresa escolhida para fazer a compra ou venda.

Existe, por exemplo, uma taxa, conhecida como gas, que precisa ser paga na hora em que o investidor faz a compra do NFT.

Como ganhar dinheiro com NFT?

NFT pode ser um tipo de investimento. Dessa forma, é possível ganhar dinheiro ao investir nesse mercado.

Mas é preciso muita atenção: esses ativos são considerados arriscados e é preciso estar por dentro do seu funcionamento e dos riscos antes de entrar.

Entenda o que considerar antes de investir em NFT:

Perfil do investidor: investir em ativos de risco não é para todo mundo e deve ser feito com muito cuidado, conhecimento, e com apenas uma parte do valor que você tem para aplicar. Entenda melhor o que é o perfil do investidor.

Economia: o momento econômico influencia o mercado de NFTs, assim como todos os outros. Atualmente, o cenário de alta de juros prejudica investimentos considerados mais arriscados, por exemplo.

Rentabilidade: como você viu, o mercado cresceu muito nos últimos anos e há quem acredite que a tendência é que essa valorização continue. No entanto, tudo isso varia de acordo com qual é o NFT em que você pretende investir.

Valorização: a valorização é um mistério. Lembre-se que não há nenhuma garantia de valorização do NFT, ou seja, de que você vai vendê-lo por um valor maior do que aquele que pagou e, portanto, vai ter lucro.

Caráter do NFT: antes de comprar, é fundamental entender se você vai adquirir uma obra original, única, ou apenas uma série colecionável e limitada, por exemplo. Isso define tanto o preço quanto a potencial valorização daquele ativo.

Segurança: é preciso ficar atento a possíveis golpes e sempre buscar plataformas confiáveis.

Liquidez: a liquidez define quão rápido é possível vender um ativo que você tenha para recuperar o dinheiro investido nele. No caso de NFTs, é comum não conseguir vendê-los tão rápido, especialmente pelo preço desejado.

Oferta e demanda: dados da empresa Chainalysis de abril de 2022 mostram que, atualmente, existem cerca de cinco NFTs para cada comprador. Ou seja, existe mais oferta de NFTs do que pessoas que querem comprar. Isso pode reduzir o preço.

Qualquer pessoa pode criar NFT?

Qualquer pessoa pode aprender como criar NFT do zero. Tudo pode ser transformado em NFT, mas é preciso que o criador seja proprietário daquilo que vai criar como um token não fungível.

Isso porque o NFT se refere a um registro de um ativo em blockchain. Portanto, só o detentor daquela bem pode transformá-lo em um ativo digital.

Os NFTs mais comuns são obras de artes, memes, imagens, posts, itens de games, e músicas.

Por exemplo: o primeiro tweet do fundador do Twitter, Jack Dorsey, foi vendido como NFT em 2021 por quase US$ 3 milhões.

Você vai perceber que os primeiros passos para criar NFT são os mesmos que para quem deseja investir neles.

Olha só como criar NFT para vender em cinco passos:

  1. Crie uma carteira digital e armazene suas criptomoedas: a mais utilizada para NFTs é a Metamask, mas existem diversas opções no mercado. Se você quer aprender como criar NFT pelo celular, também é possível utilizar essa ferramenta ou outra que tenha versões de aplicativo para iOS e Android.

  1. Faça a conexão da sua carteira com um marketplace de NFTs: isso é importante para ter a custódia do item que vai ser criado. A OpenSea, que já mencionamos acima, é uma das mais conhecidas.

  1. Envie o ativo ou a coleção: você pode enviar o arquivo ou criar uma coleção para armazenar diversos NFTs juntos, que pode atrair mais compradores e até valorizar mais o preço de venda.

  1. Defina o preço: escolha as características do seu NFT e também o preço. Os pagamentos podem ser feitos de forma única ou o criador pode receber a remuneração a cada transação do ativo. Já sobre as características, o NFT pode ser único ou ser parte de uma série limitada de cópias.

  1. Conclua a criação do NFT: depois de confirmar as informações, é só validar o processo todo e concluir a criação do NFT. A partir daí, o token pode ser negociado nas plataformas especializadas ou ser enviado para outra carteira digital.

E aí, gostou de saber mais sobre NFTs? Se você quer aprender mais sobre investimentos e economia, confira também nosso conteúdo sobre o que provoca a queda ou alta do dólar, uma moeda que influencia a vida de todo investidor!

Esse conteúdo foi útil? Deixe aqui sua avaliação

Média da classificação 2.8 / 5. Número de votos: 8

Compartilhe este Post:

Conteúdos relacionados