Golpe do falso sequestro: como reconhecer e denunciar?

Entenda como acontece o golpe do falso sequestro, o que fazer se for vítima dele e como denunciá-lo

13 de outubro de 2022

Criatividade é o que não falta para os criminosos. Eles sempre inventam maneiras novas para tentar extorquir dinheiro das vítimas, apelando muitas vezes para as nossas emoções. O golpe do falso sequestro é um dos mais “tradicionais” da categoria.

E, mesmo já sendo bastante conhecido, ainda causa muita dor de cabeça, traumas e prejuízos pelo Brasil afora, atingindo pessoas de todas as idades e classes sociais.

Mas você sabe como ele funciona e o que fazer se for vítima desse tipo de golpe? É o que vamos explicar com detalhes neste artigo. Acompanhe!

Como funciona o golpe do falso sequestro?

Como acontece o falso sequestro, afinal? O telefone toca. No visor, um número desconhecido. Alguém do outro lado simula uma voz de choro e medo, chama você de mãe ou pai e diz que foi sequestrado

Se você der sinais de que acreditou na história, outra pessoa pega o telefone, faz ameaças e diz para depositar uma quantia em determinada conta bancária. O roteiro pode variar um pouco, mas esse é o básico.

Os criminosos, muitas vezes presos, ligam de dentro da cadeia para números aleatórios até encontrar alguém que demonstre acreditar no suposto sequestro. 

Nesses casos, a própria vítima começa a passar informações que ajudam o criminoso a preencher as lacunas para completar o golpe.

“Filha, é você?” ou “Patrícia, onde você está?” são reações comuns de quem recebe esse tipo de ligação. A pessoa pode até ter conhecimento de que esse tipo de golpe existe, mas é tomada pelo pânico e não percebe a fraude.

A simulação continua, e os criminosos ficam na linha até que o valor exigido seja transferido para a conta que eles passaram. 

Leia mais: Saiba tudo sobre golpes de transferência de dinheiro

Em seguida, eles fazem outra transferência rapidamente para tirar o dinheiro daquela conta. Assim, mesmo que a vítima denuncie o golpe no banco, não é mais possível fazer o reembolso, porque o dinheiro já foi movimentado.

Outra possibilidade é a de os criminosos enviarem um motoboy à casa da vítima para receber o dinheiro e outros objetos de valor, como joias, como pagamento pelo “resgate”. 

Por fim, algumas quadrilhas chegam até a obrigar as vítimas a irem a agências bancárias para sacar ou transferir os valores.

Os golpes por telefone são sempre aleatórios?

Na maioria das vezes, os golpes telefônicos são aleatórios, sim. Ou seja, os criminosos ligam para um número qualquer, que eles não sabem de quem é, e “tentam a sorte”.

No entanto, também existem casos mais sofisticados, em que os golpistas mapeiam as vítimas em potencial.

Aqui, eles buscam informações sobre a pessoa e sobre seus familiares, como os nomes de cada um, profissão, onde trabalham ou estudam.

Ao mencionar essas informações durante os telefonemas, buscam aumentar a credibilidade do falso sequestro e, logo, suas chances de sucesso.

Golpes por telefone ainda são comuns?

Infelizmente, a resposta para essa pergunta é sim. Falando especificamente do falso sequestro, embora seja um crime bastante conhecido, ele continua ocorrendo e fazendo vítimas do Oiapoque ao Chuí.

Basta uma simples busca pela internet para ver a quantidade de reportagens relatando esse tipo de crime. Você vai ver que ele continua a ser aplicado com sucesso em muitos casos, causando estragos por onde passa.

E engana-se quem pensa que apenas os idosos ou as pessoas com menos escolaridade caem na armadilha.

Muitos casos atingem famílias ricas e pessoas jovens, que chegam a dar centenas de milhares de reais para os criminosos na hora do desespero.

O que fazer se suspeitar de um golpe do sequestro falso?

Se você recebeu uma ligação e suspeita que esteja sendo vítima de um golpe, é fundamental saber como agir.

Em primeiro lugar, é preciso superar o choque inicial e manter a cabeça fria. Pergunte a si mesmo se faz sentido alguém da sua família ter sido sequestrado naquele momento. Onde estão seus familiares? Na escola? No trabalho?

Outra dica importante: não fale o nome da pessoa que poderia ter sido sequestrada. Dessa forma você evita passar para os criminosos informações que eles podem usar para deixar o golpe mais realista.

Por fim, se possível, peça para alguém que esteja com você ligar para a pessoa que estaria sendo sequestrada, sem deixar que os criminosos percebam.

Assim que você tiver certeza que seu familiar está bem, seguro e não foi sequestrado, pode simplesmente desligar o telefone e seguir com a sua vida. Dificilmente eles vão ligar de novo, porque já vão saber que você não caiu na armadilha.

Como forma de prevenção, também é fundamental orientar seus familiares, especialmente os idosos, que podem ter menos intimidade com os crimes ligados às novas tecnologias.

Agora, tão importante quanto saber o que fazer é ter em mente o que não fazer em casos de golpe do sequestro falso

Além de não mencionar nomes — pelo menos nenhum nome verdadeiro —, não passe nenhuma informação pessoal sua ou de seus familiares. 

Não diga, por exemplo, onde mora, o seu nome, quanto ganha, quanto tem na sua conta bancária ou onde tem conta.

Muitas vezes, quando ouvimos falar desses golpes, achamos que jamais cairíamos neles. Não é verdade. No calor do momento, tendemos a baixar a guarda e deixar de lado os cuidados mais básicos.

Caí na armadilha. Como denunciar golpe do falso sequestro?

Por não ser tipificado como crime pelo Código Penal, não existem dados precisos sobre esse tipo de golpe. Mas muita gente se pergunta qual o crime de falso sequestro.

As denúncias são registradas como extorsão ou estelionato, ou seja, não é possível isolar os casos de golpe de falso sequestro para obter a real dimensão do número de ocorrências.

Leia mais: Como recuperar dinheiro de estelionato em 6 passos

Além disso, a maioria das pessoas não costuma fazer o Boletim de Ocorrência, especialmente se o caso não teve nenhuma consequência. 

Então, como denunciar golpes por ligação e o que fazer após o golpe do falso sequestro? A orientação, além de tomar os cuidados que mencionamos acima, é sempre procurar a polícia

Leia mais: Como evitar e denunciar golpes virtuais pelo celular

Não é raro que, com alguns dados em mãos, ela consiga identificar os criminosos e prendê-los.

Por isso, se decidir fazer o Boletim de Ocorrência, como recomendado, é importante levar todas as informações que tiver, como número do telefone que ligou e, se for o caso, os dados da conta bancária que os criminosos passaram.

Vale lembrar que o Boletim de Ocorrência pode ser registrado online, pelo site da Secretaria de Segurança Pública do seu Estado. 

Além de ser uma segurança para você, o Boletim de Ocorrência também tem essa função de alimentar os bancos de dados, garantindo estatísticas que reflitam a realidade.

Caí no golpe e usei uma conta PicPay, o que fazer?

Em primeiro lugar, entre em contato conosco por um de nossos canais de atendimento.

Nossa equipe vai analisar as informações e solicitar o bloqueio da conta que recebeu a transferência

Nesse processo também tentaremos reaver o dinheiro da instituição financeira que recebeu o valor. 

Você pode ligar para o nosso SAC, que está disponível 24 horas, pelo telefone 0800 025 8000.

Se preferir, nosso chat online também funciona 24h por dia, 7 dias por semana. Veja como acessá-lo:

  • Abra o aplicativo PicPay;
  • Toque em sua foto de perfil;
  • Selecione a opção “Ajuda” no canto superior direito da tela ou role até encontrar a opção “Precisa de ajuda?”;
  • Toque no banner “Fale com a gente”;
  • Selecione o motivo de seu contato;
  • Envie sua mensagem.

No atendimento, informe qual é a transação que você quer contestar. Caso precise contestar mais de uma, tenha em mãos os valores e horários aproximados em que foram feitas.

Em seguida, não deixe de fazer o Boletim de Ocorrência, que pode ser registrado online, informando como ocorreu o golpe do falso sequestro e a transferência de dinheiro, junto com seus dados pessoais, documentos e o máximo possível de detalhes da situação.

Enquanto isso, aguarde enquanto nossa equipe analisa o caso. Depois ela entrará em contato com você para passar as orientações. 

Qual a pena para falso sequestro?

Como mencionamos, o crime de falso sequestro não existe no Código Penal Brasileiro e esse tipo de golpe costuma ser enquadrado como extorsão ou estelionato. Por isso, as penas variam bastante de acordo com o caso.

Em 2021, por exemplo, a 6ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo manteve a condenação de dois homens que participaram de um golpe contra um idoso. 

Segundo reportagem do portal Conjur, um dos réus, acusado de extorsão, organização criminosa e lavagem de dinheiro, foi condenado a 18 anos e quatro meses de reclusão, em regime fechado.

Para o segundo, também acusado de integrar a organização e por lavagem de dinheiro, a pena foi de seis anos de prisão em regime semiaberto.

Agora você já sabe tudo sobre o golpe do falso sequestro e como agir se receber um telefonema desse tipo.

Mas vale lembrar que, infelizmente, todos os dias surgem novos golpes com o objetivo de obter dinheiro das vítimas. Para conhecer os principais tipos e saber como se proteger, conheça a nossa Central de Segurança

Não se esqueça: mantenha a cabeça fria, não passe informações aos criminosos, certifique-se de que seu familiar está bem, entre em contato com a sua instituição financeira e procure a polícia. 

Denunciar é importante tanto para identificar os criminosos quanto para gerar dados realistas sobre o problema.Essas dicas foram úteis? Então confira outros conteúdos sobre segurança digital!

Esse conteúdo foi útil? Deixe aqui sua avaliação

Média da classificação 1.8 / 5. Número de votos: 13

Compartilhe este Post:

Conteúdos relacionados