Quanto rende emprestar dinheiro a juros? Saiba como comparar

Entenda quanto de retorno você pode ter ao emprestar dinheiro a juros e como comparar para saber onde sua grana rende mais

25 de julho de 2022 Atualizando em 29 de julho de 2022

Sabia que é possível emprestar dinheiro a juros? Sim, você pode fazer empréstimos a outras pessoas, ajudá-las a organizar as finanças e realizar sonhos e, de quebra, ainda receber um bom rendimento por isso.

Ganhar dinheiro com empréstimos é possível a partir do que é chamado de empréstimo entre pessoas físicas, ou peer-to-peer lending, em inglês. Essa modalidade é totalmente legal: foi aprovada em 2018 pelo Banco Central.

Mas, afinal, como funciona emprestar dinheiro a juros? Como calcular a rentabilidade desse tipo de investimento e comparar para saber onde investir meu dinheiro para render mais?

É sobre isso que vamos falar hoje. Quer saber como ganhar dinheiro no PicPay? É só conferir as nossas dicas!

Como funciona emprestar dinheiro a juros?

E então, como emprestar dinheiro a juros? No PicPay, existem investidores particulares que emprestam valores por meio do Clube de Empréstimo, uma forma de investir no PicPay.

O Clube, lançado em março de 2022, é uma forma de conectar pessoas que precisam de dinheiro com investidores. Dessa maneira, quem quer investir sua grana pode emprestar dinheiro a tomadores, que procuram por um empréstimo.

Em troca, os investidores recebem um rendimento por isso. É possível aplicar valores a partir de R$ 50 e ter um rendimento de até 162% ao ano, com retorno mensal, sem taxas de administração ou corretagem. 

Já quem pega o empréstimo tem outras facilidades, como poder negociar prazos e valores, que podem ser melhores do que em outras instituições.

No Clube de Empréstimo, o PicPay é responsável pela cobrança do valor emprestado, avaliação do risco de cada tomador e, também, por intermediar toda a negociação. 

Leia mais: O que é PicPay e como funciona o aplicativo?

O Clube é mais uma alternativa para quem usa o PicPay como um app para investir e ganhar dinheiro, além do rendimento da conta digital.

É seguro emprestar dinheiro a juros?

Afinal, o empréstimo entre pessoas é seguro? Sim, é uma modalidade aprovada pelo Banco Central e que em nada tem a ver com agiotagem. 

Agiotagem é aquela prática — que é considerada crime! — em que uma pessoa empresa dinheiro a outra com juros excessivos, acima dos limites permitidos pela lei.

O empréstimo entre pessoas físicas, por outro lado, é regulamentado e, por isso, seguro.

Essa modalidade é possível a partir da criação da Sociedade de Empréstimos entre Pessoas (SEP), que foi regulamentada pela resolução 4.656 do Banco Central, de abril de 2018.

Segundo essa resolução, a SEP é a instituição financeira que faz operações de empréstimo e de financiamento entre pessoas exclusivamente por meio de plataforma eletrônica.

O PicPay atua em parceria com uma SEP para permitir que o empréstimo entre pessoas aconteça. 

Essa SEP permite que a operação seja realizada, enquanto o app PicPay é o ambiente que possibilita que a negociação seja feita com a melhor experiência possível. 

Aqui vai um lembrete importante: os investidores devem estar atentos aos riscos envolvidos, como acontece com todas aplicações. O principal deles é o risco de não receber o valor que foi emprestado. 

Se quiser entender melhor se o Clube de Empréstimo é para você, conheça os perfis de investidores e confira dicas de como investir com segurança.

Como calcular rentabilidade do empréstimo entre pessoas?

Bom, agora você entendeu como funciona o Clube. Mas como calcular a rentabilidade do seu investimento em um empréstimo?

Antes de explicarmos como é feito o cálculo do rendimento do seu investimento, é importante saber que o Clube de Empréstimo não é uma aplicação tradicional e por isso tem algumas características próprias.

No Clube, você investe emprestando dinheiro para outras pessoas. Em outras palavras, você é remunerado da mesma forma como um banco é remunerado quando faz um empréstimo pessoal ou financiamento para uma pessoa.

Por isso, vamos explicar como funciona a lógica das instituições tradicionais e, em seguida, explicar como isso se aplica ao nosso caso, tudo bem?

Quando fazemos um financiamento, a cada parcela pagamos de volta uma parte que é referente ao dinheiro que pegamos emprestado (principal) e outra parte que é a remuneração por ter emprestado o dinheiro (juros).

O percentual dos juros é sempre igual e é cobrado mês a mês sobre o valor que ainda falta a ser pago. 

Um exemplo: uma pessoa pega um valor emprestado de R$ 1.000 a uma taxa de 1,8% ao mês. Ela vai pagar em parcelas mensais de R$ 93,40.

No primeiro mês, ela irá pagar de juros R$ 18,00 (1,8% de R$ 1.000) e descontará dos R$ 1.000 emprestados o que faltou para completar o valor da parcela (R$ 93,40 – R$18,00 = R$75,40). Ou seja, R$ 18,00 de juros e R$ R$ 75,40 da quantia principal.

No mês seguinte, a mesma taxa de 1,8% será aplicada nos R$ 924,60 restantes (R$1.000 – R$75,40), dando assim R$ 16,64 de juros (1,8% de R$924,60). Esse processo continua até a pessoa ter pago todo o valor que devia.

Como no exemplo acima, em cada parcela paga, uma parte do valor é utilizada para diminuir o quanto se está devendo e outra parte remunera a instituição que emprestou pelo tempo que o dinheiro ficou com o tomador, por meio de juros. Como os pagamentos são mensais, esse tempo costuma ser de um mês. 

Olhando mês a mês, a taxa de juros é sempre a mesma, mas o valor sobre o qual ela é cobrada vai diminuindo. 

Por isso, ao calcular o quanto se paga no final de todas as parcelas, não podemos usar a taxa ao ano. Afinal, seria como dizer que a pessoa só pagou suas dívidas no final do prazo.

Fazer a conta dessa forma resultaria em um valor muito maior a ser pago do que realmente acontece.

Quem determina o quanto de principal e o quanto de juros é pago em cada mês é conhecido como Tabela PRICE e é ela que usamos para dividir as parcelas do empréstimo.

Na tabela abaixo, você encontra um exemplo de como essa lógica funciona com um empréstimo de R$ 1.000 a uma taxa de 1,8% ao mês.

ParcelasData de VencimentoParcelaValor DevidoPrincipalJurosNovo Saldo
InícioR$ 1,000.00R$ 1,000.00
107/05/2022R$ 93.40R$ 924.60R$ 75.40R$ 18.00R$ 924.60
208/05/2022R$ 93.40R$ 941.24R$ 76.76R$ 16.64R$ 847.84
309/05/2022R$ 93.40R$ 863.10R$ 78.14R$ 15.26R$ 769.70
410/05/2022R$ 93.40R$ 783.55R$ 79.55R$ 13.85R$ 690.15
511/05/2022R$ 93.40R$ 702.57R$ 80.98R$ 12.42R$ 609.17
612/05/2022R$ 93.40R$ 620.14R$ 82.44R$ 10.97R$ 526.73
701/05/2023R$ 93.40R$ 536.22R$ 83.92R$ 9.48R$ 442.81
802/05/2023R$ 93.40R$ 450.78R$ 85.43R$ 7.97R$ 357.38
903/05/2023R$ 93.40R$ 363.82R$ 86.97R$ 6.43R$ 270.41
1004/05/2023R$ 93.40R$ 275.28R$ 88.53R$ 4.87R$ 181.88
1105/05/2023R$ 93.40R$ 185.15R$ 90.13R$ 3.27R$ 91.75
1206/05/2023R$ 93.40R$ 93.40R$ 91.75R$ 1.65R$ 0.00

Agora, vamos aplicar o mesmo raciocínio ao Clube de Empréstimos.

Como comparar o Clube de Empréstimo a outros investimentos?

“Onde investir meu dinheiro para render mais” é a pergunta que todo investidor faz. Afinal, quem investe busca sempre o melhor retorno para o seu dinheiro.

Se você fizesse o cálculo de quanto rende emprestar dinheiro a juros com base só na taxa ao ano, e não da forma como mostramos acima, chegaria a um valor muito maior, mas não estaria correto.

O que você recebe pelo seu investimento todo mês é justamente o valor pago por quem pegou o dinheiro emprestado. Ou seja, o valor que você recebe tem parte de juros e parte que é devolvido pelo tomador.

No exemplo acima, no primeiro mês, seria R$93,40 (R$18,00 de juros e R$75,40 do principal). 

No caso do Clube de Empréstimo, que é um produto bem diferente do que estamos acostumados a ver por aí, pode ficar difícil de comparar mesmo. 

Como explicamos ali em cima, ao longo do empréstimo você tem entradas e saídas de valores, todo mês o valor que você recebe vai mudando, e você vai recebendo parte do dinheiro de volta, o que não acontece em outros tipos de investimentos.

No entanto, existe uma forma de comparar os investimentos para saber qual é mais vantajoso para você.

Para bancos e empresas que já estão acostumadas a concederem empréstimos, essa também é uma tarefa difícil. É por isso que eles inventaram uma forma de conseguir comparar esse tipo de investimento e resolver esse problema. Essa forma é a Taxa Interna de Retorno.

A Taxa Interna de Retorno, mas conhecida como TIR, é uma medida comparativa que te ajuda a entender o quanto aquele investimento rende, considerando as entradas e saídas dos valores. Ela é muito comum no mundo das empresas e também no de investimento em ações. 

Quando calculamos a TIR, ela considera como se o investimento estivesse aplicado durante todo um período e te ajuda a ter uma noção de quanto aquele investimento estaria rendendo se o seu dinheiro ficasse aplicado durante todo o tempo.

A TIR não é o quanto você vai ter de retorno no final das contas, mas é a forma que você consegue comparar um investimento que tem entradas e saídas de valores com investimentos tradicionais de renda fixa para saber em qual deles o seu dinheiro vale mais.

Por exemplo: se você está avaliando emprestar um dinheiro com uma taxa de juros 1,8% ao mês e quer comparar se vale mais a pena investir seu dinheiro em um investimento que rende 100% do CDI (13,15% ao ano), não dá para saber qual dos dois é melhor, certo?

Leia mais: O que é CDI e como fazer o dinheiro render mais no PicPay?

Cada um deles está em uma medida e tem formas de receber dinheiro diferentes. É aqui que entra a TIR. Ao transformar o rendimento em “ao mês” do empréstimo em uma TIR, você chega a um valor de 13,15% ao ano. 

Com as duas ofertas na mesma medida, fica muito mais fácil enxergar qual delas o seu dinheiro está valendo mais: o empréstimo no Clube traria um rendimento de 23,51% ao ano, enquanto o do CDI seria menor, de 12,5% ao ano.

E como calcular a TIR do Clube de Empréstimo? Essa é simples! Pensando em facilitar a vida dos investidores, para que eles consigam comparar o investimento em emprestar dinheiro a juros com outras aplicações, o PicPay disponibiliza o cálculo da TIR durante a contratação do produto.

Como calcular o rendimento de emprestar dinheiro a juros no PicPay
Como emprestar dinheiro a juros pelo PicPay

Como calcular o IR sobre investimentos de empréstimo a juros?

Para saber em reais exatamente o quanto você irá receber pelo valor investido no Clube, é preciso descontar o valor que é recolhido do Imposto de Renda (IR) sobre o rendimento do empréstimo. Para isso, precisamos seguir as regras estabelecidas pela Receita Federal para realizar o cálculo.

O IR é cobrado sobre os juros e não sobre o valor total recebido. Logo, você será tributado sobre o valor que recebeu e não sobre o valor que investiu no começo. Essa cobrança é feita seguindo a tabela abaixo do IR: 

  • 22,5% para aplicações com prazo de até 180 dias;
  • 20% para aplicações com prazo de 181 até 360 dias;
  • 17,5% para aplicações com prazo de 361 até 720 dias;
  • 15% para aplicações com prazo acima de 720 dias.

Dias passadosDias AcumuladosJurosIRRetenção
022.5%R$ 0.00
4949R$ 18.0022.5%R$ 4.05
3180R$ 16.6422.5%R$ 3.74
31111R$ 15.2622.5%R$ 3.43
30141R$ 13.8522.5%R$ 3.12
31172R$ 12.4222.5%R$ 2.79
30202R$ 10.9720.0%R$ 2.19
31233R$ 9.4820.0%R$ 1.90
31264R$ 7.9720.0%R$ 1.59
28292R$ 6.4320.0%R$ 1.29
31323R$ 4.8720.0%R$ 0.97
30353R$ 3.2720.0%R$ 0.65
31384R$ 1.6520.0%R$ 0.33
TotalR$ 120.81R$ 26.07

E aí, gostou de saber quanto seu dinheiro pode render com o empréstimo entre pessoas físicas? Então confira outras dicas para cuidar bem da sua grana!

Esse conteúdo foi útil? Deixe aqui sua avaliação

Média da classificação 4.1 / 5. Número de votos: 14

Compartilhe este Post:

Conteúdos relacionados