5 etapas de como fazer um plano de negócios

Vai abrir uma empresa ou quer saber se vale a pena expandir? Aprenda como fazer um plano de negócios passo a passo

29 de abril de 2022 Atualizado em 14 de junho de 2022

Aprender como fazer um plano de negócios é uma etapa fundamental para quem quer começar, expandir ou reavaliar se faz sentido manter uma empresa. Com um bom planejamento, as decisões do empreendedor se tornam mais embasadas e, assim, mais certeiras.

Quando se tem ou pretende abrir uma empresa, seja ela do tamanho que for, conhecer seu mercado e ter informações atualizadas sobre seus clientes e a concorrência é fundamental para o sucesso.

Neste conteúdo, você vai aprender passo a passo as etapas necessárias para construir um excelente plano de negócios e entender o papel e relevância que ele tem para empreendedores. É só continuar a leitura!

O que é um plano de negócios?

Se você quer realizar algo, por mais simples que seja, sabe que planejamento é fundamental. Seu sonho pode ser comprar uma casa, fazer uma viagem ou guardar dinheiro para os estudos dos seus filhos. Qualquer um deles exige uma série de etapas.

O mesmo acontece com uma empresa. O plano de negócios é um planejamento que detalha os objetivos de uma empresa e de que forma ela pretende alcançá-los. Com isso, você reduz riscos e incertezas na condução do negócio e identifica oportunidades e pontos fracos antes de partir para a ação.

Mas o plano de negócios não serve apenas para quem quer abrir uma empresa. Serve também para quem pretende aumentar sua atuação e pode até auxiliar a decidir se vale a pena manter ou encerrar o negócio.

Para que serve um plano de negócios?

Ele serve como uma grande pesquisa para que você entenda seus pontos fortes e fracos, o cenário atual do seu mercado, clientes e concorrentes, para que você verifique se sua empresa é viável financeiramente, como a operação se dará no dia a dia, entre outros fatores. 

Essas etapas são fundamentais antes de partir para a execução, porque permitem que você identifique falhas no planejamento e as resolva antes de começar.

Leia mais: Quanto custa abrir uma empresa? Confira os custos em 2022

Além disso, um bom plano é fundamental para conquistar sócios e investidores para a sua empresa.

Etapas de um plano de negócios

Em geral, algumas etapas são padrão em um plano de negócios. Abaixo, você verá quais são e, em seguida, vamos abordar cada uma delas detalhadamente para te auxiliar no processo de construção do seu.

  • Sumário executivo;
  • Análise de mercado (clientes, concorrentes e fornecedores);
  • Plano de marketing;
  • Plano operacional;
  • Plano financeiro.

Passo a passo: como fazer um plano de negócios

Sumário Executivo

O sumário executivo é o primeiro item do plano de negócios. Ele será um apanhado dos pontos mais importantes do seu planejamento.

Apesar de ser a primeira parte do plano, ele só deve ser elaborado no final, porque você precisa dos itens que vêm a seguir para consolidá-lo.

O objetivo do sumário executivo é esclarecer o que você deseja com a proposta de negócio e demonstrar a viabilidade da sua ideia, mas sem detalhar — isso será feito nas próximas páginas.

Veja o que deve constar no sumário executivo:

  • Resumo dos principais pontos do plano de negócio

Esse é o momento de respostas a algumas questões-chave, como: do que se trata o seu negócio e quais são os principais produtos ou serviços que você vai comercializar? Quem serão seus principais clientes? Qual é a previsão de faturamento por mês e qual é o lucro esperado?

  • Dados dos empreendedores, experiência profissional e atribuições

É a hora de se apresentar e apresentar seus sócios, se tiver. Você pode fazer uma breve introdução sobre quem é, sua experiência e habilidades e as atribuições que terá na empresa.

  • Dados do empreendimento

É o momento de colocar o nome da empresa e o número de inscrição no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ) — veja como abrir um CNPJ.

Caso ainda não tenha registrado a empresa no CNPJ, coloque o número do seu CPF.

  • Missão da empresa

Qual é o papel da sua empresa para a área em que ela atua? Isso, a razão pela qual ela existe, é a sua missão. 

Uma das perguntas centrais para encontrar a missão da empresa é responder: qual é o valor do meu produto ou serviço para os meus clientes e para a região e segmento em que atuo?

  • Setores de atividades

A sua empresa pode atuar em alguns setores, como Agropecuária, Indústria, Comércio e Prestação de Serviços. Você saberá qual deles é mais adequado ao definir qual será o produto ou serviço que vai comercializar.

  • Forma jurídica

Aqui, você vai dizer se sua empresa é do tipo Microempreendedor Individual (MEI), Empresário Individual, Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI) ou Sociedade Limitada.

  • Enquadramento tributário

Você pode se enquadrar como microempresa (ME), no caso da pessoa jurídica com receita bruta anual igual ou inferior a R$ 360 mil. Se a receita bruta anual for superior a R$ 360 mil e chegar até R$ 3,6 milhões por ano, será classificado como Empresa de Pequeno Porte (EPP). 

Como ME ou EPP, o Simples Nacional abrange os seguintes tributos e contribuições: IRPJ, CSLL, PIS/PASEP, COFINS, IPI, ICMS, ISS e a Contribuição para a Seguridade Social Patronal.

Outra possibilidade é ser MEI, que trabalha por conta própria e tem receita bruta anual de no máximo R$ 60 mil. Nesse caso,  o recolhimento dos impostos e contribuições é feito a partir de um valor fixo mensal, independente da receita.

  • Capital social

O capital social é, basicamente, todos os recursos que serão investidos pelo dono da empresa no negócio. Podem ser tanto dinheiro como equipamentos e ferramentas.

  • Fonte de recurso

É a hora de dizer de onde vão sair os recursos para colocar a empresa de pé. Eles podem ser próprios, de terceiros ou os dois. Se forem próprios, significa que o dono do negócio fez o investimento.

Já recursos de terceiros envolvem investidores ou empréstimos feitos em alguma instituição financeira.

Análise de mercado

A análise de mercado é a parte do plano em que você estuda seus clientes, a concorrência e os seus potenciais fornecedores. Veja em detalhes como fazer cada um deles.

Análise de clientes

A análise de clientes dentro de um plano de negócios deve ser feita em etapas. Primeiro, identifique o perfil geral das pessoas ou empresas que podem comprar seu produto ou serviço.

No caso de pessoas físicas, procure saber o gênero, qual a faixa etária, qual seu nível de escolaridade, qual é sua renda média e em que lugar elas vivem.

Já para a pessoa jurídica, vale verificar o ramo de atuação das empresas, localização da sede e filiais (se houver), detalhes sobre os produtos e serviços que elas oferecem, quantos colaboradores têm, se são marcas conhecidas ou não, etc.

A próxima etapa é identificar os comportamentos de consumo dos seus potenciais clientes. Onde eles fazem compras? Com qual frequência costumam adquirir o produto ou serviço que você vai oferecer? Qual é o preço que encontram, em geral?

Em seguida, vale entender o que leva os consumidores a adquirir aquilo. Qual é o problema que aquele item resolve na vida deles e o que valorizam mais? Preço, atendimento, prazo, marca?

Análise de concorrentes

A primeira etapa é saber quem são seus principais concorrentes e analisar o que cada um tem de bom e de ruim. Quanto mais você estiver por dentro da estratégia de negócios deles, melhor você vai identificar oportunidades para se diferenciar e aperfeiçoar suas práticas.

Preste atenção em tudo: desde a qualidade do produto ou serviço, do atendimento e pós-venda, preço e garantias disponibilizadas, condições especiais (como descontos), etc.

Essa análise deve te levar a alguns direcionamentos sobre a sua própria empresa. Existe espaço para mais uma empresa nesse setor? 

E mais: você terá condições competitivas para bater de frente com a concorrência? Quais diferenciais você tem e pode oferecer e quais são suas fraquezas, que poderiam ser melhoradas? 

Análise dos fornecedores

Esse é o momento de pensar de onde você vai obter a matéria-prima para produzir aquilo que pretende comercializar. Então, o estudo dos fornecedores deve levar em conta quem vai te ofertar insumos, equipamentos, ferramentas, mercadorias e serviços.

Você pode encontrar opções de fornecedores ao pesquisar na internet, feiras, sindicatos e no próprio Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE). 

Vale a pena consultar pelo menos três empresas para cada serviço que for necessário, para que você tenha noção dos preços e condições que cada um oferece. Mas é sempre bom cultivar o relacionamento com todos, caso seja necessário mudar.

Plano de marketing

O plano de marketing vai trazer a descrição dos seus produtos e serviços, os preços previstos, a forma de comercialização e as estratégias promocionais que podem ser aplicadas. Aqui, você pode aplicar muito do que pesquisou ao estudar os concorrentes.

Na descrição dos produtos e serviços, informe todos os detalhes possíveis: tamanho, modelo, cor, tipo de embalagem e rótulo, linhas que serão disponibilizadas. Se já tiver exemplos, você pode adicionar fotos.

Ao falar sobre preço, lembre-se de considerar que o valor deve ser suficiente para cobrir os custos de produção e ainda estar de acordo com os resultados financeiros esperados.

Nas estratégias promocionais, pense em como você pode começar a divulgar seu produto, para apresentá-lo aos clientes, trazer informações sobre sua utilização ou valorizá-los em relação à concorrência.

Caso o seu negócio seja um e-commerce, confira 11 estratégias de vendas online. Além da internet, você pode usar pensar em propagandas em jornais, rádios ou revistas, investir em amostras grátis para distribuição, brindes ou sorteios, descontos, entre outros.

Quando elaborar o plano de marketing, não se esqueça da estrutura de comercialização, ou seja, os canais de distribuição. Ela pode ser feita pelo dono da empresa, por vendedores internos e externos, representantes comerciais, etc.

Leia mais: Como fazer a melhor gestão de vendas para a sua empresa

Aqui, vale ainda falar sobre onde sua empresa vai estar localizada e os motivos para a escolha.

Plano operacional

Dentro de um plano de negócios, o plano operacional define como será a organização física da empresa, prevê a capacidade instalada, processos operacionais e a quantidade de funcionários necessária. 

A organização física da empresa é importante porque traz benefícios como aumento da produtividade e menor desperdício. Explique como será a distribuição dos setores da empresa, como onde ficarão o estoque, equipamentos, e cada uma das equipes.

A capacidade instalada nada mais é do que quanto você pode produzir com a estrutura que tem.

Os processos operacionais, por sua vez, são as rotinas realizadas na empresa, desde a fabricação do produto, comercialização e pós-venda, até as funções administrativas.

Leia mais: Conheça as soluções do PicPay Empresas para o seu negócio

Vale a pena pensar em cada uma delas, em quem serão os responsáveis e descrevê-las por etapas. Uma ideia para isso é elaborar um roteiro com um dia comum na empresa.

Com o passo acima, você conseguirá identificar quantas pessoas a empresa precisa. Isso inclui você, outros sócios e os colaboradores a serem contratados.

Plano financeiro

O plano financeiro é uma das etapas mais importantes e mais complexas do plano de negócios. Mas não se preocupe, é possível elaborá-lo com bastante disciplina e dedicação.

Ele deve conter as principais estimativas de investimentos e custos do negócio, como:

  • Investimento total (fixos, capital de giro e investimentos pré-operacionais);
  • Estimativa de faturamento mensal;
  • Estimativa de custo unitário de matéria-prima, materiais diretos e terceirizações;
  • Estimativa de custos para comercialização;
  • Estimativa dos custos de mão de obra;
  • Estimativa de custos fixos operacionais mensais.

O plano financeiro também deve demonstrar a viabilidade do negócio, ou seja, que ele é capaz de dar lucro.

  • Indicadores de viabilidade;
  • Ponto de equilíbrio (quanto é preciso faturar para pagar os custos da empresa);
  • Lucratividade;
  • Rentabilidade;
  • Prazo de retorno do investimento.

Ah, vale lembrar que manter seu plano de negócios atualizado é fundamental para que ele continue fazendo sentido, tudo bem?

O que é Business Model Canvas?

O Business Model Canvas, também conhecido como “Quadro de modelo de negócios”, pode ser uma boa alternativa para quem quer aprender como fazer um plano de negócios.

Business Model Canvas é uma ferramenta que auxilia no desenvolvimento de um plano de negócios. Nada mais é do que um mapa visual que contém nove blocos:

Na parte de “Como?”, estão as atividades-chave, os recursos-chave e a rede de parceiros. Em “O que?”, você encontra a proposta de valor, produtos e serviços oferecidos pelo negócio. Em “Para quem?”, estão os segmentos de clientes, canais e relacionamento com o cliente. Por fim, há “Quanto?”, que compreende a estrutura de custos e os fluxos de receita.

Como usar o Business Model Canvas? Você pode buscar o modelo e imprimi-lo para te guiar na construção do seu plano de negócios. 

Dicas para montar seu primeiro plano de negócios

Se é seu primeiro plano de negócios, pode ser que você tenha ficado assustado com o volume de informações de que precisa. Mas não se preocupe. Confira abaixo algumas dicas para auxiliar no processo.

  • Crie uma agenda de trabalho: separe um momento do seu dia para se dedicar ao plano;
  • Procure materiais complementares, como livros sobre o tema, que tornarão o assunto mais simples;
  • Utilize modelos prontos, como o próprio Canvas, para começar a despertar suas ideias e criatividade. Depois você pode partir para algo mais aprofundado.

Não se esqueça: saber como fazer um plano de negócios é o primeiro passo na trajetória de sucesso da sua empresa.

E aí, as dicas foram úteis? Então confira outros conteúdos para impulsionar o seu negócio!

Esse conteúdo foi útil? Deixe aqui sua avaliação

Média da classificação 3 / 5. Número de votos: 8

Compartilhe este Post:

Conteúdos relacionados