Blog do PicPay: conteúdos sobre pagamentos, app e muito mais

Transição de carreira: PicPay Lover entrou na tecnologia aos 43

Conheça a história de Fernanda Haddad, que fez uma transição de carreira ao deixar a profissão de educadora física para se tornar desenvolvedora no PicPay

22 de fevereiro de 2022 Atualizado em 10 de maio de 2022

Se ao pensar em transição de carreira você já logo imagina executivos que deixam seus cargos para empreender, a história de Fernanda Haddad, 43, atual desenvolvedora júnior do PicPay, irá te surpreender. 

Formada em educação física, com 20 anos de atuação na área, Fernanda sempre foi apaixonada por tecnologia. Aos 9 anos, ganhou seu primeiro computador e dividia com o irmão mais velho os desafios de programação para desenvolver jogos. 

O pai, médico, também acompanhava os filhos nas jornadas de explorar sistemas. Contrariando a vocação, no entanto, Fernanda seguiu a carreira acadêmica, e, nos últimos anos, deu aulas de natação, condicionamento físico e zumba, entre outras atividades. 

Em sua última colocação, no CEU Heliópolis, chegou a construir um lago e um espaço zen para as crianças que estudam no local.

Transição de carreira: da educação física à tecnologia

Em 2020, a então professora decidiu resgatar os sonhos da infância e fez o vestibular para Tecnologia da Informação na Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp). 

“Não enxergava possibilidades de inovar na minha antiga posição e sempre vi na tecnologia uma possibilidade de transformar a vida das pessoas. Ao oferecer soluções digitais, você também está entregando mais tempo, que pode ser investido em qualidade de vida ou convívio familiar. Aí mora a minha missão”, diz Haddad.

Já na faculdade, optou por seguir a especialização em Android e, ainda em 2020, foi selecionada para participar do curso Campinas Tech Talent, que, em parceria com grandes empresas, promove capacitação e oportunidades de emprego. 

“Na época, não me sentia preparada, mas, aos 43 anos, você já levou tantos nãos que se arriscar parece um caminho seguro”, afirma. 

Entre as aulas noturnas e aos finais de semana, chegou a pedir de presente ao pai um celular com sistema operacional Android para se dedicar aos trabalhos. “Usava o da minha esposa e desconfigurava tudo. A meta era evoluir na profissão e manter o casamento”, brinca.

A chance de se tornar uma PicPay Lover

Em abril de 2021, na metade da graduação, Fernanda foi surpreendida com uma mensagem do PicPay em seu perfil do LinkedIn. A Brenda Lee, da área de Recrutamento e Seleção, a convidou para participar do processo seletivo para a vaga da Pessoa Desenvolvedora Júnior.

A vaga era na tribo de Ferramentas de Audiência, que é direcionada aos vendedores e tem a missão de facilitar a conexão com os consumidores, oferecendo a melhor plataforma de rede e de experiência de consumo. 

“Eu mal acreditava, nesta altura da faculdade eu me preparava para estágio e me selecionaram para uma vaga efetiva em uma empresa de tecnologia, que divide comigo a ambição de tornar a vida das pessoas mais fácil”, afirma.

Dedicada a passar nos testes técnicos, Fernanda ampliou sua rotina de estudos e investiu tempo em se preparar para todas as etapas do processo. 

A atitude de dono e a determinação trouxeram recompensas: no início de junho, o tão sonhado sim chegou. É no PicPay que Fernanda passa pela transição de carreira, depois dos 40 anos, de educadora física a desenvolvedora.

Leia mais: Conheça a história do PicPay contada pelo cofundador do app

A preparação para a chegada

“Como gestor, preparei o time para a chegada da Fê, focado principalmente na mentoria de profissionais mais experientes, como a Carol Santos Silva, que é uma das desenvolvedoras mais sêniores do PicPay, e a Isadora Vasconcellos, que assumiu o compromisso de acompanhá-la tecnicamente, fornecendo suporte para o seu desenvolvimento neste mercado”, explica o Tech Manager Daniel de Souza, responsável pela contratação de Fernanda.

Definitivamente, a idade nunca foi uma barreira. Em sua bagagem, Fernanda carrega habilidades técnicas e recursos emocionais valiosos, que se complementam com os skills dos outros profissionais de tecnologia do seu time. 

Voltando a encontrar motivação no ambiente de trabalho

No PicPay, que é uma empresa de tecnologia, mais de 40% dos colaboradores atuam nesta área. “É incrível porque meu olho voltou a brilhar. Eu vejo mais do que possibilidades de inovar, aqui eu estou na fonte da inovação, em uma empresa que é data-driven e tem a missão de transformar os meios de pagamento e consumo por meio da tecnologia. Me sinto muito inspirada por estar cercada dos melhores profissionais do mercado, que têm orgulho imenso de serem PicPay Lovers”, ressalta.

Além disso, Fernanda traz consigo valores que fazem parte da cultura organizacional do PicPay, como atitude de dono, humildade, a determinação de “ir lá e fazer acontecer” e a disciplina de quem não mede esforços para alcançar os objetivos. 

Afinal, acreditar faz toda a diferença e a atitude, muitas vezes, é mais importante do que conhecimento, não é mesmo? E a Fê é apaixonada pelo que faz – paixão antiga mesmo, quase um “primeiro amor”, dos tempos de programadora de games. De fato, os sonhos não envelhecem.

Como trabalhar no PicPay

Quer seguir o exemplo da Fernanda e trabalhar no PicPay? Confira algumas dicas da nossa diretora de Pessoas & Cultura, Luiza Gomide, e acompanhe as oportunidades de emprego que surgem o tempo todo por aqui. 

“A cultura é nosso principal filtro. Hoje, o maior desafio para empresas de alto crescimento, como o PicPay, é preservar sua cultura mesmo com um ritmo de entrada de novas pessoas muito intenso”, destaca Luiza.

Ela aponta ainda que o PicPay busca perfis que estejam alinhados aos valores da empresa e pessoas que queiram transformar a realidade ao seu redor. 

No PicPay, esse perfil se traduz em sete valores: atitude de dono, humildade, determinação, disponibilidade, disciplina, simplicidade e franqueza.

Leia mais: Quer trabalhar no PicPay? Conheça nossa cultura e veja dicas

Mas, afinal, como colocar isso em prática? Confira algumas dicas de Luiza sobre como se posicionar em uma entrevista de estágio ou para qualquer outra vaga. Para ela, existem dois pontos fundamentais em um processo seletivo:

  • Compartilhar os valores da empresa: cada vez mais as habilidades comportamentais se mostram centrais para o negócio. As empresas muitas vezes priorizam o perfil, porque entendem que as habilidades técnicas podem sempre ser desenvolvidas. Um funcionário que esteja alinhado com o objetivo da companhia tende a ser mais engajado e a fazer entregas com mais determinação e senso de propósito.

  • Atitude de dono: em empresas de tecnologia, como o PicPay, não basta executar, é preciso se mostrar um profissional capaz de inovar, buscar soluções e estar atento ao cenário macro para contribuir com o time, não só em sua própria função. Profissionais assim costumam ser mais completos e valiosos por sua visão do todo.

Quer saber mais sobre o aplicativo PicPay e tudo de mais importante que acontece na empresa? Fique por dentro das nossas novidades!

Esse conteúdo foi útil? Deixe aqui sua avaliação

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 8

Compartilhe este Post:

Conteúdos relacionados