Golpe do cartão de crédito: veja os principais e como evitar

Toda hora surge um novo golpe do cartão de crédito. Entenda como os criminosos agem e aprenda dicas para não ser a próxima vítima

28 de abril de 2023

Mesmo após a chegada do Pix, o cartão segue sendo uma das principais formas de pagamento dos brasileiros. Por isso, toda hora surge um novo golpe do cartão de crédito.

Os golpes do cartão de crédito são alguns dos preferidos dos criminosos, que estão sempre inovando na hora de atacar as vítimas. 

Segundo um levantamento feito neste ano pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), 22% dos entrevistados sofreram com alguma fraude nos últimos 12 meses. 

Desse total, 8% das pessoas afirmaram que o tipo de golpe financeiro de que foram vítimas foi a clonagem de cartão de crédito e/ou débito.

Para que você possa se proteger e ajudar familiares e pessoas próximas, trazemos aqui mais informações para você ficar de olho e não cair em um golpe.

Golpe do cartão de crédito: quais são os mais comuns?

São variados os tipos de golpes do cartão de crédito aplicados por criminosos. É importante entender quais são os principais, a lógica de funcionamento e as dicas para evitá-los. 

A partir de agora, vamos te contar quais são os golpes mais comuns de cartão de crédito. Em seguida, você confere as dicas para não cair em fraudes. Olha só:

Golpe da troca do cartão

Esse golpe é mais comum em casos de compras com vendedores ambulantes na porta de grandes eventos, como futebol ou shows, por exemplo.

O criminoso simula ter passado sua compra na maquininha, pedindo para você colocar a senha. Como muitas vezes as pessoas estão distraídas nesse momento, o golpista olha os números digitados na maquininha.

Leia mais: Golpe da maquininha: saiba os tipos e como se proteger

Aproveitando a desatenção do cliente, o golpista consegue ver os números da senha digitados, mas logo informa que a transação não foi efetuada, pedindo o cartão para passar a compra novamente. 

É nessa hora que, sorrateiramente, o criminoso efetua a troca do cartão, devolvendo um outro com características parecidas. Depois, com a sua senha em mãos, consegue trazer grandes prejuízos à vítima.

Golpe da mudança de valor

Na hora de realizar a compra, o criminoso dá a maquininha sem colocar o valor, pedindo a senha do cliente. Ao digitar os números sem perceber, a vítima entrega a maquininha com o cartão para o golpista. 

Em posse do aparelho, do cartão e da senha, ele se afasta e passa um valor maior de compra, simulando um teste, antes de dizer que a maquininha não estava funcionando. 

Depois disso, o criminoso pede para a vítima tentar novamente, com o valor correto, e faz a transação.

Golpe da falsa central

A vítima recebe uma ligação em nome da instituição financeira informando irregularidades na conta, pedindo para o cliente entrar em contato com o banco pelo telefone impresso no cartão.

Ao tentar encerrar a ligação, os golpistas conseguem se segurar na linha, sem que a pessoa perceba, e escutam a tentativa de contato com o banco.

Ao terminar de digitar o número, a vítima inicia o atendimento com uma Unidade de Resposta Audível (URA) falsa, porém idêntica à original, que solicita senhas de acesso e tokens. Ludibriada, a pessoa acaba passando as informações para os criminosos. 

Dados do cartão na internet

Esse é um dos golpes com cartão de crédito pela internet. Dados como nome impresso no cartão, número, data de validade e o código de segurança são descobertos por cibercriminosos. 

Geralmente, por meio de invasões ou pela inserção das informações em sites falsos ou no aparelho celular, em caso de roubos e/ou furtos. Depois disso, eles utilizam essas informações para realizar compras online com o cartão. 

Uma ótima forma de se proteger, nesse caso, é aprender como tirar seus dados do Google. Outra dica é sempre utilizar o cartão virtual em compras online.

O descarte do cartão com motoboy

A vítima recebe uma ligação em nome do banco, com a informação de que compras suspeitas foram feitas no cartão, orientando o cliente a ligar para a central de atendimento, que tem o número atrás do plástico.

Como no golpe da falsa central, criminoso consegue seguir na linha mesmo após a vítima desligar a ligação, mantendo a linha presa.

Usando uma URA falsa novamente, mas igual à verdadeira, os golpistas pedem dados pessoais e também a senha, que deve ser digitada no teclado do telefone.

Depois, a vítima é avisada que um motoboy vai retirar o cartão, que deve ser quebrado, com exceção do chip, que precisa estar intacto. Com isso, e mais a senha em mãos, os criminosos conseguem realizar compras.

Golpe do visor da maquininha

O golpe do visor quebrado costuma ser utilizado de formas diferentes pelos golpistas. 

A primeira é quando o falso vendedor informa que a tela da maquininha não está funcionando, afirmando que é possível o cliente conferir o valor pelo app, no aparelho celular dele. 

Mas, na verdade, o preço da compra na maquininha é muito superior ao que ele apresenta no celular, gerando grande prejuízo à vítima

Em uma outra modalidade, os criminosos tapam o visor da maquininha, alegando também um problema na tela, para ocultar o real valor que está sendo pago.

E, em uma terceira forma, que torna a percepção mais complexa, os golpistas instalam um programa que adultera o visor da maquininha. Ou seja, mesmo que a vítima veja o valor correto na hora de pagar, o preço original é muito superior.

Golpe do delivery

A vítima faz um pedido em um app de delivery, como o iFood ou o Rappi, por exemplo, e faz o pagamento direto no aplicativo, não necessitando nenhum valor extra no momento da entrega. 

Mas, quando chega o pedido, o criminoso diz para o cliente que é preciso pagar um valor extra, solicitando que essa transação seja feita na maquininha.

Além disso, às vezes os golpistas utilizam nessa hora o golpe do visor da maquininha, o que amplia as perdas da vítima.

Se algum entregador, te pedir para pagar a mais no momento da entrega, recuse imediatamente! Essa não é uma prática adotada pelos apps de delivery. 

Golpe da compra duplicada

A vítima digita a senha e confirma a compra, mas o criminoso afirma que a maquininha apresentou um erro e diz que vai utilizar outra. 

Por usar duas diferentes, a administradora do cartão não identifica a duplicidade e ambas acabam sendo aprovadas.

Pagamento por aproximação com erro

Com cada vez mais aderência dos brasileiros, os pagamentos por aproximação evitam os riscos de clonagem do cartão. 

Isso porque, dessa forma, somente as informações necessárias para a compra são compartilhadas, via ondas de rádio, com a segurança da criptografia.

Cientes disso, os criminosos criaram um golpe para tentar fazer a vítima inserir o cartão na maquininha. Ele é conhecido como “golpe do cartão de crédito por aproximação”.

Ao aproximar o plástico para realizar a compra, a máquina mostra a mensagem: “Erro na aproximação; Insira o cartão”. Ao colocar, o cliente tem seu cartão clonado.

Essa fraude ocorre porque os criminosos infectam a maquininha com um malware, ou seja, um vírus digital feito para o roubo de dados dos clientes, sem que o comerciante perceba. 

Isso acaba trazendo complicações para as duas partes envolvidas: o vendedor e comprador. 

Golpe dos pontos do cartão de crédito

Você recebe um e-mail ou SMS com um aviso importante: uma quantidade grande de milhas vai expirar nos próximos dias. Para não perdê-las e fazer o resgate, basta clicar em um link enviado na mesma mensagem.

Mas, na verdade, o link é falso e não passa de um tipo de phishing, porque o site é falso.

Leia mais: Como saber se um site é falso ao fazer uma compra?

As milhas servem apenas como uma “isca” para os criminosos chamarem a atenção da possível vítima. O objetivo do golpe é que você preencha suas informações no link enviado para que os golpistas tenham acesso a eles.

A partir daí, eles conseguem fazer outras fraudes com as suas informações, como pegar um empréstimo no seu nome, por exemplo.

Leia mais: Como saber se tem empréstimo no meu nome?

Como se proteger e evitar golpes do cartão

A inovação dos criminosos na hora de agir faz com que a gente tenha que estar sempre atento na hora de fazer alguma compra. Por isso, trazemos aqui dicas para você não ser uma vítima de golpes do cartão de crédito. 

Não entregue seu cartão

Ao realizar uma compra no cartão de crédito ou débito, nunca entregue seu cartão. Ter o item em mãos é sempre uma forma de segurança. 

Ou, caso o vendedor pegue o cartão para inserir na maquininha, fique sempre atento aos movimentos.

Ative as notificações da sua instituição financeira

Hoje, ao instalar o app da instituição financeira no seu celular, você tem a opção de autorizar que ele envie notificações. 

Ative as notificações para que o aplicativo te notifique imediatamente quando uma transação for realizada, inclusive uma compra no cartão de crédito, o que te permite verificar o valor pago na hora. 

Utilize o cartão virtual

Ao realizar compras online, o cartão virtual é um grande aliado. Isso porque ele muda o código de segurança com frequência.

Com isso, caso algum cibercriminoso tenha acesso, ficará sem todas as informações necessárias para fraudar o seu cartão.

Fique de olho na sua fatura

Verifique a fatura do seu cartão de crédito eventualmente. Se por algum acaso alguma notificação passar despercebida, lá é possível visualizar se todas as compras foram realmente realizadas por você.

Leia mais: Como funciona a fatura do cartão de crédito?

E, se identificar alguma transação suspeita, informe imediatamente o administrador do cartão.

Sua senha, sua vida financeira

A senha do seu banco é o seu maior tesouro, o que exige uma proteção absoluta. Fique atento na hora de digitá-la em alguma maquininha e certifique-se que ninguém esteja de olho. 

Para isso, usar o cartão por aproximação é de grande ajuda. Além de ser ágil e simples de utilizar, você não precisa digitar a senha até determinado valor.

Leia mais: Cartão por aproximação é seguro para fazer pagamentos?

Além disso, nunca é demais lembrar: evite deixar a senha anotada em algum lugar óbvio ou de fácil acesso.

Não funcionou? Pague de outra forma

Se, ao tentar fazer uma compra, o cartão foi recusado, a maquininha apresentou algum erro ou qualquer outro problema aconteceu, busque outra forma de pagamento.

Para driblar esses problemas, você pode cadastrar seus cartões de crédito no PicPay e fazer pagamentos com o celular, além de ter outras opções, como pagar com Pix ou QR Code.

Confira nosso conteúdo completo sobre como fazer pagamento de contas e até parcelar suas compras com o PicPay para saber mais.

Quer saber mais informações para se proteger e evitar golpes e fraudes? Acesse a Central de Segurança e veja mais conteúdos.

Esse conteúdo foi útil? Deixe aqui sua avaliação

Média da classificação 3.8 / 5. Número de votos: 20

Compartilhe este Post:

Conteúdos relacionados