Como declarar PicPay no Imposto de Renda?

Aprenda como declarar PicPay no Imposto de Renda e veja como baixar o seu Informe de rendimentos pelo aplicativo

8 de fevereiro de 2024

Todos os anos, milhões de brasileiros precisam fazer a declaração do IR para a Receita Federal. Quem se enquadra nos requisitos e teve rendimentos no PicPay em 2023, tem que informar ao fisco. Para facilitar a sua vida, veja como declarar PicPay no Imposto de Renda!

Antes disso, é importante explicar o que é o Imposto de Renda para Pessoa Física. De forma resumida, o IRPF é um imposto federal cobrado sobre os rendimentos tributáveis de todos os cidadãos.

A cada ano, os contribuintes que atendem aos requisitos determinados pelo fisco são obrigados a fazer uma declaração de ajuste, com o intuito de checar se os valores pagos ao longo do ano foram corretos.

Se o valor pago foi certo, você não precisa fazer nada. Se foi superior, você recebe a restituição da diferença. Se foi inferior, você deve pagar o restante. 

As regras para 2024 já foram divulgadas pela Receita Federal e você pode conferir mais detalhes em nosso conteúdo completo sobre como declarar Imposto de Renda (IRPF)

Importante! O prazo para envio da declaração vai do dia 15 de março ao dia 31 de maio.

Leia mais: Regularizar Imposto de Renda: veja como declarar IR atrasado

Quem tem conta no PicPay precisa declarar no Imposto de Renda?

Se você movimentou dinheiro pelo PicPay em 2023 e cumpre algum dos critérios da Receita Federal para obrigatoriedade da declaração, você deve informar os seus rendimentos, investimentos e empréstimos. 

Por outro lado, se você teve movimentações no PicPay no ano passado, mas não se enquadra nos requisitos do fisco, não é necessário fazer a declaração só por causa da sua conta, beleza?

Os requisitos para declaração em 2024 ainda não foram divulgados, porém no ano passado foram os seguintes: 

  • Rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70;
  • Rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte acima de R$ 40.000,00;
  • Operação de venda em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas cuja soma foi superior a R$ 40 mil ou com apuração de ganhos líquidos sujeitos à incidência do imposto;
  • Isenção de imposto sobre o ganho de capital na venda de imóveis residenciais, seguido de aquisição de outro imóvel residencial no prazo de 180 dias; 
  • Operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;
  • Posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, acima de R$ 300.000,00;
  • Receita bruta na atividade rural de tributáveis acima de R$ 142.798,50;
  • Mudança para o Brasil no ano de 2021.

Atualmente, o PicPay conta com mais de 30 milhões de usuários ativos! Desse total, vários precisam fazer a declaração anual. 

Por conta disso, uma dúvida muito comum é sobre como declarar PicPay no Imposto de Renda. O processo é super simples e vamos te ensinar! 

O que precisa ser declarado no Imposto de Renda?

De forma geral, você tem que declarar seus bens, rendimentos, investimentos, empréstimos, gastos com saúde, educação e etc ao longo de 2023. 

Como você já sabe, o PicPay tem o melhor rendimento automático em conta após 30 dias, sem limite máximo de investimento. 

Leia mais: Quanto rende 20 reais no PicPay ou outros valores?

E é importante que você saiba que os rendimentos da sua carteira do PicPay ou do seu Cofrinho no app precisam ser declarados no Imposto de Renda, tá bom?

Mas pode ficar tranquilo, pois não é necessário pagar nada a mais por isso, já que o valor que você recebe na prática já é descontado do IR.

Outro produto ofertado pelo PicPay que precisa ser declarado é o empréstimo pessoal junto a parceiros, por meio do marketplace de serviços financeiros do aplicativo. 

Em 2023, o PicPay lançou várias novidades para simplificar cada vez mais o jeito das pessoas lidarem com o dinheiro. 

Alguns desses lançamentos também precisam ser declarados. É o caso, por exemplo, do empréstimo entre pessoas, que conecta investidores a pessoas que precisam de dinheiro emprestado.

A declaração precisa ser feita tanto pelos tomadores quanto pelos investidores, que têm a opção de investir em outras pessoas ou em empresas. 

Leia mais: Empréstimos P2P para empresas: como funciona?

Assim como o rendimento automático, os juros recebidos pelos investidores do empréstimo entre pessoas já é descontado do IR, com base na tabela regressiva abaixo:

  • 22,5% para aplicações com prazo de até 180 dias;
  • 20% para aplicações com prazo de 181 até 360 dias;
  • 17,5% para aplicações com prazo de 361 até 720 dias;
  • 15% para aplicações com prazo acima de 720 dias.

Além disso, outra funcionalidade do PicPay que precisa ser declarada no Imposto de Renda é a antecipação do saque-aniversário do FGTS, já que também é uma modalidade de crédito. 

Por fim, dependendo da situação, também é necessário declarar seus investimentos em criptomoedas por meio da exchange do PicPay.

Leia mais: Como comprar criptomoedas e o que analisar antes de investir

De acordo com a Receita Federal, o Imposto de Renda só é cobrado de quem movimenta mais de R$ 35 mil por mês em criptoativos. 

Ainda assim, quem possui mais de R$ 5 mil reais em criptomoedas precisa informar sobre esses bens na declaração anual.

Em resumo, é você precisa declarar os seguintes produtos do PicPay no Imposto de Renda:

  • Rendimento da carteira ou dos Cofrinhos;
  • Empréstimo pessoal acima de R$ 5 mil;
  • Antecipação do saque-aniversário do FGTS acima de R$ 5 mil;
  • Empréstimo ou investimento entre pessoas;
  • Investimento em criptomoedas acima de R$ 5 mil.

Como baixar o Informe de Rendimentos PicPay?

Todos os seus Informes de Rendimentos relacionados ao PicPay serão enviados para o seu e-mail cadastrado no app até o dia 28 de fevereiro. 

Você também pode optar por baixar o Informe de Rendimentos pelo aplicativo, seguindo os passos abaixo:

  • Abra o aplicativo do PicPay;
  • Toque na sua foto de perfil, no canto superior esquerdo da tela;
  • Vá até a seção Rendimentos e toque em Informe de Rendimentos;
  • Selecione o ano de 2023;
  • Veja quais Informes você precisa declarar;
  • Baixe o PDF ou escolha receber por e-mail. 

Caso você tenha contratado a antecipação do saque-aniversário do FGTS ou um empréstimo pessoal junto a algum parceiro do PicPay, o Informe de Rendimentos deve ser solicitado diretamente ao parceiro.

Para facilitar a sua vida, é possível conferir os canais de atendimento de cada um seguindo os mesmos passos ensinados anteriormente, exceto pela possibilidade de baixar o documento pelo app. 

Como declarar PicPay no Imposto de Renda?

Como já falamos acima, diferentes produtos e serviços do PicPay precisam ser declarados para a Receita Federal.

Se você tiver mais de um na sua lista de Informe de Rendimentos disponíveis em 2023, é preciso informar cada um de forma separada na sua declaração anual do Imposto de Renda. 

Os processos são diferentes em cada caso, então vamos dar um panorama de forma individual. 

Mas cabe destacar que são apenas direcionamentos, com base nas regras do ano passado. Caso você tenha alguma dúvida, consulte um contador. 

Como declarar rendimentos PicPay no Imposto de Renda

Veja como declarar PicPay no Imposto de Renda

Os seus rendimentos da conta ou dos Cofrinhos serão emitidos em um único Informe de Rendimentos. 

Com o documento em mãos, você precisa informar os dados em duas fichas diferentes: “Bens e Direitos” e “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva”. 

Em “Bens e Direitos”, você deve seguir os passos abaixo:

  • Selecione o grupo de bens 06 – Depósito à vista e numerário;
  • Escolha o código 01 – Depósito em conta corrente ou conta pagamento;
  • Informe a localização 105 – Brasil;
  • Insira o CNPJ do PicPay conforme o Informe de Rendimentos;
  • Coloque Conta de Pagamentos no campo de Discriminação;
  • Declare o seu saldo em 31/12/2022 e 31/12/2023, também com base no Informe.

Já na ficha de  “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva” você precisa seguir o passo a passo a seguir:

  • Informe o código 06 – Rendimentos de aplicações financeiras;
  • Em tipo de beneficiário, coloque se você é titular ou dependente;
  • Insira o CNPJ do PicPay que está no Informe de Rendimentos;
  • Declare o valor líquido dos rendimentos indicados no Informe.

Como declarar investimentos PicPay no Imposto de Renda

Além de deixar o seu dinheiro rendendo na conta ou nos Cofrinhos, você pode investir no PicPay em pessoas e empresas ou em criptomoedas.

Os processos para declarar no Imposto de Renda são diferentes e vamos explicar cada um deles. 

O investimento em pessoas e empresastambém precisa ser declarado em “Bens e Direitos” e “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva”. 

Na ficha de “Bens e Direitos”, o procedimento é o seguinte: 

  • Selecione o grupo de bens 04 – Aplicações e Investimentos;
  • Informe o código 02 – Títulos públicos e privados sujeitos à tributação;
  • Coloque a localização 105 – Brasil;
  • Insira o CNPJ indicado no Informe de Rendimentos;
  • Em discriminação, dê mais detalhes sobre a Aplicação;
  • Declare o saldo 0 em 31/12/2021 e  o saldo apontado no Informe em 31/12/2022.

Na aba de “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva”, o procedimento é ainda mais simples: 

  • Coloque o código 06 – Rendimentos de aplicações financeiras;
  • Em tipo de beneficiário, informe se você é titular ou dependente;
  • Digite o CNPJ que está no Informe de Rendimentos;
  • Informe o valor líquido dos rendimentos indicados no documento.

Já os investimentos em criptomoedas só precisam ser declarados caso você tenha mais de R$ 5 mil aplicado em algum ativo, apenas na ficha de “Bens e Direitos”, seguindo o passos abaixo: 

  • Selecione o grupo de bens 08 – Criptoativos;
  • Informe o código 01 (Bitcoin), 02 (Ether, Litecoin, Polygon, Uniswap, Chainlink, Bitcoin Cash ou Aave) ou 03 (Pax Dollar);
  • Coloque a localização 105 – Brasil;
  • Em discriminação, informe a quantidade que você tem do ativo e os dados do PicPay, como nome e CNPJ (presentes no Extrato);
  • Declare o valor em 31/12/2023 com base no documento.

Como declarar empréstimos PicPay no Imposto de Renda

Caso você tenha pegado um empréstimo superior a R$ 5 mil junto a algum parceiro do PicPay pelo app ou por meio do empréstimo entre pessoas, é necessário declarar no Imposto de Renda. 

As informações devem ser preenchidas na ficha de “Dívidas e Ônus Reais”, da seguinte maneira:

  • Selecione o código apontado no Informe de Rendimentos (que pode variar de acordo com cada instituição);
  • Em Discriminação, dê mais detalhes sobre o empréstimo, como motivo da solicitação, valor, parcelas e dados da instituição que concedeu o crédito;
  • Depois, informe o valor contratado e o saldo devedor em 31/12/2023.

Como receber restituição no PicPay?

Além da declaração, o PicPay também pode facilitar a sua vida na hora de receber a restituição do Imposto de Renda

Leia mais: Restituição do Imposto de Renda: veja como consultar

Desde 2022, a Receita Federal permite que você receba a restituição via Pix, desde que a chave seja o seu CPF.

Se você já tiver o seu CPF cadastrado como chave Pix no PicPay, basta selecionar a opção de receber por meio dessa modalidade no momento de enviar a declaração do Imposto de Renda.

Se não, você pode cadastrar o seu CPF como chave Pix no PicPay antes de enviar a declaração. Caso o seu documento já esteja sendo utilizado em outra instituição, é possível solicitar a alteração.

O melhor de receber a restituição pelo PicPay, é que o seu dinheiro rende diariamente 102% do CDI, após 30 dias, e você ainda pode utilizar o valor dentro de todo o ecossistema do app. 

As dicas foram úteis para a sua declaração de IR? Então confira outros conteúdos sobre planejamento financeiro que vão facilitar, e muito, a sua vida!

Esse conteúdo foi útil? Deixe aqui sua avaliação

Média da classificação 3.3 / 5. Número de votos: 92

Compartilhe este Post:

Conteúdos relacionados