Como fazer uma renegociação de dívidas?

Aprenda passo a passo como fazer renegociação de dívidas de diversos tipos e esclareça as principais dúvidas sobre o tema

26 de dezembro de 2022

Renegociação de dívidas pode ser um tema tabu para muita gente. Quem passa por dificuldades financeiras nem sempre quer pensar ou tocar no assunto, já que não é algo agradável.

A verdade é que o endividamento tem afetado muitos brasileiros. Quase 80% das famílias têm dívidas, em atraso ou não, segundo dados de novembro de 2022 da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic).

Com o endividamento em níveis recordes no país, é preciso falar sobre isso, especialmente porque a renegociação pode trazer alívio — mental e financeiro! — para quem está nessa situação.

Neste conteúdo, vamos explicar as vantagens de optar por renegociar dívidas e te mostrar um passo a passo com apenas quatro etapas para acabar de vez com essa preocupação!

Por que é importante renegociar suas dívidas?

Além de impactar a saúde financeira, ter dívidas também prejudica a saúde mental das pessoas e traz efeitos práticos. Vamos falar mais sobre eles?

Ter mais tranquilidade

Uma pesquisa do Serasa em parceria com o Instituto Opinion Box, divulgada em novembro de 2022, aponta que estar no vermelho tem tirado o sono de 83% dos brasileiros inadimplentes.

Perder o sono é só um dos impactos. De acordo com o estudo, 78% das pessoas têm pensamentos negativos relacionados às dívidas e 74% sofrem por dificuldade de se concentrar em tarefas diárias.

Outros 61% viveram ou vivem uma sensação de “crise e ansiedade” ao pensar na dívida, além de 53% dos pesquisados afirmarem sentir “muita tristeza” e “medo do futuro”.

Ter dívidas, infelizmente, é uma realidade para muita gente. Mas o processo de renegociação pode ser um caminho de tranquilização, já que você pode encontrar uma forma viável de pagar e, assim, reduzir essa preocupação.

Limpar seu nome

Ter o nome negativado é um dos primeiros efeitos que quem está inadimplente sente. Além de passar a receber cobranças constantes, quem vive essa situação tem mais dificuldade para ter acesso a outros produtos financeiros.

Pegar um empréstimo pessoal ou ter acesso a cartões de crédito, por exemplo, se torna mais desafiador para quem está com o chamado “nome sujo”.

Leia mais: Como saber se tem empréstimo no meu nome?

Além disso, aqueles que conseguem provavelmente terão condições piores, como juros mais altos.

Evitar juros maiores

Renegociar uma dívida pode evitar que ela cresça ainda mais. Isso porque existem as chamadas “dívidas caras” e as “dívidas baratas”.

A diferença entre elas está na taxa de juros que é cobrada em cada caso. Dívidas no cartão de crédito ou cheque especial, por exemplo, têm as maiores taxas do mercado, e costumam ser bem superiores às de um empréstimo pessoal.

Quando você renegocia, pode trocar uma dívida com uma alta taxa de juros, que tornaria o valor devido muito maior até ser quitado, por um débito com juros menores. Fica mais fácil e rápido de quitar.

Leia mais: O que é Selic e como lidar com a alta da taxa de juros

Priorizar sua organização financeira

Se você tem uma dívida em aberto e crescendo cada vez mais, sua organização financeira fica comprometida. Nessas horas, é preciso muita cautela, inclusive para não gerar novos débitos.

O melhor que você pode fazer é entender qual é a realidade das suas finanças e buscar a renegociação do seu débito. Isso permite que você se planeje, faça metas financeiras e tenha mais tranquilidade.

Para isso, vamos ao passo a passo da renegociação de dívidas. Mas, antes, confira nossa dica para saber se você tem débitos no seu nome.

Como saber se tenho dívidas para renegociar?

Para saber se tem alguma dívida no seu nome, você pode consultar seu CPF. O PicPay oferece essa funcionalidade para quem tem o app de uma forma simples, rápida e gratuita.

Caso tenha algum débito no seu nome, todas as pendências vão aparecer imediatamente no app.

Renegociação de dívidas passo a passo

Você pode fazer a sua renegociação de dívidas em apenas quatro passos. Abaixo, a gente explica quais são eles, e depois vamos falar de casos específicos, como FIES e cartão de crédito.

1. Descubra o valor real e atualizado da dívida

Se está inadimplente, o tamanho da sua dívida aumenta. Isso acontece porque o valor fica em aberto e há cobrança de juros e outras taxas.

Por isso, a primeira coisa a fazer é entrar em contato com a instituição e entender qual é o valor real da dívida. Esse passo pode ser assustador para muitas pessoas, especialmente se o débito for grande.

Mas vale pensar em duas coisas. A primeira é que, se você ignorar, a dívida não vai desaparecer, então é melhor tomar as rédeas da situação e buscar uma saída.

E a segunda é que isso é parte de um processo que vai terminar com a dívida quitada e muito mais tranquilidade para você.

2. Entenda quanto você pode pagar sem se enrolar

Agora que você já sabe o valor total que deve, inclusive com taxas e encargos, é hora de fazer um planejamento financeiro pessoal.

O objetivo aqui é entender se você pode quitar a dívida à vista ou, se isso não for possível, quanto você consegue pagar todo mês.

Já ensinamos por aqui como quitar dívidas ganhando pouco. Se for o seu caso, você pode dar uma olhada nas dicas que trouxemos por lá!

Ah, uma coisa muito importante: seja realista! Só se comprometa com uma renegociação se você tiver certeza de que consegue arcar com o pagamento sem gerar outras dívidas. Caso contrário, você pode arrumar outro problema.

3. Tente renegociar a dívida junto à instituição

Agora você já sabe quanto deve e quanto pode pagar. Chegou a hora de falar com a instituição, como o seu banco, por exemplo, e ver se ela tem alguma oferta para negociar o seu débito.

Importante: sempre procure canais oficiais de atendimento das instituições financeiras. Cuidado com sites falsos, que oferecem condições muito vantajosas e pouco realistas, porque provavelmente se trata de um golpe virtual.

Analise a proposta e confira se ela está dentro do que você previu que pode pagar. Só aceite se você puder mesmo arcar com aquele valor, viu?

Se tiver o dinheiro para pagar à vista, é possível que você consiga condições melhores para pagar. Entenda os diferentes cenários com o auxílio do atendimento.

Os bancos e instituições financeiras normalmente oferecem páginas nos seus sites dedicadas à renegociação. Clique aqui para renegociar dívidas com o PicPay ou com o Banco Original.

4. Procure mutirões de renegociação

Se você não conseguiu renegociar seu débito ou ele já chegou a um valor alto demais, ir a um feirão de renegociação de dívida é um caminho excelente! Existem opções presenciais e online.

Alguns exemplos são o Feirão Limpa Nome, do Serasa, e o Mutirão Nacional de Negociação de Dívidas e Orientação Financeira, promovido pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Banco Central, Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) e Procons de todo o país.

Nos mutirões, o consumidor endividado pode ter desconto de até 99% no valor da dívida, facilidades de pagamento, inclusive a opção de parcelar, e a negativação do nome é retirada em até 24 horas.

Outra dica é que o Procon-SP oferece o Programa de Apoio ao Superendividado (PAS), que tem o objetivo de ajudar pessoas superendividadas, orientando e auxiliando na renegociação de dívidas com os seus credores.

Como fazer a renegociação de dívidas bancárias

Você pode renegociar dívidas com bancos online, procurando no site da instituição a página dedicada a isso. Se preferir, você pode buscar os canais de atendimento, pela internet, telefone ou agência.

A página online dos bancos dedicada à renegociação serve tanto para débitos relacionados a empréstimos quanto para cartão de crédito. Basta que você tenha contratado o produto ou cartão naquele banco.

Se fizer o processo online, vale sempre checar que você está falando com a empresa por um canal oficial de atendimento, para evitar fraudes!

Como fazer a renegociação de dívidas do FIES

A renegociação de dívidas do FIES (Fundo de Financiamento Estudantil) 2022 pode ser feita até 31 de dezembro de 2022 por meio do site do SIFES, Sistema de Financiamento Estudantil

Para poder fazer a renegociação, a Caixa informa que o estudante precisa atender a dois requisitos: ter contratado o FIES até 31/12/2017 e estar com o contrato na fase de amortização em 30/12/2021.

Se quiser saber mais, a Caixa tem uma cartilha com o passo a passo para renegociar a dívida do FIES.

Dúvidas frequentes sobre renegociar dívidas

Respondemos as principais dúvidas sobre o tema para te ajudar. Confira abaixo!

É possível negociar dívidas pela internet?

Sim, você pode renegociar dívidas pela internet. Hoje em dia, basicamente todas as instituições financeiras têm seções no seu site em que o cliente pode solicitar uma renegociação totalmente online.

Além disso, os feirões de renegociação também estão disponíveis pela internet. Basta pesquisar as datas para se informar.

A renegociação de dívidas pode parcelar?

Sim. O objetivo das empresas que fazem uma renegociação com o cliente é que ele consiga fazer o pagamento. Por isso, as condições para pagar costumam ser vantajosas e também é possível parcelar a dívida.

No caso da renegociação, pagar à vista costuma garantir um desconto maior. Mas essa não é a realidade para muitas pessoas. E nunca é demais lembrar: só se comprometa a pagar um valor que cabe mesmo no seu orçamento, beleza?

Em quanto tempo o nome fica limpo?

Se o seu nome está negativado e você renegociar sua dívida, ele sai das listas dos órgãos de proteção ao crédito em até cinco dias úteis.

Esse prazo conta a partir da quitação da dívida ou do pagamento da primeira parcela.

Não é necessário que você faça nada, porque é a empresa com que você negociou que solicita aos órgãos de proteção ao crédito a retirada do seu nome.

E aí, nossas dicas foram úteis para você? Então compartilhe com os amigos e confira mais conteúdos sobre planejamento financeiro!!

Esse conteúdo foi útil? Deixe aqui sua avaliação

Média da classificação 1.5 / 5. Número de votos: 32

Compartilhe este Post:

Conteúdos relacionados