Erros do INSS: veja os mais comuns e as principais causas

Saiba quais são os erros do INSS mais frequentes de serem encontrados e como é possível solucioná-los se você se deparar com algum deles

20 de novembro de 2023 Atualizado em 26 de março de 2024

Os erros do INSS costumam tirar o sono de quem precisa acessar seus serviços. 

Seja por problemas na plataforma digital, seja por informações equivocadas que precisam ser corrigidas, o ponto é que muita gente lida com essas situações mas não sabe ao certo suas causas e até mesmo como resolvê-las.

Pensando nessas dificuldades, confira a seguir quais são os problemas mais comuns e o que pode ser feito para solucioná-los.

O que são os erros do INSS? 

Os erros do INSS podem estar relacionados aos mais variados motivos: falhas no sistema, equívocos nos procedimentos administrativos ou até mesmo confusões do próprio segurado ao solicitar o benefício

O fato é que essas coisas acontecem diariamente e precisam ser solucionadas para que não impeçam o acesso a informações importantes e não provoquem problemas ainda maiores no futuro em alguns casos específicos.

Por que acontecem os erros? 

Geralmente, esses equívocos podem acontecer por problemas de acesso, envio de documentações incorretas, erros em cálculos e falhas no cruzamento de dados, já que boa parte dos processos está sendo automatizada com a ajuda da tecnologia.

13 erros do INSS mais comuns no site e aplicativo

Entre as principais reclamações registradas no Reclame Aqui do Dataprev, empresa responsável pela criação da plataforma Meu INSS, os problemas com o site aparecem logo de cara em muitos relatos.

Os produtos e serviços mais citados envolvem acesso ao cadastro, pagamentos ou documentos e navegabilidade. 

Ainda nesse contexto, despontam problemas com atualização de dados cadastrais, dificuldade de cadastro, demora na execução e instabilidade do site.

Entenda mais sobre cada um dos erros do INSS nos detalhes a seguir.

1. INSS fora do ar

Ao fazer o login para entrar no site ou no aplicativo Meu INSS ou tentar acessar algum outro recurso ou serviço dentro da plataforma, aparece a mensagem “Ocorreu um erro. Tente novamente mais tarde”.

Isso pode acontecer porque o sistema está passando por alguma manutenção ou com alguma sobrecarga de acessos, com a indicação do Meu INSS fora do ar. 

Nesse caso, a recomendação é fazer uma nova tentativa de acesso dentro de alguns minutos.

2. Erro na consulta de margem

Outro erro comum que pode aparecer é na consulta da margem consignável, ou seja, o percentual do salário de uma pessoa que pode ser comprometido com o pagamento de parcelas de empréstimo consignado

Como leva alguns dias para o sistema ser atualizado, ela pode aparecer como indisponível mesmo quando a pessoa já solicitou a liberação para fazer a contratação do empréstimo.

Essa consulta da margem é essencial para contratar esse tipo de empréstimo, porque é o registro com a garantia de que existe disponibilidade de limite para isso.

Leia mais: Como funciona o empréstimo consignado INSS?

3. Crédito não retornado

Em alguns casos, também pode acontecer de o sistema apontar que o benefício foi pago, mas o segurado não ter recebido o valor em sua conta.

Para solucionar esse problema e solicitar o pagamento do benefício, você precisa:

  • Fazer o login no site ou no aplicativo Meu INSS;
  • Clicar ou tocar em “Novo pedido” e, em seguida, em “Novo requerimento”;
  • Selecionar a opção “Atualizações para manutenção do benefício e outros serviços”;
  • Escolher a opção “Solicitar pagamento de benefício não recebido”.

4. Não há créditos para o período informado

Quem deseja o extrato de pagamento do benefício do INSS também pode se deparar com a mensagem “Não há créditos para o período informado”.

Isso é normal se a pessoa que clicou nesse serviço não for segurada do INSS e não receber esse tipo de pagamento

No entanto, em algumas situações, até mesmo os segurados que recebem o benefício do INSS podem esbarrar nessa mensagem, indicando uma possível falha técnica no sistema.

5. Erro de carregamento da página

Quando o usuário seleciona uma opção no aplicativo ou site e uma página em branco aparece, certamente está diante de problemas de carregamento da página

Nessas situações, o resultado da busca não aparece na tela e o serviço buscado não pode ser acessado. 

6. Erro ao buscar dados

O erro na busca de dados também costuma ser recorrente e gerar dificuldade no acesso a diferentes serviços, como informações sobre pagamentos e benefícios

Geralmente, isso fica evidente com a mensagem: “Ocorreu um erro ao buscar seus dados. Tentar novamente”. Nesse caso, siga as instruções e aguarde alguns minutos para tentar acessar de novo o serviço desejado.

7. Benefício não desbloqueado para empréstimo consignado

Quando a pessoa está dentro do prazo de carência para solicitar empréstimo, que dura 90 dias a partir da data de concessão do benefício, pode aparecer para ela a frase acima e ainda a seguinte mensagem: “Benefício encontra-se bloqueado pela concessão”.

Se você não estiver vivendo essa situação, esse tipo de mensagem deve ser entendida como um erro.

Leia mais: Passo a passo de como desbloquear o benefício para empréstimo

8. Cadastro do usuário bloqueado

O usuário também pode bloquear o seu cadastro no INSS por fazer várias tentativas de login. O sistema entende que precisa acionar uma camada de proteção pelo eventual esquecimento de senha ou possível acesso de terceiros.

A parte boa é que dá para resolver isso na própria plataforma do Meu INSS. Selecione a opção “Esqueci minha senha” e siga o passo a passo para recuperar o acesso à conta. 

Se mesmo assim o login não for possível, entre em contato com a Central Telefônica do INSS pelo número 135 para resolver o problema.

Leia mais: Atendimento do INSS: veja lista atualizada de canais e horários

9. Desbloqueio para empréstimo não permitido

Quando o segurado não possui um benefício consignável, tanto pela falta de solicitação do usuário quanto pelo fato de o período de carência de 90 dias ainda não ter sido concluído, pode aparecer a mensagem que o desbloqueio para empréstimo não é permitido.

Nesse caso, é importante ficar atento e verificar se a solicitação foi realmente feita. Outra coisa que é preciso acompanhar é quando o pedido de desbloqueio foi realizado e ter em mente que ele pode levar alguns dias para ser processado.

Mas, se você estiver vivendo uma situação diferente das citadas acima, a recomendação é entrar em contato pelo telefone 135 para um suporte mais detalhado.

10. Não foi possível buscar seus créditos

Durante a tentativa de acesso ao Extrato de Pagamento do Benefício, pode aparecer a mensagem “não há créditos para o período informado” ou até mesmo “não foi possível buscar seus créditos”.

Isso pode significar alguns problemas, como uma falta de atualização de informação (no caso do primeiro pagamento do benefício) ou um indicativo de erro (falha técnica ou falta de pagamento).

11. Ocorreu um erro na sua requisição

Outra mensagem comum que costuma aparecer em erros da plataforma é: “Ocorreu um erro na sua requisição”. Isso pode acontecer por falhas no carregamento das suas informações

A recomendação nessa situação é entrar no site ou no aplicativo novamente e fazer outra tentativa do que você está buscando após alguns minutos.

12. Erro ao capturar imagem

Normalmente, a mensagem de erro na captura da imagem aparece quando você está tentando acessar o aplicativo pelo cadastro gov.br por meio do reconhecimento facial.

Para que esse procedimento de reconhecimento seja feito com sucesso, é preciso que a qualidade da imagem, a posição do rosto e as condições de iluminação do ambiente em que você se encontra estejam adequadas. 

Assim, evite fazer isso em ambientes escuros ou com algum acessório (óculos, bonés, chapéus).

13. Meu INSS com tela preta

O mais provável é que a mensagem de erro indique uma quantidade elevada de acessos simultâneos, que sobrecarregou o sistema. Você pode esperar alguns minutos antes de tentar acessar o site ou app novamente. Também é possível que a plataforma esteja passando por atualizações.

Se a nova tentativa não resolver, vale verificar se o app está atualizado.

O que fazer em caso de erro do INSS?

A primeira coisa a ser feita caso você encontre o Meu INSS com problemas é tentar saber o que está por trás disso, afinal, pode ser uma questão momentânea de acesso à plataforma por indisponibilidade no sistema ou algo mais complexo nos serviços disponibilizados por ela. 

Apesar de existirem alguns erros e até mesmo instabilidade no sistema, algumas dificuldades podem estar relacionadas ao acesso à internet ou ao dispositivo que o usuário está utilizando.

Uma maneira de verificar isso é entrando em outros sites e aplicativos que também funcionam com acesso à internet e saber se eles estão rodando normalmente.

Outra coisa que pode acontecer é alguma trava no próprio navegador. A saída nesses casos é abrir uma janela anônima ou limpar os dados de cache.

De acordo com as orientações do INSS, os navegadores Mozilla Firefox e Google Chrome são os mais indicados para acessar o Meu INSS, por isso, fique de olho se você não está usando um navegador diferente.

Outra recomendação que costuma funcionar é fechar e entrar no aplicativo novamente, atualizar o site ou deixar passar um tempo para fazer uma nova tentativa de acesso.

Se o problema persistir dentro da plataforma, uma alternativa é entrar no chat para começar uma conversa com a assistente virtual Helô e buscar ajuda para resolver o problema.

Caso as dificuldades persistirem ou você estiver diante de uma situação mais urgente, outra possibilidade é entrar em contato com o INSS pelo telefone 135 para relatar o problema para um atendente.

Outros tipos de erros do INSS

Além dos erros que acontecem na plataforma Meu INSS por conta de falhas técnicas ou indisponibilidades no sistema, podem ocorrer erros em cálculos, valores cobrados indevidamente e até por mudanças na lei que não são consideradas.

Erro na concessão do benefício 

Na maioria dos casos, os erros do INSS na concessão do benefício acontecem por não considerar:

  • Períodos insalubres ou periculosos;
  • Atividade rural;
  • Trabalho informal;
  • Períodos de serviço militar;
  • Períodos de recebimento de auxílio-doença;
  • Períodos como menor aprendiz;
  • Algumas contribuições, inclusive de salários com valores maiores;
  • Fator previdenciário correto;
  • Adicional na aposentadoria por invalidez.

Erro de cálculo 

Outros aspectos que costumam gerar erros na concessão de aposentadorias também estão relacionados a cálculos feitos de maneira errada e à modalidade de aposentadoria diferente da que foi requerida.

Isso passou a acontecer com mais frequência, principalmente depois das mudanças trazidas com a Reforma da Previdência. 

Por exemplo, o INSS pode considerar que um benefício é calculado seguindo a nova legislação mesmo que o segurado tenha direito adquirido ao cálculo antigo (por ter cumprido os requisitos).

Erro na carta de concessão

A carta de concessão é um documento oficial comprobatório que é emitido pelo INSS depois da aprovação de algum benefício previdenciário.

Ela traz diversas informações úteis para os aposentados e pensionistas que recebem os valores por tempo indeterminado e costuma demorar 30 dias corridos para ficar pronta.

Depois de receber a carta, é muito importante conferir se os dados estão corretos. Se for encontrado algum erro tanto nos dados da carta quanto no valor do benefício, é preciso entrar com um recurso para pedir a revisão do valor.

É fundamental guardar esse documento. Se preferir, você pode utilizar o app ou site do Meu INSS para acessar sua carta de concessão em formato digital.

Erro administrativo

Todos os requerimentos enviados para o INSS são avaliados pelo órgão. Em alguns casos, pode haver uma análise simples para localizar possíveis erros no pagamento. 

Em outras situações mais complexas, é preciso abrir processos e solicitar ressarcimentos ou até mesmo indenizações.

O fato é que é recomendado que você sempre confira o extrato do INSS,analisando valores recebidos e descontos. 

Essa prática pode prevenir o aparecimento de problemas mais sérios e trazer mais tranquilidade no futuro. 

O que fazer ao identificar um erro na concessão do benefício do INSS? 

Ao identificar algum erro na concessão do benefício do INSS, é importante ficar atento e entrar em contato com o órgão para sinalizar esse equívoco. 

A depender do caso, como em situações que envolvam concessão, administrativo e cálculo, pode ser necessário solicitar uma revisão ou recurso administrativo para resolver o problema. 

Se isso não bastar e exigir um reforço, é possível também entrar em contato com um profissional de Direito especializado na área, que pode trazer mais orientações para se chegar a uma solução.

Erros mais comuns ao solicitar um benefício

Contribuições desatualizadas

O Extrato de Contribuição CNIS (Cadastro Nacional de Informações Sociais) é um documento que traz todos os vínculos de trabalho, as remunerações recebidas ao longo da carreira e contribuições previdenciárias.

Leia mais: Como encontrar o NIS (Número de Identificação Social)?

Se houver qualquer erro nele, é preciso solicitar a correção. Isso pode ser feito pela plataforma Meu INSS, no caso de quem é autônomo e segurado especial, selecionando a opção “Atualizar cadastro”. 

Para quem tem registro em carteira, é necessário agendar a atualização pela central telefônica 135.

Para fazer isso, lembre-se também de ter em mãos suas carteiras de trabalho, os contratos de trabalho, comprovantes de recebimento do Fundo de Garantia, entre outros.

O acompanhamento do extrato pode ser feito pelo aplicativo ou site Meu INSS, na opção “Extrato de Contribuição (CNIS)”. 

Os trabalhos com registro vão aparecer em ordem decrescente, ou seja, do mais recente até o mais antigo, com informações como início e fim de contrato e os valores dos salários recebidos.

Falta de comprovação

Outro erro comum ao solicitar o benefício é em relação a comprovações tanto de incapacidade temporária ou permanente para o trabalho (atestados), quanto de união estável (quando existe pensão por morte e é preciso comprovar o vínculo). 

No caso de problemas de saúde, um médico avalia a documentação na perícia e concede ou não o benefício. Os atestados precisam conter informações específicas. Qualquer erro implica na não concessão do benefício.

Já no caso da união estável, muitas vezes, é necessário provar que o segurado que morreu estava aposentado ou que ele tenha feito um número mínimo de contribuições

Existe também a exigência de comprovação de um tempo mínimo de dois anos de relacionamento com a pessoa que morreu (certidão de união estável, documentos e testemunhas que comprovem que as pessoas estavam juntas).

Renda incompatível 

A renda mínima para conseguir o BPC (Benefício de Prestação Continuada) é de até um quarto do salário mínimo por pessoa da família. Hoje em dia, isso corresponde a R$ 330 por mês

Concedido a idosos carentes acima de 65 anos e deficientes que comprovem deficiência e baixa renda, esse benefício costuma ser negado quando a renda é maior que o valor estipulado

Geralmente, o cruzamento de informações é feito com base em valores da Rais (Relação Anual de Informações Sociais) e outros cadastros da base do governo federal.

Para resolver isso, é preciso atualizar o cadastro no CadÚnico (Cadastro Único para benefícios sociais), em uma unidade de assistência social mais próxima de você.

Além de saber quais são os erros do INSS, você também pode acessar outros conteúdos com dicas exclusivas para se planejar financeiramente e deixar as finanças em dia.

Esse conteúdo foi útil? Deixe aqui sua avaliação

Média da classificação 3.4 / 5. Número de votos: 15

Compartilhe este Post:

Conteúdos relacionados