Quanto devo guardar do meu salário? 3 táticas para te guiar

Se você se pergunta ‘quanto devo guardar do meu salário?’, confira três formas de calcular o percentual ideal para economizar por mês

16 de dezembro de 2022

Saber, todo mundo sabe que guardar dinheiro é importante. Mas que atire a primeira pedra quem nunca se perguntou “quanto devo guardar do meu salário?”. 

Como saber se o valor que pensamos em poupar e investir todo mês é compatível com o salário que recebemos? Será que deveríamos guardar uma proporção maior? São dúvidas comuns e importantes para as nossas finanças pessoais.

A resposta mais comum para a dúvida “quanto devo guardar do meu salário mensalmente?” é 10%. Ou seja, se você ganha R$ 4 mil, deve poupar R$ 400 por mês.

Esse costuma ser o percentual mais apontado entre consultores financeiros e existe uma explicação para isso.

Se um trabalhador guarda 10% do que recebe por mês durante 30 anos, ele terá condições de viver das economias que acumulou nesse período com o mesmo padrão de vida.

Mesmo assim, é importante ter atenção, porque essa regra universal sempre vai ter exceções! Por exemplo, no caso das pessoas que começaram a guardar dinheiro mais tarde e, por isso, terão menos tempo para poupar.

Para que você conheça as estratégias e escolha a melhor para o seu caso, selecionamos três modelos para dividir o orçamento mensal e que podem te ajudar nessa missão.

Em seguida, confira as dicas que selecionamos para facilitar a sua organização das finanças.

Afinal, quanto devo guardar do meu salário por mês?

Tá, mas quantos por cento devo guardar do meu salário? A verdade é que não existe uma resposta única, porque isso depende da sua realidade financeira.

Pessoas que ganham um salário mais apertado podem acabar gastando uma parte maior da sua renda no aluguel, por exemplo.

Mas existem três estratégias de como dividir o salário para poupar, que podem te guiar na hora de organizar seu dinheiro. Vamos conhecê-las!

Regra do 50-30-20

O método 50-30-20 indica que você separe o dinheiro em três partes:

  • 50% para gastos fixos;
  • 30% para custos que variam, relacionados ao estilo de vida;
  • 20% do salário para guardar.

Nos gastos fixos, entram contas que têm o mesmo valor todos os meses, como aluguel. Já os custos variáveis são o supermercado, as atividades de lazer, etc.

A divisão do salário com base na regra 50-30-20 ficaria assim: se você ganha R$ 4 mil, R$ 2 mil serão destinados aos gastos fixos, enquanto R$ 1,2 mil vão para os custos variáveis e, por fim, R$ 600 para economizar.

Regra do 50-15-35

A lógica de quanto economizar por mês aqui é bem similar ao método 50-30-20, só que aqui as proporções mudam um pouco. 

A regra 50-15-35 diz que o ideal é você usar 50% do salário para contas fixas, 35% para custos variáveis e 15% para guardar.

Regra dos 10%

Bem conhecido, esse método sugere guardar 10% do salário todos os meses. Assim, com um salário de R$ 4 mil, você deve economizar R$ 400 mensalmente.

Vale dizer que o método dos 10% apenas sugere quanto poupar por mês, mas não estabelece como você deveria dividir a sua renda entre custos fixos e variáveis.

Como economizar dinheiro sendo autônomo ou MEI?

Falamos sobre as principais estratégias para separar seu salário e guardar uma parte dele, mas o que fazer quando você é autônomo ou MEI (Microempreendedor Individual)?

O primeiro passo é separar as finanças corporativas das contas de casa. Depois, é fundamental construir uma reserva financeira, caso ainda não tenha.

Isso é importante já que o trabalho do autônomo nem sempre tem um retorno igual, porque pode ter sazonalidades ou até imprevistos.

Por isso, uma boa prática é utilizar essa reserva para os momentos de ganhos menores. Para saber quanto poupar da sua renda, o autônomo ou MEI pode fazer um cálculo da média que ganha por mês.

A partir dessa média, você pode optar por uma das regras para alocar o orçamento que explicamos acima, destinando um percentual do valor que recebe para economizar.

Para calcular a média dos seus ganhos, você deve somar a renda que teve nos últimos meses e dividir pelo número de meses. Quanto mais meses você considerar, mais certeiro será o cálculo.

Vamos a um exemplo. Digamos que você trabalhe como prestador de serviços. Em um mês, você recebeu R$ 2.500. No mês seguinte, a renda foi de R$ 1.950. No terceiro mês, ganhou R$ 2.320.

Nesse cenário, somamos todos os ganhos, o que dá R$ 6.770, e dividimos por três meses. Então, a renda média é de R$ 2.256. Se você decidir poupar 10% do salário, o valor mensal a ser guardado seria R$ 225.

Renda no mês 1R$ 2.500
Renda no mês 2R$ 1.950
Renda no mês 3R$ 2.320
Renda total dos três mesesR$ 6.770
Renda médiaR$ 2.256
Valor a ser guardado por mêsR$ 225

Por que economizar parte do salário?

Se você tem um emprego ou uma renda fixa, é muito importante criar uma reserva financeira caso tenha alguma emergência ou mesmo fique um período sem receber esse salário.

No caso dos autônomos ou MEIs, como falamos, também é uma ótima forma de se organizar financeiramente e se prevenir para os meses de menor faturamento.

Criar uma reserva de emergência é um dos principais motivos de quem quer começar a guardar parte do salário todo mês. Ter esse dinheiro reduz as chances de que você faça dívidas caso passe por alguma situação financeira inesperada.

Mas como funciona isso, afinal? Vamos a um exemplo. Digamos que você optou pela regra dos 10% e decidiu reservar esse percentual do seu salário por mês. Vamos supor, ainda, que seu salário é de R$ 3 mil.

Nesse caso, você guardará R$ 300 por mês. Em um ano, essa economia já vai ter chegado a R$ 3.600. Caso você fique sem a sua renda por um período, já terá o suficiente para manter seu custo de vida por pelo menos um mês.

Salário por mêsR$ 3.000
Valor a ser guardado por mês (10%)R$ 300
Valor guardado depois de um anoR$ 3.600

Além disso, ter dinheiro guardado é uma forma de garantir a sua organização financeira.

Com ela, você não só aumenta as chances de conquistar seus objetivos, como o sonho da casa própria, mas também evita que o dinheiro seja uma fonte de preocupação e ansiedade, como é para muitos brasileiros.

Como se organizar para guardar uma parte do salário?

Agora você já sabe quanto do salário deve guardar, mas como se organizar para fazer essa divisão?

Em primeiro lugar, é importante entender que os métodos acima sugerem que você poupe pelo menos 10% do seu salário. Mas isso não é possível para todo mundo.

Hoje em dia, 69% dos brasileiros não conseguem poupar dinheiro, segundo um levantamento da Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgado em agosto de 2022.

Além disso, entre as pessoas que não conseguem poupar dinheiro no fim do mês, 44% delas apontam que quase sempre ficam apertadas: são capazes de pagar as contas, mas não sobra para mais nada.

Essa situação com certeza é familiar, né? Pode não ser o seu caso, mas de alguém próximo a você. Seja como for, o importante é que se organizar financeiramente é um processo e não acontece do dia para a noite. Mesmo assim, é possível!

E é muito importante que você saiba que guardar um pouco é melhor do que não economizar nada.

Se você quer começar a guardar parte do seu salário, selecionamos cinco passos simples e práticos para você começar a partir de hoje. Olha só:

Estabeleça metas

Por que você quer juntar dinheiro? Provavelmente você tem uma resposta, que pode ser: fazer uma viagem, comprar uma casa, ter uma reserva financeira…

Ao saber os motivos que te levam a querer economizar, você vai poder definir com mais clareza quais são as suas metas. Elas vão te ajudar a se motivar e a tornar o processo mais significativo.

Para facilitar sua vida, confira nosso conteúdo sobre metas financeiras, que te mostra como defini-las e também como alcançá-las.

Faça um planejamento financeiro

Fazer um planejamento financeiro simples, mas eficaz, é o que vai permitir que você organize seu orçamento e saiba quanto pode gastar em cada coisa para poder guardar a parte do salário que você deseja.

Além disso, é o momento de estruturar um plano para que as suas metas financeiras entrem no orçamento.

Entenda sua realidade

Depois de fazer um planejamento, você vai ter uma clareza maior sobre qual é a sua realidade.

Se você tem dívidas, quais são seus maiores gastos, o que pode ser cortado, o que não dá para abrir mão.

Leia mais: Como economizar dinheiro com 20 dicas de finanças

Nesse momento, você pode pensar em alternativas para economizar mais dinheiro e quitar dívidas. Uma delas é buscar maneiras de fazer renda extra.

Controle seus gastos

Com as metas e o planejamento feitos, é hora de colocar em prática! Para isso, é importante que você siga no dia a dia aquilo que desenhou para as suas finanças.

É possível fazer um controle financeiro pessoal simples pelo celular, e o PicPay pode te ajudar nisso. 

Deixe o dinheiro render

Seu dinheiro guardado não precisa ficar na poupança, pelo contrário. Você pode guardá-lo nos Cofrinhos do PicPay, onde ele fica separado do restante do salário e ainda rende 102% do CDI desde o primeiro dia.

Leia mais: Quanto rende 20 reais no PicPay ou outros valores?

E você também pode criar outros cofrinhos para as suas metas, definir prazos, retirar o dinheiro quando quiser e aproveitar o rendimento acima da poupança. Muito bom, né?

E aí, nossas dicas foram úteis para você? Então confira outros conteúdos para construir o seu planejamento financeiro!

Esse conteúdo foi útil? Deixe aqui sua avaliação

Média da classificação 3.6 / 5. Número de votos: 14

Compartilhe este Post:

Conteúdos relacionados