Como economizar energia em 11 passos simples

Veja o que provocou o aumento da conta de luz nos últimos anos e saiba como economizar energia elétrica em sua residência com 11 dicas

8 de julho de 2022 Atualizado em 9 de setembro de 2022

Tudo está caro, não é mesmo? Com a inflação em alta, itens como gasolina, alimentos e energia elétrica estão encarecendo mais a cada dia. No fechamento do mês, a conta de luz é uma dor de cabeça para vários brasileiros. Aprenda como economizar energia e ter um respiro na hora de pagar as contas da sua casa.

Neste conteúdo, além de receber dicas de como economizar energia elétrica na sua residência, você vai ter respostas para as seguintes perguntas: 

  • Por que a energia elétrica está tão cara?
  • Quanto a conta de luz aumentou nos últimos anos?
  • Qual é a relação da energia elétrica com a inflação?
  • O que fazer para gastar menos energia?
  • Como pagar conta de luz com cartão de crédito?

Quais são os motivos para o aumento na conta de luz?

Não é impressão sua, a conta de luz ficou mais cara nos últimos tempos. Mas qual é o motivo? Antes de explicarmos, é importante demonstrarmos esse aumento da energia em números.

Segundo dados da Aneel, a Agência Nacional de Energia Elétrica, o valor médio do Megawatt-hora no Brasil quase dobrou de 2011 para cá. O preço cobrado em residências saiu de R$ 340,93 para R$ 669,78, um aumento de 96,4%. 

De acordo com o IBGE, o preço da energia elétrica residencial teve um aumento de 21,21% ao longo do ano de 2021, enquanto a inflação geral foi de 10,06% no mesmo período. Os dados são do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo de dezembro de 2021.

Um levantamento da Associação dos Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres aponta que os brasileiros pagam a segunda conta de luz mais cara entre os 33 países mais desenvolvidos do mundo.

Todos os anos, a Agência Nacional de Energia Elétrica faz uma análise para aprovar ou rejeitar reajustes nos preços cobrados pelas distribuidoras. O objetivo é adequar o valor às condições do setor. 

A Aneel leva em conta a variação no valor dos encargos, custos de distribuição e custos de aquisição de energia elétrica pelas distribuidoras. 

O que ocorre é que o setor foi duramente afetado pela crise hídrica de 2021, em que os principais reservatórios de água do país chegaram a operar apenas com cerca de 20% da capacidade, por conta da falta de chuvas.

Durante o período mais crítico, até o mês de abril deste ano, a Agência estipulou uma nova bandeira tarifária, de escassez hídrica, que deixou a conta de luz dos brasileiros até 7% mais cara. Mais a frente vamos falar mais sobre as bandeiras tarifárias.

A dependência do país em relação à geração de energia hidráulica pode ser observada no Balanço Energético Nacional de 2021, feito pela Empresa de Pesquisa Energética do Governo Federal. 

Durante o ano de 2021, 53,4% da matriz elétrica brasileira foi de geração hidráulica. Essa porcentagem foi consideravelmente menor do que a registrada em 2020, por exemplo, quando a hidroeletricidade representou 60,7% da matriz elétrica do país. 

Para ficar mais claro, isso significa que mais da metade da energia disponível no Brasil é produzida em usinas hidrelétricas.

Quanto aumentou a energia em 2022?

Por incrível que pareça, o preço da conta de luz apresentou uma leve queda em 2022, segundo acompanhamento mensal do IBGE. Essa diminuição ocorreu após o fim da bandeira tarifária de escassez hídrica, em abril.

Como nem tudo são flores, a conta de luz aumentou a partir do mês de julho deste ano. A Aneel aprovou reajustes para as distribuidoras que podem chegar a 24%. Em São Paulo, o reajuste na conta de luz já passou a valer, com aumento médio de 12,04% para o consumidor.

Para você saber quanto vai ser o aumento da energia elétrica na sua residência, é importante que você pesquise junto à distribuidora da sua região, já que o reajuste é diferente para cada empresa.

O que é bandeira tarifária?

Você já pode ter se perguntado: “o que é bandeira vermelha na conta de luz?”. Essa dúvida é bastante comum, pois as bandeiras tarifárias são relativamente novas nas contas de energia. Vamos te explicar o que elas significam e a diferença de cada tarifa na conta de luz.

Como falamos anteriormente, a maior parte da matriz elétrica brasileira vem das hidrelétricas. Contudo, elas sozinhas não são capazes de suprir toda a demanda no país, sobretudo em períodos de seca. Nesses momentos, as distribuidoras precisam recorrer às usinas termelétricas. 

Basicamente, as bandeiras tarifárias, que podem fazer a conta de luz subir muito de preço, são um mecanismo para repassar ao consumidor o aumento no custo da geração da energia elétrica. 

As bandeiras mais caras são acionadas quando há uma diminuição na geração de energia hidráulica e um aumento na necessidade de energia de termelétricas, que custa mais para ser produzida.

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado em 2015 para sinalizar ao cliente o custo de geração de energia naquele momento. Antes disso, o custo extra de acionamento de termelétricas só era repassado ao consumidor no reajuste anual, com juros.

Agora que você sabe o que são bandeiras tarifárias, veja quanto custa cada uma delas, segundo reajuste aprovado pela Aneel.

Qual o valor das bandeiras tarifárias?

Bandeira tarifáriaValor em Reais
VerdeNenhuma taxa extra é cobrada na conta de luz
AmarelaR$ 2,989 a cada 100 kWh
Vermelha (patamar 1)R$ 6,50 a cada 100 kWh
Vermelha (patamar 2)R$ 9,795 a cada 100 kWh
Escassez hídricaR$ 14,20 a cada 100 kWh

O que é inflação energética?

A inflação, calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, é medida com base em vários produtos e serviços que fazem parte da rotina da população, como alimentação, transporte e habitação. 

O preço da energia elétrica residencial é um dos subitens acompanhados pelo IBGE. Portanto, existe uma relação direta entre a inflação energética e a inflação geral, como ocorreu ao longo de 2021.

Mas a relação entre o preço da energia e a inflação é bem mais complexa. Assim como o aumento do petróleo, por exemplo, impacta diversos outros produtos e serviços, o preço da energia elétrica também tem uma grande influência.

Isso porque a indústria e vários serviços também dependem da eletricidade. Quando o preço da conta sobe, a tendência é de que o aumento seja repassado ao consumidor final, impactando indiretamente a inflação.

Com o preço da conta de luz em alta, o jeito é buscar maneiras de gastar menos energia. No final do conteúdo, te daremos dicas de como economizar energia elétrica com algumas atitudes simples.

Leia mais: Como economizar dinheiro com 20 dicas de finanças

Quanto custa em média a conta de luz?

O preço da conta de luz varia de cidade para cidade, já que os valores praticados por cada distribuidora são diferentes. Além do mais, existem os impostos estaduais e municipais que também variam.

O valor é calculado com base na quantidade de quilowatts-hora (kWh) consumidos em cada residência. A Aneel conta com uma ferramenta para simular o valor da conta de luz, informando o consumo durante o mês. Abaixo, veja qual o valor do kWh em reais atualmente.

Quanto custa 1 kWh em reais em 2022?

Em junho de 2022, a tarifa média praticada a cada quilowatt-hora em todo o país é de R$ 0,670, de acordo com a Aneel. Como já falamos, o preço do kWh varia de acordo com cada região. 

Para você ter uma ideia, considerando o consumo médio de energia elétrica nas residências brasileiras, de 152,2 kWh por mês, a conta de luz pode variar entre cerca de R$ 82 no Amapá, onde a tarifa é mais barata, e aproximadamente R$ 125 no Mato Grosso, onde é mais cara.

O dado sobre o consumo médio dos brasileiros é de um levantamento do Laboratório de Eficiência Energética em Edificações, da Universidade Federal de Santa Catarina.

Quer saber quanto custa o kWh em SP e também em outros estados? Veja o ranking com os estados com energia mais cara e mais barata, de acordo com os dados divulgados pela Aneel em julho deste ano.

EstadoTarifa média cobrada por kWh
Mato GrossoR$ 0,825
Rio de JaneiroR$ 0,817
Mato Grosso do SulR$ 0,813
AmazonasR$ 0,804
ParáR$ 0,766
AlagoasR$ 0,750
BahiaR$ 0,749
PernambucoR$ 0,739
PernambucoR$ 0,736
Minas GeraisR$ 0,732
SergipeR$ 0,680
Rio Grande do NorteR$ 0,672
Rio Grande do SulR$ 0,669
TocantinsR$ 0,668
MaranhãoR$ 0,642
AcreR$ 0,640
GoiásR$ 0,637
PiauíR$ 0,628
São PauloR$ 0,624
Espírito SantoR$ 0,613
ParaíbaR$ 0,593
RoraimaR$ 0,580
Distrito FederalR$ 0,575
ParanáR$ 0,570
Santa CatarinaR$ 0,570
RondôniaR$ 0,546
AmapáR$ 0,540

Como é feito o cálculo de kWh?

Cada aparelho eletrônico da sua casa demanda uma quantidade diferente de energia para funcionar. Para saber como calcular kWh hora da conta de luz, você pode fazer o cálculo de cada aparelho, com uma conta bem simples.

Consumo de kWh = potência do aparelho em Watts (W) X tempo de uso diário / 1.000

Vamos dar um exemplo, para ficar mais fácil. Normalmente, a potência de um chuveiro elétrico é de 5.500W. Se você e seus familiares ficassem, em média, durante duas horas por dia no banho, a conta ficaria da seguinte forma: 

Consumo de kWh = 5.500 X 2 / 1.000

Consumo de kWh = 11.000 / 1.000

Consumo de kWh = 11 

Se você quiser saber quantos quilowatts-hora você gastaria apenas com banhos, basta multiplicar esse resultado pela quantidade de dias do mês. Em um mês com 30 dias, a conta ficaria da seguinte maneira:

Consumo de kWh no mês = 11 X 30

Consumo de kWh no mês = 330

Isso significa que em um mês, sua residência consumiria 330 kWh só com o chuveiro elétrico. Com as tarifas atuais, você gastaria em média R$ 220 com banhos, levando em conta a média da tarifa no Brasil.

O que é cobrado na conta de luz?

Quando você paga a conta de luz da sua residência, você está arcando com diversos custos, que são recebidos pela distribuidora e repassados para as instituições responsáveis. A conta de luz é composta por:

  • Custos de geração e distribuição de energia elétrica;
  • Encargos, que são benefícios concedidos pelo governo para o desenvolvimento do setor;
  • Impostos federais e estaduais: Programas de Integração Social (PIS), Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS);
  • Custeio do Serviço de Iluminação Pública, pago ao município;
  • Bandeira tarifária, que já explicamos acima.

Sobre os impostos, uma dúvida muito comum é: “pode ser cobrado ICMS na conta de luz?”. A resposta é sim! Por ser um tributo estadual, a alíquota é definida por cada estado. 

O que é consumo TE na conta de luz? 

Na sua conta de luz é possível ver o valor total dividido entre duas categorias: consumo TE e consumo TUSD.

TE significa Tarifa de Energia, ou seja, é o valor cobrado pelo produto consumido por você, a energia elétrica.

O que é consumo TUSD na conta de luz?

Já a sigla TUSD significa Tarifa do Uso do Sistema de Distribuição. Essa tarifa é cobrada pelo serviço prestado pela distribuidora de levar energia elétrica para a sua residência.

Como economizar energia elétrica em sua residência?

Agora que você já sabe sobre como é calculado o preço da sua conta de luz e os motivos dela ter subido de valor nos últimos tempos, podemos entrar no tópico de como economizar energia. Para isso, é interessante saber o que mais consome energia na sua residência.

Qual é o eletrodoméstico que consome mais energia?

De acordo com um levantamento da Consultoria em Engenharia Elétrica da Universidade de Brasília, a lista com os eletrodomésticos que mais consomem energia é a seguinte: 

  • Ar-condicionado: consumo mensal médio entre 129 kWh até 679 kWh;
  • Chuveiro elétrico: consumo mensal médio de 88 kWh;
  • Cooktop: consumo mensal médio de 68 kWh;
  • Geladeira:  consumo mensal médio entre 40 e 57 kWh;
  • Lavadora de louças:  consumo mensal médio de 31 kWh;
  • Televisão: consumo mensal médio de 30,45 kWh;
  • Ventilador: consumo mensal médio de 17,52 kWh;
  • Computador: consumo mensal médio de 15,12 kWh;
  • Forno elétrico:  consumo mensal médio de 15 kWh;
  • Secadora de roupas: consumo mensal médio de 14,92 kWh.

O que fazer para gastar menos energia?

É possível adotar práticas simples no seu dia a dia para deixar a conta de luz mais barata no fim do mês. Confira 11 dicas de como economizar energia elétrica na sua residência!

Utilize aparelhos eficientes

Desde 1993, eletrodomésticos, como geladeira, televisão e microondas, precisam vir com um selo do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (PROCEL), informando a eficiência energética do aparelho.

Equipamentos de iluminação, aquecedores solares, bombas e motores elétricos também fazem parte do programa.

O selo possui níveis que vão de “A” até “G”, sendo que os aparelhos considerados “A” são os mais eficientes e os “G” são os menos. 

O ideal é que você busque sempre por equipamentos mais eficientes, para evitar o desperdício de energia e economizar na conta de luz.

Aproveite a luz natural

Outra dica simples de como economizar energia, é aproveitar a luz natural para não precisar utilizar lâmpadas e gastar energia durante o dia. 

Se você precisa de um ambiente iluminado, não deixe a cortina fechada e opte por lugares com janelas grandes e paredes claras. 

Use lâmpadas de LED

Atualmente, as lâmpadas de LED são as mais econômicas para a sua casa. Para você ter uma ideia, uma lâmpada de LED de 10w ilumina o mesmo que uma lâmpada incandescente de 60w.

No fim do mês, essa simples mudança pode gerar uma economia de até 80% nos gastos com iluminação. 

As lâmpadas fluorescentes também são boas alternativas em relação às incandescentes, mas ainda assim são menos econômicas que as de LED.

Diminua o tempo de banhos quentes

O chuveiro é um dos principais vilões das contas de luz. Por exigir uma grande quantidade de energia para funcionar, ele tem um peso significativo na conta, no fim do mês.

Por isso, é muito importante que você e sua família façam uso do equipamento de forma consciente. Evite banhos longos e, se for preciso, desligue o chuveiro enquanto você se ensaboa.  

Utilize a geladeira de forma consciente

As geladeiras e freezers também têm um grande impacto na conta de luz da sua residência, principalmente pelo fato de ficarem ligados de forma ininterrupta. 

Para evitar que o seu refrigerador gaste mais energia para manter a baixa temperatura interna, você pode adotar algumas práticas como: 

  • Só abra quando for necessário;
  • Fique o mínimo de tempo possível com a porta aberta;
  • Não coloque o equipamento em um local quente e posicione em um espaço arejado;
  • Não utilize a parte de trás para secar roupas;
  • Confira a borracha de vedação;
  • Não deixe acumular gelo no congelador.

Lave as roupas de uma só vez

As máquinas de lavar roupa, sobretudo aquelas que possuem função de secar, também gastam muita energia. 

Uma boa medida para economizar energia, e água também, é diminuir a frequência de lavagens. Tente lavar o máximo de roupas sujas de uma única vez. 

Cuidado com o ar-condicionado

O Brasil é um país tropical, abençoado por Deus e bonito por natureza. E quente! Com esse clima, aparelhos de ar-condicionado têm se tornado cada vez mais comuns na casa dos brasileiros.

Além do preço do equipamento, o uso dele pode deixar a conta de luz bem mais cara. O consumo é semelhante ao do chuveiro elétrico, mas geralmente ele fica ligado por mais tempo ao longo do dia.

Uma dica para gastar menos é usar apenas quando for necessário, com uma temperatura não tão baixa e em um ambiente fechado. Ou seja, não use o ar-condicionado com a janela aberta.

Não durma com a televisão ligada

Uma prática que precisa ser abolida na sua casa, caso você queira maneiras de economizar energia, é a de dormir com a televisão ligada.

Desligue o aparelho antes de dormir ou utilize a função de desligamento automático após algum período de tempo.

Tire os aparelhos da tomada

O seu celular já carregou completamente? Você não vai usar o seu microondas no momento? Tire os equipamentos da tomada. Isso vale para qualquer aparelho que esteja em desuso. Prefira desligar do que manter em stand-by.

Essa dica simples pode fazer você economizar até 12% na sua conta de energia.

Pense na hipótese de instalar painéis solares 

Uma maneira de economizar na conta de luz é utilizando energia solar. Como esses equipamentos exigem um investimento, é importante que você faça as contas para saber se compensa ou não.

Confira se vale a pena aderir à tarifa branca

A Tarifa Branca é uma opção que cobra valores diferentes de acordo com o horário de consumo da energia. Caso você gaste mais energia fora dos horários de pico e aos finais de semana, essa pode ser uma boa alternativa.

Caso você tenha interesse, basta procurar a sua distribuidora, que tem até 30 dias para substituir o medidor de energia da sua residência. Se mudar de ideia, você tem até 30 dias para retornar à Tarifa Convencional.

Qual o horário em que a energia é mais barata?

Para saber quais são os horários de pico e quais são os horários em que a energia é mais barata, a Aneel possui uma ferramenta para verificar as condições em cada distribuidora.

Como pagar a conta de luz pela internet?

A maior parte das instituições financeiras oferecem a oportunidade de você pagar a sua conta de luz, ou outros boletos, pelo internet banking do celular ou do computador.

Leia mais: Como saber se o boleto é falso? 10 dicas para descobrir

O PicPay vai além e permite a você pagar conta de luz com cartão de crédito e ainda parcelar conta de luz. Veja como!

Como pagar conta de luz com cartão de crédito no PicPay?

  • Crie uma conta no PicPay ou faça o login, caso você já tenha uma;
  • Abra o app e toque em “Pagar Boleto”, na tela inicial;
  • Selecione uma entre as três opções: usar leitor de código de barras, digitar o código de barras manualmente ou pagar com Pix;
  • Escolha a forma de pagamento, entre cartão de crédito, saldo em carteira ou os dois ao mesmo tempo;
  • Confirme e pronto!

Há a opção de agendar o pagamento para outra data. Além do mais, pagamentos após as 19 horas ou aos fins de semana e feriados só serão efetuados no próximo dia útil.

Pagamentos de contas de luz, saneamento, gás e impostos com cartão de crédito, possuem uma taxa de 3,99% referente a prestação de serviço para operacionalizar a adição de saldo em carteira com o cartão.

Como parcelar conta de luz?

Para parcelar a conta de luz pelo PicPay, basta seguir o passo anterior, mas selecionar a opção de parcelamento. É importante destacar que, além da taxa de pagamento pelo cartão, há um acréscimo de 4,49% por parcela.

Quando você opta por parcelar, o aplicativo já apresenta o valor final das parcelas com as eventuais taxas do parcelamento inclusas. O PicPay também permite o parcelamento de contas de luz atrasadas.

Como pagar conta de luz atrasada no PicPay? 

O pagamento de conta de luz em atraso segue a mesma lógica anterior, também com a possibilidade de parcelamento.

Para que você não perca os prazos, o PicPay lançou uma funcionalidade chamada Contas em Dia, em que todas as suas contas e boletos ficam centralizados em uma aba do aplicativo.

Para facilitar ainda mais a sua vida, o PicPay te lembra sempre que a data de vencimento se aproxima.

Leia mais: Como juntar dinheiro para sair das dívidas em 9 dicas

Como conseguir desconto na conta de luz? 

As famílias brasileiras de baixa renda podem ter acesso ao programa de Tarifa Social, que dá descontos de até 65% na conta de luz.

Antigamente, o cadastro precisava ser feito junto às distribuidoras, mas agora a inclusão é automática para pessoas inscritas no Cadastro Único ou que recebem o Benefício de Prestação Continuada. Podem aderir à Tarifa Social:

  • Idosos com mais de 65 anos ou pessoas com deficiência, que recebam Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social (BPC);
  • Famílias inscritas no Cadastro Único com renda familiar per capita menor ou igual a meio salário mínimo;
  • Famílias inscritas no Cadastro Único com renda mensal de até 3 salários mínimos que tenham algum integrante com deficiência que exija tratamento com aparelhos que consomem energia. 

Como puxar conta de luz pelo CPF?

Para você ter acesso à segunda via da sua conta de luz, você precisa conferir como funciona esse serviço junto à distribuidora que leva energia à sua residência, porque varia de acordo com cada região. 

O mesmo vale para conferir como saber o valor da conta de luz pela internet.

Quem tem energia solar paga conta de luz?

Mesmo se a quantidade de energia gerada na sua residência for maior do que a consumida ao longo do mês, você precisa pagar uma taxa mínima para a distribuidora.

O valor mínimo também varia segundo cada distribuidora. Em resumo, você precisa pagar a taxa de iluminação pública local e também o custo de disponibilidade da energia.

Você gostou das dicas de como economizar energia elétrica e quer ter acesso a mais conteúdos que podem ajudar o seu bolso? Acesse nossos conteúdos com dicas de economia de dinheiro!

Esse conteúdo foi útil? Deixe aqui sua avaliação

Média da classificação 3.7 / 5. Número de votos: 20

Compartilhe este Post:

Conteúdos relacionados