Golpe do INSS: como funcionam as fraudes contra beneficiários

Entenda como é o golpe do INSS, conheça os principais tipos, saiba como se proteger e o que fazer caso seja vítima de um

5 de janeiro de 2022

O golpe do INSS é praticado contra beneficiários do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), que podem ser aposentados ou pensionistas. E é preciso muito cuidado e atenção, porque esse tipo de crime tem aumentado especialmente agora.

Esse crescimento de golpes contra aposentados INSS está relacionado a uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). Calma que a gente explica: em dezembro de 2022, o STF aprovou a revisão da vida toda pelo INSS.

O que mudou após a decisão do STF é que os aposentados passaram a poder usar os salários recebidos antes de julho de 1994 para calcular o valor da média salarial, que impacta a quantia recebida na aposentadoria.

A mudança aconteceu porque, em 1999, uma reforma realizada na lei previdenciária mudou a maneira de calcular os benefícios. A partir daquele momento, as pessoas que já contribuíam com o INSS na época não teriam os pagamentos antes do Plano Real, iniciado em fevereiro de 1994, considerados.

Depois dessa decisão, o próprio INSS emitiu um alerta contra golpes que têm usado essa informação para enganar beneficiários.

Vamos explicar como funciona o golpe da revisão da vida toda e outras fraudes que usam aposentados e pensionistas como vítimas.

Em seguida, vamos te ensinar a se proteger dos golpes do INSS e alertar seus familiares e conhecidos.

Golpe do INSS pelo WhatsApp ou telefone: como funcionam?

As fraudes do INSS estão entre os principais golpes financeiros do país, e não é de hoje.

Independente do meio de contato, os golpes do INSS giram em torno de convencer o pensionista ou aposentado a passar seus dados pessoais, como dados de cartão e senha bancária.

Eles usam como isca a oferta de algum serviço ou produto e se passam por servidores do INSS. Pode ser a exigência da realização da prova de vida, oferta de empréstimo consignado ou a revisão da vida toda.

Antes de detalharmos cada um dos golpes, uma informação é muito importante de entender: o INSS não liga para as pessoas, nem entra em contato por canais como e-mail, WhatsApp, redes sociais ou SMS.

Leia mais: Golpes do WhatsApp: como evitar e o que fazer se cair em um?

Se isso acontecer, cuidado: você está diante do golpe do INSS por telefone! Vamos explicar como funciona cada tipo de golpe INSS e como evitá-los.

Golpe da revisão da vida toda

A revisão da vida toda foi aprovada pelo STF e permite que os aposentados utilizem salários recebidos antes de julho de 1994 no cálculo da sua média salarial.

O julgamento do STF, que terminou com a aprovação, foi realizado em dezembro de 2022. Ou seja, é bem recente.

Por isso, mesmo que os golpes contra aposentados não sejam novos, eles renovam a sua estratégia de acordo com as novidades, para se aproveitarem do possível desconhecimento das pessoas.

O golpe da revisão da vida toda começa com o aposentado recebendo um suposto contato do INSS e pedindo dados pessoais da vítima para confirmar se ela tem direito ao recálculo do benefício. Ou, ainda, garantindo que ela terá um aumento da aposentadoria com a novidade.

Acontece que o contato, que pode ser por telefone, e-mail, WhatsApp ou até SMS, não é feito pelo INSS, e sim por um fraudador, com o objetivo de obter informações pessoais da vítima.

Leia mais: Como evitar e denunciar golpes virtuais pelo celular

Em alguns casos, o golpista também pode solicitar um pagamento antecipado para recalcular o aumento da aposentadoria.

O alerta do INSS destaca que a instituição não contata seus beneficiários por telefone, e-mail, redes sociais ou outros canais para fazer ofertas de serviços, e também não faz isso para oferecer a revisão de benefícios.

Além disso, o órgão recomenda que pessoas que receberam contatos como esse não passem nenhum dado pessoal, como CPF, endereço ou número do benefício. 

Também não devem passar fotos de documentos ou pessoais, nem compartilhar senha de acesso ao Portal Gov.br.

Por fim, mais um alerta: os serviços do INSS são gratuitos. Dessa maneira, não aceite fazer transferências, depósitos ou pagamentos a alguém que utilize o nome da instituição.

Em caso de suspeita de golpe, o INSS orienta bloquear o contato e fazer um boletim de ocorrência.

Golpe da prova de vida

A prova de vida é feita regularmente pelo INSS. É uma revisão do cadastro dos beneficiários, que exige a apresentação de documentos atualizados.

Outros procedimentos, como a realização da perícia por incapacidade temporária ou relativa ao recebimento do benefício continuado, também exigem essa revisão.

E os golpistas utilizam essa desculpa para aplicar golpes. Eles entram em contato com as vítimas por telefone, e-mail, WhatsApp, SMS ou até redes sociais para solicitar esses documentos, alegando que o benefício pode ser suspenso ou bloqueado.

Com os dados, eles podem fazer operações financeiras, como pedir um empréstimo, em nome dos beneficiários. 

Vale lembrar que o INSS anunciou novas regras para a realização da prova de vida. Até dezembro de 2022, ela está suspensa e os usuários que não fizerem não vão ter o benefício suspenso. 

Mesmo assim, os beneficiários ainda podem fazer voluntariamente a sua prova de vida na rede bancária ou pelo app Meu INSS, por meio de reconhecimento facial, com o uso da câmera do celular. 

E, a partir de 2023, a prova de vida será feita automaticamente, por meio do cruzamento de informações.

Ou seja, caso o beneficiário tenha feito atos que ficam em registro do INSS ou de órgãos federais, como se vacinar, realizar consultas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), votar nas eleições, emitir passaportes, carteiras de identidade ou de motorista, entre outros. 

Golpe do consignado INSS

Outro golpe comum que tem beneficiários do INSS como alvo é o do falso empréstimo consignado ou mesmo antecipação do décimo terceiro salário.

O criminoso entra em contato com o aposentado e tenta convencê-lo a pegar um empréstimo consignado, ou seja, um tipo de crédito que tem as parcelas descontadas diretamente da folha de pagamento.

Os golpistas entram em contato por telefone, e-mail, redes sociais, WhatsApp ou até SMS e se passam por atendentes do INSS ou até de alguma instituição financeira. 

Leia mais: Como saber se uma instituição financeira é confiável?

Eles solicitam da vítima informações pessoais, como dados do cartão de crédito e senhas bancárias, por exemplo.

Esses dados são importantes porque os criminosos utilizam as informações para fazer operações financeiras em nome dos aposentados que foram enganados.

O mesmo se aplica para a antecipação do décimo terceiro salário, que também é uma forma de empréstimo.

Caso você passe por algo assim, com certeza é golpe. O próprio INSS já alertou que não entra em contato por mensagens ou aplicativos como WhatsApp, telefone ou e-mail para oferecer empréstimo consignado.

Por isso, sempre desconfie. Mesmo os bancos nunca vão pedir a sua senha por telefone. Ela é pessoal e intransferível, o que significa que você não deve compartilhá-la com ninguém.

Se você identificar algum empréstimo que não reconhece, o INSS orienta a procurar imediatamente a instituição financeira em que o crédito foi contratado pelo golpista. Também é importante registrar a sua reclamação no Portal do Consumidor.

Vale lembrar que uma normativa publicada em 2018 proíbe bancos de oferecerem empréstimos aos beneficiários por 180 dias após a concessão do benefício. 

Segundo o INSS, o próprio beneficiário pode solicitar o bloqueio de contratação de empréstimo consignado por meio do Meu INSS, site ou aplicativo ou pela Central 135, que funciona das 7h às 22h, de segunda a sábado. 

Já abordamos os principais golpes de empréstimo por aqui, inclusive esse. Nesse conteúdo dedicado ao tema, você confere dicas para evitar fraudes e formas de se proteger.

Golpe do cartão do INSS

Acontece quando o criminoso usa estratégias para conseguir o número do cartão do INSS do beneficiário.

O cartão é utilizado para movimentar o seu benefício, seja para saques ou uso para débito ao pagar compras. Ele também oferece condições vantajosas na hora de contratar empréstimos.

Por isso, esse dado é tão precioso para os criminosos, que podem utilizá-lo se passando pelo aposentado ou pensionista. Nunca compartilhe essas informações!

Golpe dos valores a receber

Os golpistas entram em contato avisando o beneficiário que ele tem direito a receber uma quantia em dinheiro, que está relacionada aos seus benefícios do INSS.

Para receber os valores, basta confirmar alguns dados pessoais e fazer um depósito antecipado. Assim que isso acontecer, a quantia será liberada.

No entanto, não passa de uma fraude. O INSS não solicita esses dados por e-mail, telefone, WhatsApp ou redes sociais, e não faz cobranças por qualquer serviço, muito menos antecipadamente.

Ao alertar sobre golpes, o Ministério do Trabalho e da Previdência recomenda que os segurados nunca utilizem intermediários para entrar em contato com a Previdência e, em hipótese alguma, depositem qualquer quantia para ter direito a algum benefício previdenciário.

Quem for abordado por pessoas se passando pelo INSS deve entrar em contato com a Ouvidoria-Geral da Previdência Social pelo telefone 135, ou pelo site do Ministério do Trabalho e da Previdência.

Como agir se cair em um golpe do INSS?

Se você foi vítima de uma tentativa de golpe, denuncie à Ouvidoria pela internet ou pelo telefone 135.

E como fazer ao cair no golpe do INSS? A orientação é registrar um boletim de ocorrência e comunicar aos órgãos envolvidos, que pode ser o próprio INSS e o banco em que recebe o benefício, se for o caso.

Como evitar um golpe INSS?

Ao longo do texto, trouxemos várias dicas para que você se proteja desses golpes. Mesmo assim, reunimos abaixo as principais orientações que você deve seguir para não cair na fraude do INSS. Olha só!

  • O INSS não liga para as pessoas ou manda e-mail, WhatsApp e mensagens por redes sociais para fazer oferecer serviços, empréstimos, prova de vida ou revisão de benefícios;
  • Se precisar entrar em contato com o INSS, utilize canais oficiais, como a Central de Atendimento, no telefone 135. As ligações são gratuitas;
  • Nunca compartilhe nenhum dado pessoal, como CPF, endereço ou número do benefício, nem mesmo fotos de documentos ou pessoais ou a senha de acesso ao Portal Gov.br. O INSS não liga para confirmar dados;
  • Não aceite fazer pagamentos por serviços do INSS, porque eles são gratuitos;
  • Lembre-se de que a prova de vida está suspensa até o fim de 2022 e a partir de 2023 será feita automaticamente. Por isso, ninguém da instituição vai entrar em contato com você por esse motivo;
  • Não utilize intermediários para entrar em contato com a Previdência;
  • Nunca clique em links desconhecidos recebidos por e-mail, WhatsApp ou SMS, porque podem ser tentativas de phishing.

Para conferir outras dicas, conheça a Central de Segurança, página totalmente dedicada a conteúdos sobre segurança digital. Lá você encontra os principais golpes e as maneiras de se proteger!

E aí, as dicas foram úteis? Então leia mais sobre segurança e fique por dentro dos nossos conteúdos sobre o assunto.

Esse conteúdo foi útil? Deixe aqui sua avaliação

Média da classificação 2.1 / 5. Número de votos: 7

Compartilhe este Post:

Conteúdos relacionados