Como recuperar dinheiro de estelionato em 6 passos

Saiba como evitar golpes financeiros e como recuperar dinheiro de estelionato com dicas de segurança

29 de setembro de 2022

Você foi enganado e teve prejuízo financeiro? Então você foi vítima de um estelionato. Se quer saber o que fazer nesses casos, acompanhe nossas dicas e aprenda como recuperar dinheiro de estelionato

Antes de qualquer outra coisa, saiba que esse crime é definido pelo artigo 171 do Código Penal Brasileiro como: 

Art. 171 – Obter, para si ou para outrem, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil, ou qualquer outro meio fraudulento.

Então, o que é estelionato? Em resumo, o estelionato é um crime em que o golpista engana a vítima para furtar dinheiro ou outros bens materiais dela. 

O crime de estelionato tem crescido no país ao longo dos últimos anos. Segundo dados do último anuário do Fórum Nacional de Segurança Pública, o número de estelionatos quase triplicou entre 2018 e 2021.

A quantidade de crimes desse tipo saiu de aproximadamente 426 mil em 2018 para mais de 1,2 milhão no ano passado.

Se cresce a quantidade de crimes, aumenta também a procura por como recuperar dinheiro de estelionato, tema central deste conteúdo.

Durante muitos anos, os exemplos de estelionato mais comuns eram o golpe do bilhete premiado, do falso emprego ou do cheque sem fundo. 

Atualmente, com o avanço da tecnologia, muitos criminosos aproveitam o meio digital para a prática dos golpes. 

O golpe do WhatsApp ou o golpe do Pix podem ser tipificados como estelionato, caso seja comprovado que o golpista enganou a vítima para obter vantagens ilícitas e causar prejuízo.  

Leia mais: Golpe do Pix: conheça os principais e saiba o que fazer

Para você ter ideia, o levantamento citado acima revelou que o número de registros de estelionatos por meios eletrônicos cresceu quase 500% durante o mesmo período. 

As informações do Fórum Nacional de Segurança Pública mostram a importância de você aprender como evitar e denunciar golpes virtuais

No ano passado, o crime de estelionato por meios digitais passou a ser tipificado pelo Código Penal, com penas mais severas para os criminosos. 

§ 2º-A. A pena é de reclusão, de 4 (quatro) a 8 (oito) anos, e multa, se a fraude é cometida com a utilização de informações fornecidas pela vítima ou por terceiro induzido a erro por meio de redes sociais, contatos telefônicos ou envio de correio eletrônico fraudulento, ou por qualquer outro meio fraudulento análogo.

§ 2º-B. A pena prevista no § 2º-A deste artigo, considerada a relevância do resultado gravoso, aumenta-se de 1/3 (um terço) a 2/3 (dois terços), se o crime é praticado mediante a utilização de servidor mantido fora do território nacional. 

Como evitar estelionato?

A realidade é que quase um terço da população brasileira já sofreu algum tipo de golpe ou tentativa de fraude, de acordo com uma pesquisa da Federação Brasileira de Bancos (Febraban). 

Grande parte desses golpes envolvem engenharia social, que é quando os criminosos enganam a vítima para roubar dados bancários ou até mesmo dinheiro em si. 

Por conta disso, além de aprender como recuperar dinheiro de estelionato, é fundamental que você entenda como evitar golpes

Para reforçar ainda mais o compromisso do PicPay com a proteção das pessoas usuárias, a empresa lançou uma Central de Segurança, que reúne informações rápidas, conteúdos aprofundados e canais de atendimento.

Por exemplo, temos um conteúdo específico sobre como fazer pagamentos seguros e evitar golpes financeiros, que pode te ajudar.

Muitos golpistas atuam por meio de ataques phishing. Mas o que é isso? São golpes para “fisgar” as vítimas com informações falsas e roubar dados pessoais e bancários delas.

Por isso é preciso prestar muita atenção em mensagens de texto, e-mails, ligações e até conversas no WhatsApp que solicitem seus dados pessoais.

Além disso, a Febraban conta com uma cartilha com 10 dicas de segurança contra golpes e fraudes financeiras. São elas:

1. Escolha uma boa senha e não compartilhe com ninguém

Não utilize senhas óbvias como sequências numéricas ou datas de aniversário de parentes para os seus cartões ou aplicativos financeiros. Além do mais, nunca passe a chave para outras pessoas, principalmente por meios eletrônicos. 

2. Nunca entregue o seu cartão para desconhecidos

As instituições financeiras nunca solicitam cartões de volta, independentemente se ele estiver com defeito ou não. Muito menos os bancos enviam algum motorista para buscar o cartão. 

3. Confira os dados na maquininha de cartão

Antes de fazer qualquer pagamento em alguma maquininha de cartão, verifique se o valor cobrado está correto. Outro ponto importante é checar se os seus dados estão certos também. 

4. Utilize o duplo fator de autenticação nos seus aplicativos

Para evitar possíveis invasões em contas bancárias ou aplicativos importantes, como e-mail e redes sociais, ative a opção de duplo fator de autenticação ou outros mecanismos de segurança disponíveis.

5. Tome cuidado com ligações

Recebeu alguma ligação solicitando seus dados pessoais ou pedindo que você ligue para outro número? Desconfie. Pode ser um ataque phishing ou uma tentativa de prender a sua linha telefônica.

6. Não clique em links desconhecidos

Viu um anúncio que parece bom demais para ser verdade? Recebeu um e-mail com o seu banco supostamente pedindo para você atualizar seus dados? Esses são apenas alguns exemplos de links que podem ser enviados por golpistas. Tome cuidado. 

7. Tenha cuidado com compras online 

O volume de compras online cresce a cada ano no Brasil. É crucial prestar atenção para não cair em golpes. Confira se a empresa é segura e se o endereço do site está correto. Dê preferência a sites conhecidos e sempre utilize o cartão virtual para as compras.

8. Cheque as informações antes de qualquer operação bancária

Você vai pagar alguma pessoa física ou jurídica por boleto bancário, Pix ou transferência? Confira se o valor e os dados do recebedor estão conforme o combinado. 

Leia mais: Como saber se o boleto é falso? 10 dicas para descobrir já

9. Não tire fotos da tela do caixa eletrônico

Se você encontrar algum problema no momento de utilizar algum caixa eletrônico, não tire fotos ou faça vídeos. Solicite o auxílio de algum funcionário da instituição, que precisa estar identificado.

10. Use as redes sociais com inteligência

Pode parecer bobagem, mas o que você publica nas suas redes sociais pode ajudar o trabalho de golpistas. Não divulgue dados pessoais, como CPF e número de telefone e também tenha cuidado com informações que podem indicar o seu perfil de comportamento.

Tem como recuperar dinheiro de conta de estelionato?

Se você chegou até aqui, é porque provavelmente sofreu algum golpe ou fraude e quer saber se é possível reverter o prejuízo.

A resposta é que mesmo que seja difícil, tem como recuperar dinheiro de estelionato, ou pelo menos tentar. 

Caso o prejuízo tenha sido por meio de depósito, pagamento via boleto bancário, TED ou DOC, as suas chances de conseguir o dinheiro de volta são maiores, se você agir rápido. 

Isso porque essas transações podem demorar horas ou até dias para serem concluídas, te dando a chance de entrar em contato com as instituições financeiras envolvidas antes que o dinheiro seja recebido ou utilizado pelos golpistas.

No caso do Pix, em que as transações são instantâneas, a recuperação é mais complicada, já que os golpistas conseguem transferir o dinheiro para outra conta rapidamente.

Tanto no caso do Pix quanto dos outros tipos de transferências bancárias, as quadrilhas tendem a utilizar contas laranja, em nome de outras pessoas, para receber os pagamentos. 

Com o objetivo de aumentar a segurança do meio de pagamento instantâneo que caiu nas graças dos brasileiros e diminuir a quantidade de golpes do Pix, o Banco Central lançou no fim de 2021 alguns mecanismos de proteção.

Ambos oferecem a própria infraestrutura do Pix para a resolução de casos de fraude e golpe, com mais agilidade e eficiência. 

O primeiro é o chamado Bloqueio Cautelar, que é quando a própria instituição recebedora identifica alguma movimentação suspeita e realiza o bloqueio preventivo dos recursos por 72 horas, até que uma análise mais robusta seja feita.

O segundo é o Mecanismo Especial de Devolução (MED) que pode ser acionado tanto pelas instituições envolvidas quanto pela vítima que percebeu que foi vítima de algum golpe. 

Após a notificação, as instituições têm até sete dias para a análise da situação. Se a fraude for comprovada o valor deve ser desenvolvido pela instituição recebedora, caso a conta de destino tenha recursos. 

Como recuperar dinheiro de estelionato por transferência bancária em 6 passos

Agora que você já sabe que é possível buscar o seu dinheiro de volta após sofrer alguma fraude, é hora de darmos um passo a passo de como recuperar o dinheiro de um golpe de estelionato.

1. Seja rápido

O jeito de como recuperar dinheiro de estelionato praticado por pessoa física é o mesmo de quando é cometido por uma empresa. Nos dois casos, não importa como tenha sido o pagamento, a sua agilidade é muito importante.

Quanto antes você seguir os procedimentos abaixo, mais chances você tem de conseguir reaver o seu dinheiro.

2. Registre tudo

Outro passo fundamental que deve ser adotado em todos os procedimentos é o de documentar tudo. Faça capturas de tela dos produtos ou serviços oferecidos pelos golpistas, da conversa com eles e do pagamento.

Além disso, sempre anote os protocolos de atendimento com as instituições financeiras envolvidas. 

3. Entre em contato com a sua instituição financeira

Talvez este seja o principal passo de como conseguiu recuperar dinheiro de estelionato: comunicar a sua instituição financeira sobre o caso

Procure pelo canal de atendimento adequado, seja via ligação telefônica ou por chat. A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) conta com uma lista com o telefone de todos os bancos.

Se o estelionato tiver sido via Pix, você consegue registrar uma notificação pelo Mecanismo Especial de Devolução (MED) dentro da própria área Pix do aplicativo. 

Você precisa explicar o que aconteceu e passar informações que possam comprovar que você foi vítima de um golpe.

O prazo para notificação é de até 80 dias após o fato, mas, como falamos logo acima, as chances são maiores se você agir rapidamente.

4. Entre em contato com a instituição financeira de destino

Outra atitude que pode te ajudar a ter êxito na missão de recuperar o seu dinheiro é também entrar em contato com a instituição financeira de destino

Com isso, há a chance da instituição solicitar o Bloqueio Cautelar do valor até que o caso seja analisado. 

Como no passo anterior, você deve procurar por um canal de atendimento e informar sobre o que ocorreu. 

5. Registre um Boletim de Ocorrência

Depois de falar com as instituições financeiras envolvidas, registre um Boletim de Ocorrência (BO) com todas as informações do seu caso.

Informe os seus dados pessoais e da sua instituição financeira, o ID da transação, o valor, a data e o horário, os dados da pessoa ou empresa que recebeu e o nome da instituição recebedora.

Se tiver registros que comprovam a fraude, como capturas de tela, por exemplo, você também pode anexar.

É possível registrar crimes de estelionato de forma online em praticamente todos os estados. Confira a possibilidade no local onde você mora ou procure por alguma delegacia mais próxima.

6. Pense na possibilidade de acionar a justiça

Como falamos anteriormente, em casos de estelionato via Pix, o Banco Central estipula um prazo de sete dias para análise pelo Mecanismo Especial de Devolução (MED). 

Depois desse prazo, se a sua situação não for resolvida, você pode fazer uma reclamação junto ao Banco Central, procurar o Procon do seu estado ou acionar a justiça.

Nesses casos, organize todas as provas que mostram que você foi vítima de um estelionato, como comprovantes de pagamentos, boletim de ocorrência, capturas de tela e registro dos atendimentos. 

O Poder Judiciário também é uma alternativa de como recuperar dinheiro de estelionato após o bandido ser preso, já que a justiça pode fazer o bloqueio de bens do golpista para o seu ressarcimento. 

Como recuperar dinheiro de estelionato pelo PicPay

Você é um dos mais de 30 milhões de usuários ativos do PicPay e foi vítima de estelionato ou qualquer outro golpe pagando pelo aplicativo? 

Antes de mais nada, sentimos muito pelo ocorrido. Para te ajudar nesses casos, o PicPay conta com dois canais de atendimento: telefone e chat.

O SAC do PicPay fica disponível 24 horas por dia pelo número: 0800 025 8000. 

Já o chat pode ser acessado pelo aplicativo, dentro do seu perfil, na opção de “Ajuda”, no canto superior direito. 

Em caso de golpes do Pix, você consegue fazer o registro dentro da Área Pix do app, na opção de “Entrar em contato com a gente”. 

Quer ficar ainda mais protegido? Confira a nossa editoria com conteúdos sobre segurança digital!

Esse conteúdo foi útil? Deixe aqui sua avaliação

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 7

Compartilhe este Post:

Conteúdos relacionados